UNIDADE E MATURIDADE - 2013

 “Eu neles, e tu em mim, a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o mundo conheça que tu me enviaste e os amaste, como também amaste a mim.” (Jo 17.23)

POR QUE PRECISAMOS SER APERFEIÇOADOS NA UNIDADE?
Principalmente porque esse foi um motivo de oração de Jesus para o Pai. O testemunho da pessoa e da obra de Jesus pela Sua Igreja estará comprometido se não houver unidade entre Seus discípulos. Enquanto não formos um em Cristo, o mundo terá argumentos para questionar o amor do Pai, o envio do Salvador e a Sua obra redentora.
Muito da obra de Cristo só se manifestará em nossas vidas e no nosso meio quando decidirmos ser aperfeiçoados na unidade, isto é: quando decidirmos crescer na unidade. Cristo é o Cabeça da Igreja e nós somos o Seu Corpo na Terra, e Ele jamais planejou um corpo dividido, fragmentado.
Chega de divisão, de desunião. Chegou o tempo de andarmos em unidade. Há níveis de conquista no casamento, na família e na igreja que só alcançaremos se nos movermos em unidade. Divididos nunca conquistaremos na plenitude.

UNIDADE, UNIFORMIDADE E ALIANÇA.
Unidade não é uniformidade. A uniformidade tende à igualdade, mas a unidade não. Para andar em unidade com uma pessoa não preciso ser igual a ela. A unidade nunca abrirá mão da diversidade; podemos ser aperfeiçoados na unidade sem perdermos nossas características particulares.
Essa é a riqueza e o potencial da unidade: sermos um, apesar de sermos diferentes! A unidade contempla a diversidade e catalisa todo o potencial de cada um para o benefício do todo. Entretanto, para andarmos em unidade, precisamos de algo maior e mais poderoso do que nós para nos unir, nos fazer superar nossas diferenças e aglutinar nosso potencial. Jesus nos dá as pistas para tal proeza: viver em aliança. Ele diz no texto: “Eu neles, e tu em mim, a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade.” Essa é a essência, a aliança maior: Jesus e nós! A aliança é a base da unidade e a unidade é o selo de uma aliança de êxito. As alianças nos unem, independente de quem ou como nós somos. Quem não tem a revelação da aliança e nem tem o compromisso de andar por ela, não conseguirá ser aperfeiçoado na unidade. Aliança com Deus nos faz crescer em todos os níveis, inclusive na unidade. O fato é: só quem decide andar por aliança cresce (é aperfeiçoado) na unidade. Toda desunião é uma quebra de aliança. Nunca haverá unidade com alianças quebradas!

COMO SER APERFEIÇOADO NA UNIDADE?
Jesus disse que estava unido com eles e unido com o Pai, para que eles fossem completamente unidos (aperfeiçoados na unidade). Jesus deixou claro que só andando por aliança seremos aperfeiçoados na unidade. Sabe por quê? Porque cada aliança tem seus termos, que servem para nos lapidar e ajustar nos relacionamentos. Existem alianças maiores e menores, e, é claro, as menores se submetem à maior.
Como cristãos, a maior aliança que temos é a aliança com Deus, à qual devemos submeter todas as demais (conjugal, familiar, igreja etc). A nossa aliança com Deus é a maior e mais poderosa aliança que podemos celebrar; ela tem princípios eternos de Deus para nos moldar e aperfeiçoar no caráter de Cristo, capacitando-nos para o êxito. Depois da nossa aliança com Cristo, todas as demais deverão, obrigatoriamente, estar submissas e sujeitas aos termos da aliança maior.
Assim, as alianças do casamento, da família, da igreja etc, jamais poderão ferir os termos da aliança maior que temos com Deus, estabelecidos na Sua Palavra. É por isso que, depois de entrarmos em aliança com Deus, não podemos mais fazer qualquer tipo de aliança. Esta é a principal revelação para uma vida em unidade, primeiramente com Deus e, depois, com o próximo.
A falta de revelação da aliança com Senhor e de temor e tremor de Deus faz com que muitos andem desunidos no casamento, na família e na Igreja, quebrando alianças e colecionando derrotas. Quando andamos em unidade com Deus, somos aperfeiçoados na unidade e conseguimos andar e conquistar nos outros níveis de aliança (casamento, família, igreja, ministério etc). Fragilizar uma aliança em qualquer nivel é comprometer a unidade que ela propõe.

TODA ALIANÇA TEM UM PROPÓSITO!
Ninguém propõe ou entra numa aliança sem um propósito definido. Alianças são, de certa forma, associações entre pessoas para um determinado fim. Ao lado dos propósitos da aliança, que vão estabelecer as regras ou normas de conduta na aliança, estão as questões pessoais das partes da aliança. E é aí que entram os problemas.
Independente dos propósitos da aliança, devemos considerar como as pessoas vão se comportar na aliança. Nem sempre as pessoas agem numa aliança com as mesmas motivações, mesmas ações e mesma linguagem. É comum vermos pessoas com motivações erradas (até malignas!) em alianças nobres como casamento, família, discipulado.
Para fluir e promover unidade, uma aliança precisa nivelamento de motivações, ações e linguagem. Por exemplo: Salvação e vida eterna são os propósitos fundamentais da aliança que Deus, motivado pelo amor, propôs ao homem e estabeleceu, na Sua Palavra, os termos, as ações e a linguagem desta aliança, aos quais Se mantém 100% fiel. Deus nunca mudou Seus propósitos, Suas motivações, Suas ações e Sua linguagem. Aleluia! Para crescermos na unidade precisamos sustentar as motivações, as ações e a linguagem da aliança.

COMO NÃO FRAGILIZAR UMA ALIANÇA?
Maturidade é uma palavra-chave para não fragilizarmos uma aliança e crescermos na unidade que ela requer. Só os que decidem pela maturidade andam em alianças, se submetem a elas e crescem em unidade. Quem não quer amadurecer fragiliza alianças e promove desunião. Por quê? Porque só os maduros vivem a essência de cinco palavras:

a- SUBMISSÃO: só os maduros se submetem às alianças e se esforçam para não quebrar seus princípios.

b- SANTIDADE: só os maduros buscam andar em santidade, no temor e tremor do Senhor, pautados pela Verdade, com uma vida transparente, na luz do Eterno.

c- COMPROMISSO: só quem decide pela maturidade sustenta o compromisso com a aliança e com as partes envolvidas nela, pois, independente das demandas ao redor, não negligencia sua responsabilidade como parte ativa da aliança.

d- FIDELIDADE: só quem busca maturidade vela pela fidelidade, decidindo ser parceiro leal na aliança (os desleais ou infiéis facilmente quebram alianças!).

e- RENÚNCIA: só os maduros renunciam de verdade. Só quem é maduro e busca unidade é capaz de abrir mão de preferências e projetos pessoais em prol da aliança maior. Renúncia é sinônimo de cruz, de morte, e só quem opta pela maturidade é capaz de morrer por uma aliança (vida eterna, casamento, família, igreja etc). Quem não abre mão da justiça própria, dos conceitos pessoais, da vontade própria, das paixões e concupiscências carnais mostra imaturidade, fragiliza alianças, promove quebra da unidade. O selo maior da renúncia é o perdão. Só os maduros perdoam! Só os que se movem pela unidade perdoam! Só quem tem temor e tremor de Deus no coração é capaz de perdoar! Jesus, que viveu Alguém assim, é o nosso Modelo de Homem de aliança. Prepare-se para entrar num dos anos mais significativos de sua vida! Bem-vindo às novidades de Deus. O tempo da unidade chegou!

No amor do Senhor da santificação e dos milagres.

Aps Aurelio Jesus Santos e Susana M. B. Santos.

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES