DA MINHA BOCA PROCEDE A BÊNÇÃO OU A MALDIÇÃO?

(Parte final)

(Tiago 3.1-12)

 

 

b) PALAVRAS DE MORTE PODEM AFETAR A PROSPERIDADE FINANCEIRA.

Prosperidade financeira não depende da quantidade de dinheiro ou bens, mas do tipo de alma que a pessoa tem. Prosperidade está ligada à alma da pessoa, à sua mentalidade. Ser próspero ou não é um estado da alma e depende dos princípios que regem a vida da pessoa. Riqueza e pobreza são circunstanciais e estão ligadas aos bens materiais; prosperidade e miséria são existenciais e estão ligados à mentalidade e aos princípios de vida. Por isso há prósperos sem muito dinheiro ou bens e há miseráveis cheios de dinheiro e bens.

Os decretos liberados sobre uma pessoa podem colocá-la no caminho da prosperidade ou da miséria e ruina. Muitos, desde a mais tenra idade, ouviram palavras de ânimo e vitória, foram desafiados a ampliar seus limites e alargar suas fronteiras, por isso são prósperos. Seus pais ou pessoas de influência sobre elas se preocuparam em liberar decretos de bênçãos e vitória sobre suas vidas, apontando-lhes um futuro desejavel.

Deixar uma herança para alguém não faz, necessariamente, dessa pessoa alguém próspero, tanto quanto os princípios do Reino e as palavras de ânimo, coragem e confiança plantados em sua vida. Por causa dos decretos de morte recebidos, muitos vivem na ruina, miséria e pobreza, vendo-se desistidos e sem esperança de mudança e de melhora. Não acreditam que, em Cristo, podem ser mais que vencedores, cheios de vida e vitória, colocados por cabeça e não por cauda, herdeiros da promessa de Deus.

 

c) PALAVRAS DE MORTE PODEM AFETAR O CASAMENTO E A FAMÍLIA.

Muitos casamentos e famílias estão destruídos por causa dos decretos de morte liberados sobre os cônjuges e filhos, tanto pelo próprio casal como por terceiros (pais, sogros etc). Muitos pais, mesmo sem perceberem, liberaram decretos de morte sobre a vida conjugal e familiar de seus filhos, principalmente nos momentos de ira e descontentamento.

Há pessoas que, por não entenderem como determinadas situações ou crises entram em seus casamentos e famílias, acham que realmente nunca deveriam ter casado ou tido filhos. Muitas sementes de dor, impossibilidades, adultério, divórcio e desistência foram semeadas na vida de muitas pessoas quanto ao casamento e à família. Tamanha é a deformação que tais decretos produzem, que os cônjuges, mesmo conhecendo a vontade de Deus quanto ao casamento e família, desistem do casamento e da família e insistem na separação.

 

d) PALAVRAS DE MORTE PODEM AFETAR A SAÚDE.

Por causa das palavras de doença e enfermidade recebidos, muitos vivem doentes e enfermos. São pessoas que receberam, de terceiros ou de si próprios, palavras que mataram a sua saude e atrairam a doença e a enfermidade. Acolheram decretos de morte, tais como: “cuide bem da sua doença”, “essa doença será sua companheira pelo resto da vida”, “você é asmático”, “você é esteril”, “a sua depressão vai lhe matar”, “essa sua doença vai matar você”, “todos na sua família tem tal doença, logo você também terá”.

Outros se decretam doentes, usando expressões como: “a minha doença”, “sou doente”, “vou ficar doente”. Os decretos de doença e enfermidade são tão mortais, que quem os recebe acredita que nasceram para padecerem daquele mal, seja na alma, seja no físico. Há casos tão graves que mesmo conhecendo a obra redentora de Cristo, na qual há provisão de libertação e cura para os que creem nEle, muitos não acreditam que possam ser libertos e curados.

É claro que não é toda doença que se origina de um decreto maldito sobre a pessoa. Desde que o pecado visitou a raça humana e a corrupção da carne se tornou uma realidade, a humanidade passou a conviver com a doença, a enfermidade e a dor. Porém nascemos de novo em Cristo e, nEle, a nossa herança é a incorrupção e a libertação do jugo do pecado e das suas consequências. Por isso o pecado e a doença não são mais nossos; podem até, em determinados momentos, estarem em nós, mas definitivamente, pela obra de Cristo na cruz, eles não nos pertencem mais, nem nós pertencemos mais a eles! Estar enfermo é uma coisa, ser enfermo é outra!

 

HÁ ESPERANÇA: DECRETOS DE MORTE PODEM SER QUEBRADOS E MUDADOS!

Um decreto só pode ser quebrado por outro, proferido pela pessoa que emitiu o primeiro ou por alguém que tenha maior autoridade do que ela. Só um sacerdote de maior autoridade pode emitir um decreto que quebre o decreto emitido por outro de menor autoridade que ele.

Hoje, o Senhor dos senhores, Sacerdote dos sacerdotes, Jesus Cristo de Nazaré, nosso Senhor e Salvador, quer que você saiba que há, na Sua Palavra, decretos de vida e bênção suficientes para quebrar todos os decretos de morte, desistência e desesperança que possam ter prosperado em sua vida até agora. Hoje Ele quer semear vida e bênção em você. Renove sua mente e rejeite, em nome de Jesus Cristo, todo decreto de morte que prosperou em sua vida e família até aqui. Como sacerdote sobre sua vida e autoridade espiritual nesse ministério, profetizo que o seu carater e personalidade são sadios, que suas finanças e seu ministério são prósperos, que o seu casamento e sua família são benditos na Terra e que seu corpo e sua alma são libertos e curados, em nome de Jesus e no poder que há no sangue do Cordeiro de Deus.

 

No amor do Senhor da reforma.

 

  Aps Aurelio Jesus Santos e Susana M. B. Santos

 

 

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

1- Há alguma área em sua vida que está debaixo de decretos de morte? Qual?

2- Você tem ideia de como tal decreto chegou até você?

3- Você crê que sua história pode ser mudada pelo poder de Deus, em nome de Jesus?

4- O que efetivamente poderá ser feito para que tal decreto de morte seja transformado em decreto de bênção?

 

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES