VENCENDO OS INIMIGOS DA NOSSA CONQUISTA!

(Mt 16.21-23)

 

            Imagine a cena descrita no texto bíblico. Justamente aquele que acabara de ter a revelação (Pedro) de quem era Jesus (Mt 16.13-20), agora está sendo usado para tentar impedir Jesus de cumprir o Seu propósito e conquistar a salvação para o pecador. Sem perceber, muito bem intencionado e movido por sentimentos sinceros por Jesus, estava se colocando como um adversário, tentando tirar Jesus da rota da vitória.

            Pedro teve a revelação da identidade de Jesus, mas não foi capaz de compreender o caminho para o cumprimento do propósito de Jesus na Terra. Naquele momento, Pedro, como muitos ainda hoje, estava se movendo não pela mente santificada, mas pela mentalidade humana, carnal, que aliada aos sentimentos, subjuga e perverte propósitos e rotas divinas para a conquista.

            Esta é justamente uma das estratégias mais fortes utilizadas por Satanás para nos impedir de progredir na conquista – usar alguém próximo a nós, para com seus argumentos humanamente justificados, nos impedir de avançar. Jesus teve que tomar posição firme contra Satanás, o mentor de todo impedimento para a nossa conquista. Você está preparado para vencer os inimigos da sua conquista?

 

ANALISANDO OS INIMIGOS DA NOSSA CONQUISTA

            O inimigo é tudo o que luta contra. Há inimigos claros que se opõem aos cristãos na rota de suas conquistas. Quando recebemos os sonhos de Deus, eles logo se levantam para nos impedir de conquistarmos. Eles estão em dois planos: o espiritual e o físico, via de regra, sempre associados. Os do plano espiritual são organizações da maldade que se levantam lideradas por Satanás. Já no plano físico estão as pessoas, com sua carnalidade, se opondo por meio das idéias contrárias, das palavras contrárias e das atitudes contrárias. Assim, vemos que os dois maiores inimigos da nossa conquista são: o diabo e nós mesmos.

 

a)  O DIABO:

            Ele é um adversário do cristão em qualquer nível. Às vezes age através de seus enviados espirituais diretamente, promovendo aflições, crises e obstruções de rotas de conquista. Outras vezes usa pessoas, até bem intencionadas como Pedro, para impedir que muitos conquistem suas promessas e sonhos. Estas pessoas são os chamados inocentes úteis na mão do inimigo.

            Mas, é lógico, ele também pode usar alguém a partir de sua malignidade, gente que nutre em sua vida as pontes do pecado e da maldade. O fato é que o diabo é o inimigo declarado, mas uma pessoa pode também sê-lo sem se dar conta disso, quando se diz a favor da conquista, mas que, de alguma forma, está trabalhando contra, abrindo brecha para que o inimigo possa operar.

 

 

b) NÓS MESMOS:

            Há muitos que não conquistam e nem frutificam no nível que poderiam, menos pelas ações malignas ou de terceiros e mais por causa deles mesmos. Esta é a situação mais frequente; é quando o maior dos inimigos da nossa conquista somos nós mesmos! A nossa humanidade é um fator extremamente relevante no quesito conquista de sonhos e conquistas. Ela pode se tornar o nosso maior impedimento para vencermos e conquistarmos.

            Dia após dia andamos com este nosso maior inimigo, a nossa própria carne. Infelizmente Satanás sabe tirar partido disto para cumprir seus planos, porque como ela não se converte, permanece vulnerável a ele, inclina-se para o pecado e não se submete aos princípios do Reino de Deus. Se não tomarmos posição firme, ela nos governará, afastando-nos dos propósitos de Deus. Vejamos algumas características de discípulos que foram vencidos pela sua própria carne:

 

a- DESÂNIMO:

            Uma conquista pode paralisar na vida de uma pessoa quando ela começa a mostrar desânimo sobre o que crê; quando precisa estar sendo sempre animada pelos outros, pois sua convicção está abalada e já não sabe mais o que espera. Então Satanás, que vive a espera de uma oportunidade, entra em ação consolidando a pessoa na impossibilidade da conquista.

            Ele vai usar as guerras diárias, comuns na vida dos conquistadores, associando-as ao desânimo, para paralisar a pessoa. Se quem desanima é um líder, então seus liderados também entram num espírito de desânimo. Assim, um discípulo, debaixo de uma regência espiritual maligna, pode se tornar o maior adversário dele mesmo. Satanás sabe como tirar proveito daqueles que abrem as brechas e o desânimo pode ser um dos pontos que o inimigo trabalhará para que inconscientemente nos tornemos inimigos da nossa conquista.

 

b- MURMURAÇÃO:

            Uma pessoa pode se tornar inimiga de sua própria conquista pela murmuração (I Co 10:10-13). O murmurador, além de não conquistar territórios, morre no deserto para não servir de tropeço na conquista dos outros. Murmuração é inaceitável por Deus e abre porta para o deserto. O tamanho da boca do murmurador determina o tamanho do seu deserto. Muitos discípulos têm-se aliado fortemente à murmuração, paralisando suas vidas e conquistas em vários níveis (família, células, discipulado, ministério, finanças etc). Coração agradecido e ações de graças ao Senhor são armas poderosas contra a murmuração.

 

c- INCREDULIDADE: 

            Há pessoas que não crêem que podem ser mais e melhores do que são, nem que podem ter mais do que têm. Estão limitados e impedidos de conquistar porque quebram a regra de que nossas conquistas em Cristo são pela fé. Não compreendem que se pela fé agradamos a Deus, pela incredulidade nós O desagradamos. Quando nos esvaziamos da incredulidade e enchemos nosso coração com as promessas de Deus, nos tornamos discípulos de fé, habilitados para a nossa conquista.

 

d- CONFISSÃO CONTRÁRIA:

            Este é mais um inimigo da nossa conquista. Para nutrirmos a nossa conquista é preciso guardar sempre a confissão da esperança, sem vacilar (Hb 10.23). Há muitas pessoas que liberam declarações contrárias aos propósitos de Deus para suas próprias vidas e depois não entendem porque não vencem (Pv 18.21). O problema não está quando outros proclamam a nossa derrota, porque tais declarações só exercerão poder contra nós se elas encontrarem pouso em nós, isto é: se nós as recebermos ou se em nós houverem brechas (leia Pv 26.2)

            Diferente da murmuração, que é reclamação indevida, a confissão contrária é um decreto de oposição emitido. Geralmente é proveniente de uma alma disfuncional, associada à rebelião, à insubmissão. Confissão contrária é um ato de resistência aos decretos de Deus. Só uma nova confissão é capaz de anular a anterior. Se você tem feito confissões contrárias sobre sua vida, chegou a hora de mudar. Confesse a Palavra de Deus, porque não há decreto maligno, contrário, que fique de pé diante da Palavra poderosa do nosso Deus. Decida não usar a sua boca para fazer de você mesmo o maior inimigo da sua conquista.

 

e- MENTALIDADE NÃO TRANSFORMADA (MEDIOCRIDADE).

            A nossa mente não transformada é, de certa forma, a responsável por todas as situações descritas anteriormente. Muitos não conquistam porque foram vencidos pela própria mentalidade não transformada. A mediocridade é parceira da mentalidade retrógrada e mentora da paralisação e do fracasso. A pessoa de mentalidade não transformada pelo poder do Evangelho mostra imaturidade, não avança, só regride.

            A mentalidade não transformada pela Verdade é aquela que está prisioneira do passado, de um tempo que já foi, que não está aberta para as novidades de Deus e, por isso, tem dificuldade de conduzir a pessoa para uma conquista. São mentes que não estão revestidas da nobreza do novo nascimento, não sendo capazes de projetar coisas nobres para o futuro. A Palavra diz em Isaias 32.8 que quem é nobre tem uma mente que projeta coisas nobres, por isso, na sua nobreza, prosperará. O cristão precisa desenvolver a mentalidade de nobre, a mentalidade de Jesus, que se disponibiliza para conquistar os projetos de Deus. Com a mente retrógrada, de escravo, de perdedor, dificilmente alguém prosperará numa conquista.

            Nossa mente mentoria nossas atitudes, palavras etc, e se não estiver submissa à mente de Cristo, ela jamais nos conduzirá na nobreza necessária para uma conquista. Só quem se nutre da Palavra de Cristo é capaz de mudar de mentalidade. É preciso que a pessoa mude de mentalidade, mude de linguagem e de atitudes, para avançar na conquista, caso contrário a desistência a alcançará. Diante de uma conquista das promessas de Deus, só quem tem mentalidade retrógrada, não transformada, é capaz de desistir.

            Assim como o Senhor espera que nos transformemos pela renovação da nossa mente, para não nos acomodarmos à mentalidade deste século e conquistarmos o que está no coração dEle para nós (Rm 12.2), também Satanás, o príncipe deste mundo, está ávido por mentes não transformadas para mentoriá-las e paralisar as conquistas de muitos na caminhada espiritual. Os seus pensamentos, palavras e atitudes denunciam o tipo de mentalidade que você tem e o quanto você é amigo ou inimigo da sua conquista. Reaja! Só os medíocres desistem e ficam no meio do caminho.

            Apesar do histórico de fracassos, é possivel vencer a carne, porque maior é o que está dentro de nós, Jesus, e se Ele está dentro de você, as obras da carne não podem prevalecer. A carne deve estar subjugada aos pés do Senhor. Ela é uma inimiga real, que anda aliançada com a mentira e o engano.

            Para vencer não basta orar e jejuar, é preciso não pecar, tomar posse da Verdade que habita em nós, Cristo, a semente incorruptível. Sem disciplina para consolidar a nova identidade e o carater de Cristo, a pessoa retorna à prática do pecado, isto é: o pecado continua tendo domínio sobre ela. A Palavra diz que todos nós somos tentados e isso é um grande privilégio, pois Ela também diz que não existe provação que não seja humana e que com a provação Deus já nos deu o escape. Ser tentado, portanto, é a oportunidade que Deus nos dá para dizermos não ao pecado e sermos aprovados. Se o pecado, de alguma forma, se move na sua direção para seduzi-lo, discipline a sua carne e diga não! (Pv 1:10).

 

            No amor do Senhor da Unidade e da Maturidade.

 

                                                           Aps Aurelio Jesus Santos e Susana M. B. Santos.

 

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

1- Você tem conquistado as promessas de Deus?

2- Dos dois grandes inimigos da nossa conquista descritos na pastoral, qual deles tem lhe dado mais trabalho?

3- O que você efetivamente fará, a partir de agora, quanto a ampliar suas conquistas?

 

DESTAQUE DA PASTORAL:

- A mediocridade é parceira da mentalidade retrógrada e mentora da paralisação e do fracasso.

 

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES