COLOCAR-SE NA BRECHA PELA FAMÍLIA É SINAL DE MATURIDADE.

 (Ezequiel 22.30)

               

                Estamos vivendo dias muito especiais. São dias em que nosso Deus requer de nós uma postura de maturidade, refletida por intercessão, compromisso e cuidado pelas alianças santas nas quais estamos envolvidos. Deus nos chama para repararmos os muros abertos e para entrarmos na brecha pela nossa terra, que vai além do contexto geográfico, abrangendo tudo o que nos diz respeito, como casamento, família, ministério, célula, discipulado.

                Deus tem projetos tremendos para realizar em nossos contextos e, apesar das falhas em muitos casos, Ele quer preservar aquilo que nunca deveria ser destruido, mas para tal é necessário que alguém se coloque como reparador de muros e na brecha entre Ele e os necessitados e necessidades. No entanto, o próprio Senhor afirma que não é fácil encontrar quem se disponha a reparar muros e entrar nas brechas. Só os espiritualmente maduros têm consciência destas necessidades e se habilitam para tal.

                Não se pode mais transferir responsabilidades: precisamos assumir nosso papel na nossa história! Não se pode mais procrastinar: precisamos remir o nosso tempo e ajustar nossos relógios com o de Deus! Conquistas gloriosas estão desenhadas diante nós em muitas áreas de nossas vidas e não podemos mais agir como crianças espirituais, nem ficarmos inadimplentes.

                Reparar muros e se colocar na brecha são posturas de guerreiros verdadeiros, que esperam pela manifestação sobrenatural de Deus e por conquistas maravilhosas. Só os maduros, que decidem entrar na brecha pelos motivos nobres, são capazes de enfrentar as guerras pelas conquistas. Estar na brecha é assumir e exercer a função sacerdotal, a posição madura de ficar entre o altar de Deus e o povo, apresentando o povo a Deus e levando ao povo as direções de Deus. Como sacerdotes e guerreiros, devemos nos deixar mover pelo Pai e irmos para a brecha da intercessão, assumindo a nossa posição de discípulos-chaves, cônjuges-chaves, pais-chaves, filhos-chaves, líderes-chaves.

                O discípulo da brecha é um conquistador na família, na Igreja e onde mais estiver, e para isso precisa ter a mente renovada em Cristo, ser maduro e assumir a sua nova identidade no Senhor. Discípulo com a mente mundana de perdedor, acomodado, covarde e omisso jamais se colocará na brecha pela integridade e prosperidade de uma aliança. O coração do discípulo da brecha precisa ser cheio de misericórdia pelos pródigos que romperam ou fragilizaram as alianças. Por causa desse perfil, o discípulo da brecha é um guerreiro nobre do Senhor, porque seu coração vai projetar coisas nobres e na sua nobreza irá prosperar (Isaias 32.8). Quando os discípulos da brecha se unem na família, na célula, no discipulado, consolida-se a maturidade e a unidade, forma-se um conselho de nobres, que trará prosperidade e nobreza para o lugar onde ele estiver.

                A grande pergunta é: Quem estaria apto para ficar na brecha?

                O discípulo da brecha deve ser alguém maduro, de caráter firme e que anda em unidade. Precisa ser alguém que não se distrai na caminhada, porque não se deixa seduzir pelas circunstâncias, por mais atraentes ou desastrosas que pareçam. Para a brecha vão os que decidem velar pela aliança e investir nela. Os pais, maridos, esposas e filhos que vão para a brecha pela família são os que não negociam a aliança conjugal e familiar. É preciso que o discípulo da brecha tenha pelo menos 3 coisas em sua vida:

 

1- UNÇÃO INEGOCIÁVEL:

                Ter unção é uma coisa, ter carisma é outra. A autoridade está na unção e não no carisma. Muitos se definem sem condições de assumir a brecha por uma conquista porque não se acham com carisma. Carisma não lhe autoriza a estar na brecha, na posição de discípulo-chave, mas sua unção sim! É a unção que rompe as cadeias, que liberta e nos introduz nos propósitos de Deus, pois é ela que nos capacita para servirmos ao Eterno. Só a unção, e não o carisma, nos respalda espiritualmente como discípulos da brecha e conquistadores no Senhor. Precisamos valorizar e respeitar a unção que está sobre nós, não maculá-la nem negociá-la.

 

2- VIDA COMPROMETIDA:

                O discípulo da brecha deve ser alguém 100% comprometido com Deus, com a família, com o Reino de Deus, com a Igreja, enfim, com as alianças estabelecidas. Vida comprometida fala de carater irrepreensível, fala de alguém que conhece e pratica o caminho da cruz, do arrependimento, do perdão, da reconciliação, da pacificação. O homem e a mulher da brecha tem compromisso com seus líderes e liderados, e anda em unidade com sua igreja e seus projetos. Quem tem integridade e vida comprometida entra na brecha por uma conquista, sem deixar brechas para o adversário. Deus fará de você alguém assim, que por seu comprometimento e nobreza, tornar-se-á modelo e desafiará outros para entrar nesse exército conquistador das promessas de Deus.

 

3- SER ALGUÉM DE VISÃO:      

                Os sonhos e visões de Deus nos impulsionam para frente, para a conquista e nos põem na brecha, para que Seus propósitos se cumpram, tanto em nós como na vida dos aliançados conosco. Só alguém com um sonho, uma visão de Deus, se coloca na brecha da intercessão e da conquista por sua família, igreja etc, profetizando, na hora das crises, aquilo que está no coração de Deus e não o que está diante dos seus olhos ou nos seus sentimentos. Deus busca visionários para a brecha, porque, diante das dificuldades, os sonhadores e visionários de Deus edificam-se na fé, oram no Espírito Santo e rompem em direção ao futuro.

                Todo visionário em Cristo é uma pessoa-chave, com um segredo sobrenatural, que Deus usa para abrir e fechar portas, a fim de que as rotas de acessos não sejam obstruídas, abandonadas ou contaminadas. Uma vez que estão livres e disponíveis nas mãos de Deus, são as “chaves” que Deus usa para abrir portas sobrenaturais, em lugares inimagináveis que só Ele conhece! Por exemplo, Moisés foi um homem-chave, que Deus usou para abrir e fechar a porta inimaginável do escape no Mar Vermelho (Êxodo). Creia que as portas e caminhos que Deus abre para seus filhos, se o Senhor permitir que os inimigos passem, certamente será para envergonhá-los. Aleluia!

                Como as intercessões dos justos podem muito pelos seus efeitos, Deus continua querendo usar seus visionários, ungidos e comprometidos discípulos-chaves, para sustentar alianças e para abrir e fechar as portas de hoje, a fim de conquistar famílias, igrejas, cidades, estados e nações para o Seu Reino. Você é ou não essa pessoa-chave que Deus quer usar?

                Aceite os desafios nobres do Senhor e vá para a brecha da intercessão e do jejum pelos propósitos e projetos de conquista de Deus. Decida entrar na brecha pela vitória no casamento, família, ministério, discipulado, enfim, pela manifestação e pelo suprimento sobrenatural de Deus em todas a áreas nas quais você está envolvido.

 

                No amor do Senhor da Unidade e da Maturidade.

 

                                                               Aps Aurelio Jesus Santos e Susana M. B. Santos.

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

  1. Você é a pessoa-chave que Deus está procurando para reparar os muros e entrar na brecha pelas alianças e causas nobres do Senhor?

  2. Se ainda não é, o que está faltando para ser o(a) discípulo(a) da brecha?

  3. O que você efetivamente fará, a partir de agora, quanto a se tornar uma pessoa da brecha e reparadora de muros?

 

DESTAQUE DA PASTORAL:

Carisma não lhe autoriza a estar na brecha, na posição de discípulo-chave, mas sua unção sim! 

 

 

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES