AS BASES DA VITÓRIA, DA SEGURANÇA E DA PROSPERIDADE DO DISCÍPULO

(2 Cr 20.1-6 e 14-20)

 

               

O texto mostra que Josafá, rei de Judá, estava em aperto. Contra ele e Judá se moviam três exércitos: de Amom, de Moabe e do monte Seir. Ao preceber o número dos adversários, concluiu que a derrota era evidente e se viu em desespero.

                Entretanto, diferentemente da grande maioria, naquele momento volta-se para Deus, juntamente com o povo, e vai buscar a proteção e a saída divinas. Ele invoca a presença de Deus, faz referência à aliança entre Deus e o Seu povo e clama pela solução. Então, por meio do profeta Jaaziel, o Senhor lhe envia a palavra de consolo e a estratégia da vitória para Josafá e a nação de Judá.

                Obsevando o texto bíblico, vemos pelo menos três bases para o êxito dos discípulos do Senhor. Hoje, como povo do Senhor, também vivemos muitos momentos de batalha, de verdadeiras guerras, de grandes desafios na caminhada. É evidente que hoje as guerras são outras, são travadas no campo espiritual, contra os nossos verdadeiros adversários que são Satanás e os seus exércitos da maldade; jamais nossa luta será contra nossos semelhantes.

                Por isso, mais do que nunca, precisamos buscar em Deus a proteção e a direção para sairmos bem sucedidos em cada uma das batalhas que certamente cruzarão nossos caminhos. A exemplo de Josafá, precisamos buscar em Deus as bases para uma caminhada espiritual firme e bem sucedida, de forma que não passemos a colecionar derrotas e frustrações.

 

AS TRÊS BASES PARA O ÊXITO DO DISCÍPULO.

 

1- BASE DA VITÓRIA – CRER QUE A BATALHA É DE DEUS!

                A batalha do cristão não é dele – é de Deus!

                O Senhor quer nos posicionar corretamente na caminhada, deixando claro que as guerras do Seu povo são as Suas guerras. Somos a menina dos olhos de Deus, portanto, tocar no povo de Deus é tocar nos Seus olhos (Zc 2.8). Sempre que o inimigo se levanta contra o povo de Deus, sem que uma legalidade tenha sido estabelecida, ele se levanta contra o Senhor dos Exércitos, o Grande Senhor das guerras e vencedor de todas as batalhas.

                Muitos não entendem que para vencermos na batalha espiritual os comandos e a autoridade devem vir de Deus. Não vencemos uma guerra espiritual porque podemos alguma coisa por nós mesmos, mas pelo Senhor que nos fortalece (Fp 4.13). Porque muitos não vivem tal conceito, acabam particularizando e trazendo para o campo pessoal e físico, uma guerra que não é sua e nem deve ser travada no plano físico, mas exclusivamente no plano espiritual.

                Eis a razão porque muitos casamentos, famílias e relacionamentos em geral estão partidos ou na iminência de sê-lo –  pessoas lutando contra pessoas, ao invés de se unirem e, em Cristo, se posicionarem contra os verdadeiros adversários, que é Satanás e seus demônios, travando a batalha nas regiões celestiais, debaixo da direção e dependência de Cristo. Não permita que o inimigo roube de você o foco da real batalha, “porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes” (Ef 6.12). Nossa luta nunca é contra gente!

                No meio da crise, Josafá e o povo louvaram e adoraram ao Senhor. Adoração e louvor, no meio das crises, mostram que o discípulo tem a revelação de que as suas guerras são do Senhor. Ao receberem a revelação de que a batalha era do Senhor e não deles, Josafá e o povo entraram em adoração e louvor, mesmo no momento de crise.

                Infelizmente, nesses momentos, a maioria de nós entra em murmuração e maledicência. Isto nos afasta de Deus e nos aproxima do inimigo, tornando-se, portanto, fatal para o povo de Deus. Para muitos, adorar e louvar a Deus, justamente quando se instala a crise, é uma atitude descabida e indolente, que revela fraqueza, medo e incapacidade. No entanto, essa é a atitude mais acertada que um discípulo do Senhor deve tomar sempre. É no ambiente da adoração e do louvor que está nosso esconderijo. É ali, mergulhados na presença de Deus, que encontramos a provisão para todas as áreas da nossa vida. No ambiente da adoração só os autorizados podem entrar, jamais os nossos inimigos. Por isso, na adoração somos intocáveis e inabaláveis.

 

2- BASE DA SEGURANÇA - CRER EM DEUS.

                “Crede no Senhor, vosso Deus, e estareis seguros”. A nossa segurança está em crermos no Deus de toda a glória. É preciso crer na fidelidade, no amor, na misericórdia e na soberania de Deus. “O justo vive por fé” (Rm 1.17) e, “de fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam” (Hb 11.6).

                Muitos encaram as crises porque crêem em si próprios; a confiança está no que são e podem, dispensando o poder de Deus. Em contra-partida, outros não tomam posição porque não confiam em si mesmos, nem confiam no poder de Deus, o que se caracteriza um duplo erro. Creia que nosso Deus é fiel e não falhará jamais. Ele está conosco todos os dias, até a consumação do século (Mt 28. 20).

 

3- BASE DA PROSPERIDADE - CRER NOS PROFETAS DE DEUS.

                “Crede nos seus profetas e prosperareis”. Precisamos não só estar seguros em Deus e vencer as batalhas, mas também prosperar nos caminhos do Senhor. Se não crermos na palavra profética nem no seu cumprimento, jamais experimentaremos a prosperidade do Senhor. A fé na palavra profética desata o mover e as bênçãos de Deus sobre o seu povo. A palavra profética é um ajuste de rota e um destino de bênção, o que faz prosperar quem a recebe por fé!

                Há muitos cristãos que estão vencendo algumas guerras, mas não estão vivendo a plena prosperidade do Senhor no casamento, na família, na vida financeira e na vida ministerial porque não crêem na palavra profética, na palavra da promessa. A palavra profética precede o mover de Deus.

                Vivemos tempos de intenso mover profético, o que está trazendo para a Igreja grandes desafios e requerendo de nós fé em Deus, intensa dependência dEle e muita esperança no cumprimento das Suas promessas. Crer na palavra profética é a grande chave da prosperidade dos filhos de Deus. Em Hebreus 11:6 lemos que: “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam”. Independente das crises, creia que o Senhor quer lhe abençoar em todas as áreas: sua vida pessoal, sua casa, seu ministério, suas finanças e, pela fé, tome posse da prosperidade em cada uma delas.

                As crises não são “privilégio” de poucos. Justo nesse tempo de busca pela maturidade e unidade, somos visitados por muitas crises, em várias áreas. No entanto, você é discípulo que está debaixo do manto da vitória e tem a revelação da sua posição em Cristo. Certamente que você tem vencido muitas batalhas e está trilhando o caminho da prosperidade. Aleluia! Mas é preciso ter cautela. Mantenha-se alerta quanto à sua santificação e a essas bases compartilhadas, afinal, em tempos de guerra, não podemos nos distrair!

 

                No amor do Senhor da Unidade e da Maturidade.

 

                                                               Aps Aurelio Jesus Santos e Susana M. B. Santos.

 

 

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

  1. Como você age nos tempos de crise?

  2. Em quais das três  bases mencionadas na pastoral  você precisa crescer?

  3. O que você efetivamente fará, a partir de agora, quanto a caminhar com vitória, segurança e prosperidade?

 

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES