28/09/2014
 
A CRUZ DE CRISTO: BASE DA NOSSA VITÓRIA!
(Colossenses 2.13-15)

 

 

           

A cruz de Cristo foi onde o mundo, a carne e o diabo foram vencidos (e continuam sendo). A cruz é a base da nossa salvação, o que inclui a santificação, a justificação, a redenção e a regeneração do pecador que recebeu e creu na mensagem que Cristo pregou através dela. Nela está também a nossa libertação e a nossa cura.

 

A maior e mais importante mensagem que jamais se ouviu, o “está consumado”, foi pregada por Cristo, no púlpito mais significativo do Universo, a sua cruz! É por isso, que não se pode conceber o verdadeiro cristianismo sem a cruz de Cristo. Realmente, a centralidade do Evangelho está na cruz de Cristo.

 

OS BENEFÍCIOS ADVINDOS DA CRUZ DE CRISTO.

Além da salvação e da vitória na batalha espiritual, o cristão recebe também mais três benefícios tremendos: o perdão, a mudança do caráter e a nova identidade. Estes três benefícios nem sempre são reconhecidos e, às vezes, não são recebidos por muitos cristãos, o que os torna pessoas abaixo daquilo que Cristo projetou para suas vidas.

 

A ignorância a respeito dos nossos direitos como salvos por Cristo tem levado muitos a uma vida de derrotas e fracassos. A obra realizada por Cristo na cruz do Calvário foi perfeita, completa e suficiente para nos levar a outra dimensão, tanto espiritual como fisicamente. Por meio dela recebemos a vida abundante que Cristo nos promete como está em João 10.10: “O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.”

 

a) PERDÃO:

A raiz do perdão divino está na cruz de Cristo. Nenhuma outra religião oferece perdão. Só Deus, em Cristo, oferece o perdão para os nossos pecados. Ao derramar o Seu sangue na cruz do Calvário, Jesus Cristo tomou o nosso lugar de pecador e pagou o preço da nossa condenação. A base do perdão está no sangue de Cristo derramado na cruz do Calvário.

 

Fora da cruz, Deus não nos pode perdoar! O perdão recebemos por graça divina, mas ele não foi barato, pois custou a Deus tudo o que Ele é e tudo o que Ele tem – o preço do perdão foi o sacrifício do Seu Filho, Jesus!

 

Por que é importante a revelação do perdão? O recebimento do perdão pelo cristão é fundamental para a vitória contra Satanás, que é também chamado de “o acusador de nossos irmãos” (Ap 12.10). Porque muitos cristãos não recebem o perdão de Deus, vivem recebendo a acusação de Satanás, o que torna suas vidas um inferno.

 

O alvo do diabo é impedir que recebamos a plenitude da obra que Cristo consumou na cruz do Calvário, o que nos faz viver abaixo das expectativas do Senhor. O inimigo sabe que ao nos vermos debaixo da culpa, ficamos inibidos no uso da nossa autoridade espiritual e perdemos ou entregamos territórios valiosos para ele. Receber o perdão de Deus, conquistado para nós por Cristo na cruz do Calvário, é uma garantia espiritual, com reflexos no plano físico, de que nenhuma acusação há para nós e que, portanto, o acusador tem seus direitos quebrados em nossas vidas.

 

Outra vitória recebida através do perdão é a libertação e a cura para a nossa alma, que, sem a revelação do perdão de Deus, se fragiliza pela culpa e se torna uma lixeira para receber todo o lixo emocional que o diabo puder lançar nela, como falsa culpa, autopunição, rejeição e outros traumas e feridas. A cruz de Cristo, por causa do perdão liberado, torna-se a base da libertação e da cura da alma do cristão, permitindo, assim, que ele viva a vida abundante que vem pela salvação.

 

b) MUDANÇA DO CARATER:

Na cruz de Cristo o pior de nós foi trocado pelo melhor de Deus! Dá para imaginar uma troca como esta? Só Deus mesmo para realizá-la. Ao processar a nossa salvação, na cruz do Calvário, Jesus tomou o nosso lugar, fazendo-Se pecador por nós e tornando-nos justos, santos, redimidos e regenerados perante Deus.

 

Ali, na cruz, a nossa carne foi vencida, o Senhor tomou para Ele a nossa vida de pecado e derramou em nós a Sua vida, perfeita para Deus. Na cruz o Senhor trocou as nossas velhas características pelas características dEle, trocou o nosso caráter pelo caráter dEle. Aleluia!

 

Assim, a partir da salvação, quando Cristo passou a viver em nós, o caráter dEle também passou a fazer parte de nós. Se temos Cristo em nós, temos também o Seu caráter em nós. Nascemos de novo em Cristo, tornando-nos Sua expressão na Terra, portanto, temos o dever de manifestar o Seu caráter que está em nós. O que efetivamente precisamos fazer é decidir viver a novidade de vida que temos em Cristo e não mais a velha criatura do pecado, que fomos antes dEle nos salvar.

 

c) NOVA IDENTIDADE:

Em Cristo fomos feitos filhos e filhas de Deus. A Bíblia diz que nascemos na iniquidade e que em pecado fomos concebidos, isto é: nascemos da matriz do pecado, nascemos pecadores (Sl 51.5). Só nascendo de outra matriz, a matriz de santidade e justiça, que é Cristo, poderíamos nos tornar agradáveis a Deus, poderíamos ser feitos filhos de Deus.

 

A obra da cruz, a salvação do pecador, nos fez nascer de novo, isto é: fomos regenerados. Na velha natureza, tínhamos a identidade de pecadores, afastados de Deus, deformados pelo pecado e influenciados pela carne, pelo mundo e pelo diabo. Cristo, na cruz, tomou para Ele essa velha natureza, ou seja, essa velha identidade, a identidade de pecadores e, fez-nos nascer de novo, pelo Espírito e pela Palavra, gerando em nós a nova identidade, a identidade de filhos e filhas de Deus.

 

Por meio da obra da cruz o Senhor trocou a nossa identidade, tornando-nos filhos do Deus Altíssimo, irmãos de Cristo e co-herdeiros com Ele, como está escrito em Rm 8.16-17: “O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co- herdeiros com Cristo.” Se nascemos de novo em Cristo, também em Cristo recebemos uma nova identidade, deixamos de ser criaturas governadas pelo pecado e nos tornamos família de Deus, sendo chamados pelo Seu nome.

 

Qual a importância disso? Espiritualmente, a identidade aponta para um destino. Com a velha identidade estávamos destinados à morte eterna e ao inferno, com a nova identidade, fomos direcionados para a vida eterna e para as mansões celestiais!

 

Com a marca da salvação (o sangue de Jesus), passamos a ser identificados no Reino espiritual como príncipes e princesas do Deus Eterno, fomos revestidos de nobreza celestial, tornamo-nos autoridades espirituais no planeta, embaixadores do Reino de Deus na Terra! Deixamos de ser conduzidos pela carne e mentoriados pela mente maligna, para sermos dirigidos pelo Espírito, conforme a Palavra de Deus e conduzidos pela mente de Cristo que habita em nós! Nos tornamos fatores de mudança onde estivermos e uma ameaça para o diabo e seus projetos.

 

A nova identidade nos habilita a sermos os verdadeiros embaixadores do Reino de Deus na Terra e a reproduzirmos o ministério de Cristo entre os homens. Nenhum cristão precisa mais andar com a velha identidade, porque o cristão se tornou novidade de Deus na Terra. Por causa da velha identidade, herdamos a maldição e a derrota, mas com a nova identidade nos tornamos descendentes de Abraão, benditos na Terra e herdeiros conforme a promessa que ele recebeu (Gl 3.29: “E, se sois de Cristo, também sois descendentes de Abraão e herdeiros segundo a promessa”).

 

No amor do Senhor da Colheita Ampliada.

 

Aps Aurelio Jesus Santos e Susana M. B. Santos.

 

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

  • Você se julga vencedor(a) na caminhada espiritual?

  • Como você se vê em relação à obra realizada por Cristo na cruz do Calvário?

  • Em relação aos três benefícios advindos da cruz de Cristo, relatados na pastoral, em qual deles você precisa crescer e o que fará em relação a isto?

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES