COMO SER UM BOM TESTEMUNHO DE FÉ (Juízes 6.11-17) 
 
 Gideão estava vivendo dias difíceis. Sua nação estava sendo oprimida pelos midianitas. Tudo era devorado pelos opressores. Estavam nesta situação porque fizeram o que era mau perante o Senhor, não ouviram Sua voz. Afastaram-se de Deus. Toda vez que este afastamento acontecia, o povo ficava em aperto. Quando clamavam ao Senhor e se voltavam para Ele, eram socorridos.  Mas vamos observar a vida de Gideão. Um homem simples, comum, como eu e você. Vivia numa situação de crise. Esse homem recebe o chamado de Deus. Mesmo com suas debilidades e fraquezas, vivendo num período nada favorável, ele se tornou um exemplo de fé, um bom testemunho para nós, citado em Hebreus 11.32-34. Vamos observar algumas coisas a respeito de Gideão e aprender como nos tornarmos um bom testemunho de fé 
 
1. MUDAR A FORMA DE SE VER  Era alguém que se via fraco e foi chamado pelo Senhor de “homem valente” (Jz 6.12 e 15). Ele expõe para o Senhor como ele se via: o mais pobre, o menor. Ele deve ter achado que o anjo do Senhor havia se enganado.  Na carta aos Hebreus lemos “da fraqueza tiraram força, fizeram-se poderosos em guerra”. Isso aconteceu com Gideão e tantos outros que se tornaram exemplos para nós.  Gideão recebeu do Senhor a identidade de homem valente. Foi consolidado nesta verdade e rompeu. Quantas vezes nós nos vemos assim – fracos, pobres, incapazes, gafanhotos na terra de gigantes, sem valor. Não tomamos posse da identidade que temos em Jesus. Não aceitamos o chamado, o propósito de Deus para nós. Ao invés de nos consolidarmos na verdade, nos consolidamos na mentira. E perdemos muitas oportunidades de romper, de ser bom exemplo, bom testemunho.  Deus não nos vê com nós nos vemos. Ele acredita em nós. Investe em nossas vidas. Não desiste de nós. - Creia que o Senhor é contigo, homem (mulher) valente! 
 
2. VENCER A INCREDULIDADE E ROMPER EM FÉ Gideão fez um discurso de incrédulo (Jz 6. 13): “Ai, Senhor meu! Se o Senhor é conosco por que nos sobreveio tudo isto? E que é feito de todas as suas 
maravilhas que nossos pais nos contaram?” Tipo assim: Nunca vi uma, será que realmente existiram?  A incredulidade cega. Quantas maravilhas acontecem o tempo todo e nós não vemos, não observamos?  Às vezes acusamos Deus em vez de reconhecer que nós é que nos afastamos dEle. Sem fé não há como nos relacionarmos com Deus. O Senhor mostra a Gideão que ele não estava só (versos 14 e 16). O Senhor estava com ele e,  por isso, ele poderia aceitar ser enviado na certeza de que venceria. A multidão dos inimigos seria como um único homem. Ele não estava em desvantagem.  Precisamos ouvir Deus. A fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus, buscar o que edifica nossa fé. Acreditar que Ele é Deus presente, está conosco, nos fortalece e nos faz vencedores. Em Hebreus 11.33 diz : “por causa da fé....” passaram por tudo. Enfrentaram o fogo, prisão, apedrejamento... I João 5.4 – porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo, e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé – em Jesus, o filho de Deus. 
 
3. VENCER O MEDO Gideão era um homem atribulado, cheio de medo e se tornou cheio da paz, e aprendeu a vencer o medo (Jz 6.24). Observamos isso na vida dele, em sua conversa com o anjo do Senhor. Ele edificou um altar e o chamou “O Senhor é paz”. Não deixou mais o medo lhe controlar – o medo traz tormento. Mas continuou lutando contra o medo.  A paz inundou sua vida.  Quando foi lutar, os inimigos eram uma multidão como a areia do mar. Ele, com apenas trezentos soldados, iria destruí-los.  Juízes 7.12 – Ali estava o valente Gideão, homem de fé, cheio de coragem e paz. O Senhor diz para nós: “Paz seja contigo! Não temas!” Não deixe o medo te controlar, te paralisar. Seja o que for que você estiver passando, não temas! Jesus nos deixou a Sua paz (João 14.27): “Não se turbe o vosso coração e nem se atemorize”. Não inviabilize o chamado de Deus para sua vida por causa do medo. Vai nesta tua força, o Senhor te enviou. Ele é contigo! De 32.000 homens que vieram para lutar junto com Gideão, 22.000 voltaram quando ele falou para quem fosse tímido e medroso voltar. É muita gente controlada pelo medo! 
 
4. OBEDECER AO SENHOR (Jz 6.25-27)
 Gideão foi obediente ao Senhor. Fez tudo como o Senhor lhe dissera. Ele destruiu o altar de Baal, que era do seu pai, levantou altar para Deus e ofereceu um holocausto a Ele. Tudo conforme Deus ordenou.  Obedecer às vezes não é fácil – requer renúncia, às vezes sacrifícios e vencer o medo. Ele teve medo, mas obedeceu. Foi para a guerra com 300 homens, seguindo a instrução de Deus e venceu.   A obediência traz bênçãos (Dt. 28). Decida obedecer ao Senhor de forma absoluta. Não arranje justificativas para não obedecê-lO, nem argumentos. Obedeça! 
 
5. REVESTIR-SE DO ESPÍRITO DO SENHOR (Jz  6.34) Gideão foi revestido pelo Espírito de Deus, foi ungido para libertar o povo, para cumprir o chamado do Senhor.  A unção faz toda a diferença na nossa vida. Agora a presença de Deus estava com ele todo o tempo, o conduziu e o capacitou.  Precisamos buscar o revestimento do poder que vem do alto, o batismo no Espírito Santo, os dons para edificação da igreja do Senhor. Enchei-vos do Espírito! A unção precisa ser renovada. A parábola das dez virgens fala da necessidade da unção. Ela é nosso combustível. Precisa ser reabastecida sempre. Não pode parar. Não pode acabar. O Noivo está voltando. Jesus está voltando! Precisamos de mais unção! 
 
6. ADORAR AO SENHOR ANTES DA BATALHA (Jz 7.9-15)  Gideão adorou ao Senhor antes da batalha.  O Senhor mandou que ele fosse ao arraial dos midianitas para que ele vencesse o medo e se fortalecesse.  Ele ouviu o sonho que certo homem contava a outro, e seu significado, onde o inimigo reconhecia que Deus os havia entregado nas mãos de Gideão. Isso foi uma confirmação. Sua atitude foi de adorar antes de começar a lutar. Foi fortalecido e mais uma vez venceu o medo. Devemos adorar ao Senhor em todo tempo, mesmo antes da vitória chegar, declarando quem Ele é, Sua grandeza e soberania. Precisamos ter uma vida de adoração não somente quando tudo vai bem. Deus é digno de adoração sempre. Ele procura esses adoradores para que O adorem em espírito e em verdade. 
 
7. SER PACIFICADOR E HUMILDE (Jz 8.3, 23) 
 A tribo de Efraim ficou chateada por não ter sido chamada para lutar com Gideão. Eles ajudaram somente no final da perseguição, quando os midianitas fugiam. E Gideão pacifica a situação. Falou palavras que abrandaram a ira deles. Ele poderia ter agido diferente, mas escolheu pacificar.  Será que temos sido pacificadores?  Quando alguém chega até nós com o coração inflamado, atiçamos mais lenha na fogueira ou agimos como bombeiros? Fogo estranho tem que ser apagado: ira, fofoca, murmuração etc. “Bemaventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus” (Mt 5.9). O povo, após a vitória, quis fazer de Gideão governador, rei de Israel (Jz. 8.23), mas ele não aceitou. Foi sábio ao declarar que o Senhor iria dominar, governar, reconhecendo a grandeza de Deus e não a dele. Não deixou a vaidade, a soberba subir à cabeça. Sabia que tudo acontecera por obra de Deus. Teve uma atitude humilde. Deus resiste ao soberbo. Felizes são os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus (Mt 5.3). O humilde tem visão correta de quem é Deus e de si mesmo. Sabe que é só um instrumento nas mãos do Senhor. A honra e a glória são do Senhor, sempre. 
 
São poucos capítulos falando da vida de Gideão, mas o suficiente para ser citado em Hebreus 11, onde encontramos uma lista top de pessoas que são exemplos de fé: Abel, Enoque, Abraão, Sara, Isaque, Jacó, José, Moisés, e  Gideão está entre eles. Nós temos um chamado. Existe um propósito de Deus para cada um de nós. Não deixe que as circunstâncias pelas quais você está passando te oprimirem. Você está se sentindo fraco, debilitado, roubado, injustiçado? Olhe para Gideão. Ao observarmos sua vida aprendemos muito, assim como a dos demais heróis da fé. Mesmo que não estejamos vivendo os melhores dias de nossas vidas, precisamos decidir ser um bom testemunho de fé, até o final. Corramos com perseverança a carreira que nos está proposta (Hb 12.1-2). Olhemos firmemente para Jesus, autor e consumador da nossa fé. Precisamos focar nEle. Não adianta começar bem na fé e não perseverar. É preciso começar e perseverar até o fim. Que sejamos um bom testemunho de fé, para a glória de Deus. 
 
 No amor do Senhor Jesus, autor e consumador da nossa fé. 
 
   Prs. Sérgio e Luciana Campbell 
 
  PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR: 1. O que mais te chamou a atenção na vida de Gideão? Por que? 2. Nas observações a respeito da vida de Gideão, em qual ou quais delas você precisa se ajustar mais? Justifique sua resposta. 3. Você tem perseverado na sua caminhada de fé? 
 
 

 

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES