O LIMITE DA BÊNÇÃO ESTÁ NA MEDIDA DA FÉ!

(2 Rs 4.1-7)

 

Também nesse ano da Unidade e da Maturidade veremos que Deus não desampara aqueles que O servem. Embora ainda hoje possamos ver crises na vida e na casa de alguns dos servos de Deus, a verdade é que sempre podemos contar com a ação divina a favor dos justos. Nosso Pai maravilhoso vela pelo cumprimento da Sua Palavra e certamente Se manifestará com provisão. No entanto, Deus tem seu próprio modo de agir e, sempre, tem um ponto de partida para nos abençoar.

 

O PONTO DE PARTIDA DE DEUS:

Deus começa onde nos encontramos. É a parttir de como estamos e de onde estamos que o Senhor começa a operar com vistas a nos abençoar. Toda mudança que Ele quer fazer em nós, através de nós e no nosso contexto, Ele começa do jeito que estamos na hora em que O buscamos. Observando o texto, na operação do milagre, na realização do sobrenatural, o Senhor requer que tenhamos consciência basicamente de duas coisas:

 

a- CONSCIÊNCIA DA NOSSA REAL NECESSIDADE:

“O que te hei de fazer?” Parece uma pergunta descabida e inútil, mas não é. O Senhor quer que saibamos identificar qual a nossa real necessidade. Muitos não conseguem identificar e confessar suas reais necessidades diante do Senhor, pois estão envoltos em muitos conceitos e distraídos ou encantados com muitas circunstâncias.

 

b- CONSCIÊNCIA DA NOSSA REALIDADE:

“Dize-me o que tens em casa”. Muitos não têm consciência de que o pouco que possuem é exatamente aquilo que o Senhor vai usar para processar o sobrenatural. Deus não precisa do muito de cada um de nós para fazer o muito para nós! O Senhor quer usar a sua chamada pouca fé para desatar o sobrenatural na sua vida pessoal, conjugal, familiar, celular, financeira etc. Saiba que o seu pouco dízimo e sua pouca oferta, quando fielmente colocados diante do Senhor, são justamente a base para que o sobrenatural de Deus se realize na sua vida, inclusive financeira. Deus vai operar a partir da nossa disponibilidade e dentro do nosso contexto. No texto bíblico vemos que para suprir aquela mulher e a sua casa, o Senhor usou uma botija de azeite que havia na própria casa da mulher.

Se olharmos bem, todos nós temos em casa, pelo menos, uma “botija de azeite”, ainda que pequena. Nem sempre é preciso sair do contexto da crise para sairmos da crise! Não se sai do casamento, da família ou da célula, quando estão em crise, para ser abençoado e suprido por Deus nestas áreas.

 

AS TRÊS VASILHAS INTERIORES - A CONDIÇÃO PARA DESATAR A BÊNÇÃO!

Olhando para as atitudes daquela mulher, após ouvir as orientações do profeta Eliseu, percebemos que ela tinha três características importantes que a levaram a alcançar a bênção prometida. Vamos chamar tais características de as três vasilhas interiores, que nos levarão a romper na bênção, no milagre.

 

a- VASILHA DA FÉ (Mt 21.21-22):

A fé se opõe ao medo e viabiliza as ações de conquista na nossa vida. Quando aquela viúva foi a Eliseu compartilhar seu problema e sua necessidade, mostrou claramente sua fé de que Deus traria a solução. E mais, ao acolher as palavras do profeta, sem questionar, mostrou que não duvidava da fidelidade de Deus. É através da nossa fé que o Espírito de Deus operará na Terra. Todo incrédulo duvida da fidelidade, do poder e da operação sobrenatural de Deus. Onde entrar incredulidade e dúvida, entrará também desistência, crítica e rebelião. Só alcançaremos a bênção e o milagre de Deus pelos braços da fé.

 

b- VASILHA DA OBEDIÊNCIA (1 Sm 15.22):

Fé e obediência andam de mãos dadas. Todo aquele que crê obedece. Muitos não recebem o sobrenatural de Deus porque não obedecem aos comandos de Deus. Dizem que crêem no Senhor e na Sua Palavra, aparentam fé ao pedirem o que necessitam, mas não se alinham com a vontade de Deus, porque não se submetem, nem obedecem aos Seus comandos. A obediência traz bênçãos tanto para a vida pessoal, como conjugal, familiar, celular, profissional, financeira etc.  Ao obedecer ao comando profético, ela prosperou porque se cumpriu a Palavra de 2 Cr 20.20: “Crede no Senhor, vosso Deus, e estareis seguros; credes nos seus profetas e prosperareis”.

 

c- VASILHA DA ESPERANÇA (Pv 23.18):

Além da obediência, a fé traz consigo a esperança. Esperança é o desejo sincero de recebermos aquilo que necessitamos. Quando a esperança é firme, ela gera em nosso coração uma expectativa maravilhosa quanto à ação de Deus. É essa esperança ou expectativa que a fé traz, que nos faz obedecer com alegria e sem pesos. Quando não esperamos realmente que Deus vá agir a nosso favor, obedecê-lO se torna um grande peso. Aquela mulher voltou para sua casa com algo diferente em seu coração. A fé na palavra profética a encheu de esperança e ela não hesitou em mandar seus filhos buscarem as vasilhas vazias. Sua atitude refletiu a sua expectativa quanto à operação de Deus. À medida que as vasilhas eram cheias de azeite, e a sua botija não se findava, ela via a provisão milagrosa de Deus fluindo e a sua esperança sendo honrada pelo Senhor.

 

O LIMITE DA BÊNÇÃO:

O Senhor é ilimitado e sempre poderá fazer muito mais do que pedimos ou pensamos, mas as bênçãos que recebemos podem ser limitadas. Nós podemos colocar limites nas bênçãos de Deus!

Entendendo que a vasilha cheia simboliza a bênção recebida, concluímos que a bênção daquela mulher foi proporcional ao número de vasilhas que ela adquiriu. Quanto mais vasilhas, mais o Senhor derramaria azeite da botija. A botija que ela tinha em casa representava a sua fé, que ao ser tocada pelo sobrenatural de Deus, transformou-se na incompreensível e infindável fonte provedora de Deus e as vasilhas vazias que ela adquiriu, traduziram as suas obediência e esperança.

Creio que se ela vivesse até hoje e tivesse um número infinito de vasilhas vazias diante da botija de azeite, aquela fonte estaria até hoje enchendo de bênçãos e provisão a vida daquela mulher. A fonte só parou de jorrar quando as vasilhas vazias deixaram de ser colocadas diante da botija. Quando se decretou que não havia mais vasilha nenhuma para ser cheia (v. 6), o azeite parou.

Quando a fé e a esperança cessam, a obediência sai da vida do discípulo e o fluxo das bênçãos de Deus se interrompe. Dependendo das três vasilhas interiores de cada um de nós, colocaremos mais ou menos vasilhas para se encherem de bênçãos. Nossa fé, obediência e esperança limitarão as bênçãos de Deus em nossas vidas. O Senhor hoje quer gerar em seu coração a fé sobrenatural, a obediência incondicional aos seus comandos e a esperança inegociável de que as promessas e decretos do Senhor a seu respeito se cumprirão com abundância, em nome de Jesus. Amém!

 

No amor do Senhor da Unidade e da Maturidade.

 

                                               Aps Aurelio Jesus Santos e Susana M. B. Santos.

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

1- Há algum tipo de necessidade ou crise em  sua vida, casamento, família e células?

2- Qual das três vasilhas interiores está em falta em você?

3- O que você efetivamente fará para não limitar as bênçãos de Deus em sua vida e histórico?

 

 

DESTAQUE DA PASTORAL:

Quando a fé e a esperança cessam, a obediência sai da vida do discípulo e o fluxo das bênçãos de Deus se interrompe.

 

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES