25/01/2015
 
SÓ SACERDOTES RESTAURADOS RESTAURAM O ALTAR!
(Levítico 6.8-13)

 

 

Nesse ano de 2015 estamos trabalhando por uma colheita fiel, aquela que flui das mãos de Deus para nós, aquela que nunca decepciona. Mas na rota dessa colheita há uma exigência: a restauração do altar de Deus em nossa vida e histórico. Porque o altar na vida de muitos foi profanado, quebrado ou sujo, há muita colheita que não se processou, por isso a necessidade de restaurarmos esses altares, quer estejam na vida pessoal, conjugal, familiar, ministerial, profissional, financeira etc.

 

A restauração do altar precederá a colheita fiel! Restaurar o altar é uma chave que usaremos para que o portal da colheita fiel se abra em nossa direção. Restaurando o altar nos legitimararemos para a colheita que não decepciona. Chegou o tempo em que veremos altares outrora profanados, sujos, cheios de cinzas e quebrados sendo plenamente restaurados e, ao mesmo tempo, veremos muitos entrando na plenitude de colheitas sobrenaturais pelas mãos do Todo-Poderoso.

 

Entretanto, entendemos pela Palavra de Deus, que os responsáveis pelo altar e por tudo a ele relacionado eram os sacerdotes. Por isso, entendemos que a restauração do altar passa obrigatoriamente pela restauração do sacerdócio. Só com o sacerdócio restaurado é que conseguiremos restaurar o altar!

 

RESTAURANDO O SACERDÓCIO (Êx 28.3-43)

Só os sacerdotes foram os designados por Deus para oficiarem no altar do Tabernáculo, o que incluia não só os sacrifícios, mas também a manutenção, organização e limpeza do altar, preservando a sua integridade e funcionalidade. Tudo o que dizia respeito ao altar era da responsabilidade dos sacerdotes e eles o realizavam obedecendo ao ritual estabelecido por Deus. O sacerdócio tinha altas exigências, desde as vestimentas até os relacionamentos do sacerdote. A restauração do sacerdócio passa, portanto, pela restauração do seu carater e do seu ofício.

 

a) RESTAURANDO O CARATER SACERDOTAL.

Isso está ligado às vestes sacerdotais. Não eram quaisquer vestes, pois Deus as chama de “vestes finamente tecidas.., vestes sagradas… vestes santas (Êx 31.10 e 39.41). Suas vestes falam de integridade, pureza e santidade diante do Senhor. Sem suas vestes, o sacerdote estava descaracterizado e inviabilizado para seu ofício. Para funcionar no serviço do altar as vestes do sacerdote não podiam fugir do padrão estabelecido por Deus, nem estarem sujas ou rasgadas.

 

Hoje nós, os que cremos no Senhor Jesus como nosso Senhor e Salvador, fomos por Ele feitos sacerdotes e sacerdotizas reais. Em 1 Pe 2. 5 lemos que somos sacerdócio santo. Logo, não podemos nos revestir com qualquer coisa nem de qualquer jeito. As exigências quanto ao carater do sacerdote permanecem. Porque é impossível que um sacerdote sem integridade possa restaurar altares. Para restaurar o carater sacerdotal é preciso um retorno à Palavra de Deus e a um discipulado ajustado, associados à decisão de ser restaurado!

 

b) RESTAURANDO O OFÍCIO SACERDOTAL.

O problema além das debilidades do carater é que muitos sacerdotes se tornaram inoperantes ou disfuncionais, isto é: não funcionam ou funcionam erradamente. Sacerdote existe para funcionar conforme os propósitos de Deus. O manto sacerdotal leva o sacerdote a desempenhar pelo menos 4 funções que precisam ser restauradas:

 

1- O sacerdote intercede.

O sacerdote é intercessor diante de Deus. Uma de suas funções é apresentar o povo diante de Deus, levando para Deus as questões do povo e trazendo para o povo as respostas do coração de Deus. É preciso restaurar o desejo de estarmos diante de Deus confessando e ouvindo de Deus o que precisamos ouvir e falar. Não há como restaurar o sacerdócio sem um retorno à presença de Deus. Como interceder se não tenho acesso à presença de Deus? Como levar alguém ou suas causas a Deus se eu mesmo não tenho acesso a Ele?

 

2- O sacerdote santifica.

Ser sacerdote é ser santo. O sacerdote santifica a si próprio, sua casa, o povo que Deus lhe confiou e as ofertas no altar. Não se restaura sacerdócio com uma vida de pecado, profanação, perda de integridade. Precisamos ser devolvidos à santidade de Deus para sermos santificadores e restauradores do altar. Afinal, como adorar (ministrar no altar) se não for em santidade? Como santificar o casamento, a família, o ministério, o trabalho e as finanças se não formos santos? Muita coisa foi profanada em nós e no nosso contexto porque negociamos a santidade.

 

3- O sacerdote ensina.

A Palavra de Deus nos diz que o sacerdote é mensageiro do Senhor e quando não ensina o caminho da paz, retidão e santidade, não cumpre o seu papel (Malaquias 2.6-7). O sacerdote é um santo e reto construtor e edificador de paz.

 

Ele discipula com suas palavras e com a sua vida! A boca e a vida do sacerdote precisam destilar conhecimento de Deus e boa instrução, para apartar da rota da iniquidade sua casa e seu ministério, de modo que pela sua palavra e atitudes, o seu casamento, a sua casa e o seu ministério sejam conduzidos ao território da colheita fiel.

 

4- O sacerdote avalia.

Por causa do temor e tremor de Deus, o sacerdote pode avaliar sua vida, sua casa, o povo, as ofertas e tudo o mais, segundo os princípios da Palavra de Deus. Era ele quem decretava se alguém, sua casa e suas ofertas estavam em linha com os propósitos de Deus. Avaliar a casa era uma das principais funções sacerdotais.

 

Precisamos retomar o caminho da avaliação pessoal e coletivo segundo os valores de Deus estabelecidos na Sua Palavra. Há muito sacerdote declarando profano e sem valor aquilo que é santo ao Senhor e declarando como santo aquilo que o Senhor tem por profano e iniquo. Basta de avaliarmos nossa vida, casamento, família, ministério e tudo o mais que o Senhor nos permitir administrar pela pior medida e pelo menor valor.

 

Um sacerdote estará apto a restaurar altares quando ele mesmo estiver restaurado diante do Senhor. Quem não for restaurado no sacerdócio não será restaurador de altar! Quando o sacerdócio é roubado do carater e da função, fica comprometido e não pode cumprir o seu papel diante de Deus, nem diante do cônjuge, da família e do seu povo, inviabilizando a rota das maravilhas de Deus, que traz colheita fiel no casamento, na família, na igreja etc. Se o sacerdócio pessoal funciona, a santidade, o ensino, a paz e a intercessão estão presentes no casamento e na casa, e o caminho da manifestação do sobrenatural de Deus está aberto. Aleluia!

 

No amor do Senhor do Altar.

 

 

Aps Aurelio Jesus Santos e Susana M. B. Santos.

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

  • Você pode afirmar que tem o carater e o ofício sacerdotais ativos em sua vida?

  • O que falta a você para que o carater do verdadeiro sacerdote seja uma realidade?

  • Quanto ao ofício sacerdotal, em quais funções você precisa ser restaurado?

  • O que você efetivamente fará, a partir de agora, quanto a ser um sacerdote restaurado que restaura altares (no casamento, família, ministério, discipulado, célula etc)?

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES