23/08/2015

 

 

NO ANO DA RESTAURAÇÃO DO ALTAR
PRECISAMOS SER APROVADOS NAS PROVAÇÕES
(Tiago 1.2)

 

 

A epístola de Tiago é uma chave tremenda no Reino de Deus. Neste livro o Espírito Santo parece focar nos pontos práticos cruciais da vida cristã. Esta epístola deveria ser leitura diária de todo cristão.  É como se houvesse um descortinar da prática cristã, e pudéssemos ter acesso às realidades espirituais que transformam a caminhada do ser humano.

 

No capítulo 1, verso 2, o autor apresenta uma frase muito importante “..considerai motivo de júbilo o fato de passardes por diversas provações...”. Perguntei a Deus: “ok, Deus! Se devemos nos alegrar por passar pelas diversas provações, então me diga, por que somos provados? Aliás, o que é provação? Por que sou tentado? Há algum diferença entre provação e tentação?”

 

Como resposta às minhas perguntas, Deus me conduziu pelos versos 2 ao 4 e 12 ao 16. O primeiro esclarecimento é que todo teste é concebido e administrado por uma mente, possui um mentor. Se este teste vem de Deus, então estamos em uma provação; se o teste vem do Diabo, deparamos com uma tentação.

 

A provação vem da parte de Deus, opera sobre a nossa fé e busca nosso aperfeiçoamento como cristãos. Deus espera que, após passarmos pelas provações, Suas virtudes estejam impregnadas em nosso caráter. A maior virtude que um ser humano pode ter é a de possuir o caráter de Cristo.

 

Contudo há um outro teste, a tentação. Assim como a provação, existe uma mente por trás e, o nome de seu mentor é Diabo. A tentação vem do maligno, opera sobre a nossa carnalidade e busca o nosso aperfeiçoamento como mundanos. O maligno espera que, após passarmos pelas tentações, tenhamos nosso caráter moldado segundo o seu.

 

As provações de Deus provam a nossa fé. As tentações do diabo provam a nossa carnalidade. Somos espírito, possuímos uma mente e habitamos num corpo. Nosso espírito busca se mover em Deus, mas nossa carne tem afinidade com o mundo. O grande problema é que em nossas vidas, parece que os dois testes vêm ao mesmo tempo. Quando nos deslocamos, nos movemos no espírito, mas nem sempre estamos com a carne sujeita à vontade de Deus. Por esse motivo é que, ao sermos provados por Deus, nossa carnalidade se expressa.

 

Nos versos 9 e 10 do capítulo 1, o autor nos apresenta dois exemplos: “... o irmão pobre, se glorie em sua dignidade; o irmão rico, em sua humildade...”

Numa situação de escassez nós somos provados em nossa dignidade! Somos levados a ponderar entre o “ter” e o “ser”. Quando nos vemos privados das coisas que chamamos de necessidades básicas do ser humano, começamos a questionar quem nós somos! Muitos de nós nessa hora se vêem como pequenos, vermes, incapazes, menores, etc. O problema não é o passar pelas privações, mas quando as experimentamos começamos a olhar diferente para nós mesmos e para o nosso próximo. Neste ponto, o que está passando por privações, começa a negociar sua dignidade! Começa a se vender! A prostituição aparece em sua vida! Não necessariamente a prostituição sexual.

 

Nessa condição o roubo passa a ser uma possibilidade e, a primeira pessoa a quem roubamos é a Deus. Deixamos de ser fiéis nos dízimos e nas ofertas. Dizemos “... eu não tenho para mim! Vou dar para Deus?! ...” Hipócrita! Porque você não devolveu o que é de Deus, é que você não tem! De todos os mandamentos de Deus, de todas as suas promessas, o que está escrito em Malaquias é extraordinário! Quando o assunto é dinheiro, Deus nos autoriza a fazer prova dEle! A Palavra nos diz que Ele, o Senhor, abriria as janelas do Céu e derramaria bençãos sem medida!

 

A privação na mente de Deus é uma oportunidade de aumentarmos nossa dependência dEle; uma oportunidade de buscarmos mais Sua presença e sermos consolidados em Seu caráter. Mas porque nos vemos em uma situação ruim, o Diabo acha espaço na nossa carnalidade para disparar os gatilhos da tentação, nos levando a negociar nossa dignidade de Filhos de Deus! Leva-nos a questionar quem nós somos? qual a nossa importância para Deus? Começamos a dizer: Deus não me ama! Nesta hora a inveja começa a aparecer em nosso coração! Começamos a fazer comparações. Olhamos para nosso irmão e dizemos “por que ele tem e eu não?” Nesse ponto nossa Provação foi tendenciada para uma tentação!

 

Mas a provação não está apenas na escassez! Quando temos em abundância também somos provados! Nesse ponto nossa prova está no âmbito da humildade. Quando temos, começamos a julgar o irmão que não tem! Ou começamos a nos separar dos demais, nos elitizando! Neste momento a provação pendeu para tentação. O diabo achou caminhos em nossa carnalidade! A soberba e a vaidade foram acionadas!

 

Como foi dito antes, a epístola de Tiago é muito didática ao nos apresentar o caráter prático da vida cristã. Ela explica porque o Diabo encontrou legalidades em nossa carnalidade! O texto mostra que isso ocorre, porque não estávamos munidos de algo muito importante: a sabedoria! Nos versos 5 a 11 do capítulo 1, Deus nos fala de como devemos buscar a sabedoria dEle! Provérbios 1.7 diz que o temor do Senhor é o princípio da sabedoria. Salmos 14.2 mostra Deus procurando as pessoas que buscam a sabedoria divina. A Palavra de Deus nos diz que toda provação vem acompanhada pelo livramento!

 

A sabedoria não está no conhecimento, mas na intimidade com Deus! Ao passarmos pelas provações devemos buscar em Deus a sabedoria para sermos aprovados. O problema é que, ao nos vermos em provações, buscamos a nossa própria sabedoria, ou a sabedoria do mundo! Esse é o gatilho que o Diabo usa para disparar em nossas vidas suas tentações!

 

Ao provar nossa fé, Deus trabalha em nossa perseverança. Sendo uma virtude humana, precisamos consagrá-la ao Senhor! A perseverança precisa ser plena, ou seja, não podemos desistir antes da hora! Há pessoas que, em virtude das necessidades, mostram uma determinação extrema e perseveram até observarem os primeiros resultados. Neste ponto se acomodam e estancam. Os primeiros resultados não são o objetivo final, são apenas marcos no caminho! Devemos prosseguir até que a vontade de Deus seja plenamente realizada em nossa vida! Ele busca formar em nós o caráter de Cristo! Porém, as legalidades de nossa alma não tratada, associadas à nossa negligência em buscar a sabedoria e o poder de Deus, geram em nós os gatilhos que o Diabo usa para disparar as tentações!

 

Lendo a epístola de Tiago podemos identificar pelo menos quatro situações práticas da caminhada cristã onde a provação pode ser tendenciada para a tentação:

  • Dignidade e da Humildade (Tiago 1.9-10): quando passamos por escassez somos provados em nossa dignidade; quando passamos por abastança somos provados em nossa humildade.

  • Acepção de Pessoas (Tiago 2.8-9, 12-13)

  • Fé e Obras (Tiago 2.14,18-26)

  • Governo da nossa língua (Tiago 3.5-10)

 

Em meio às nossas provações, precisamos nos questionar se somos cristãos que discriminam ao próximo! Quando falamos de discriminação, não necessariamente estamos nos referindo a preconceitos quanto a diferenças de raça, credo, sexo, etc, e sim se enxergamos nosso irmão como a nós mesmos, porque se não fazemos isso, estamos matando a lei da vida que saiu da boca do próprio Jesus ao dizer que precisamos amar ao nosso próximo como a nós mesmos! É tempo de nos prepararmos para uma revolução em nossas vidas porque quando entendemos os mecanismos de Deus e do Diabo e a repercussão disso nos nossos relacionamentos interpessoais, entendemos que as provações acontecem para testar o nosso nível de aceitação e relacionamento com o nosso próximo, pois a Palavra nos questiona como podemos amar a Deus a quem não vemos se não amarmos ao nosso próximo a quem podemos ver? Se não conseguirmos ver o nosso próximo como um igual a nós, como conseguir ministrar a essa pessoa? Como servir a alguém se nos vemos maior que ele? Só há um jeito de ser aprovados nisso: deixar que a fé fale mais alto que as circunstâncias que nos confrontam! É ver uma pessoa que tem tudo o que nos levaria a discriminá-la e dizer: decido amá-la como Cristo me ama! Faça uma pergunta a si mesmo: se eu fosse Cristo, amaria alguém como eu? Se não fosse a misericórdia de Deus, já estaríamos mortos!

 

A provação também recebe uma outra denominação em Tiago! É como um espelho que revela a nossa face! Muitas vezes nos olhamos e logo nos esquecemos de quem somos e por isso precisamos da perseverança! Para não interromper o processo de Deus no nosso caráter!

 

Para nos expor a essa transformação é preciso gastar tempo em comunhão com Deus! Não como quem ajoelha 2 horas com a mente preocupada com outras coisas, dispersos, porque quando damos vazão às nossas preocupações (que são legítimas) no tempo em que dedicamos a Deus, deixamos o Diabo transformar coisas nobres em anátemas! Nesse momento tiramos Deus do lugar dEle para colocarmos algo muito pequeno! Nessa hora fomos reprovados na nossa fé! Outras vezes podemos negociar o tempo com a Presença de Deus em função do trabalho ou até mesmo do pastorado! Deus precisa ser prioridade na nossa vida! Se não for assim, nada do que fizermos terá sentido ou juízo! Seremos loucos se andarmos na terra com Deus fora do centro!

 

Um outro nível de provação se refere à nossa língua porque nela há gatilhos para a carnalidade e morte! Abrimos a boca para promover maldição porque nos movemos pela ira! Precisamos ser prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para nos irar porque Tiago diz que a ira do homem não promove a justiça de Deus e de uma única fonte não pode jorrar benção e maldição! Quando nossa carnalidade se expressa, o Diabo abre caminhos de tentação e o que era provação de Deus para nos aprovar pode nos reprovar!

 

As Provações testam a nossa fé. As Tentações testam a nossa carnalidade! Temos escolhido o mentor certo em nossas vidas? Que o Espírito nos leve a essa resposta avaliando 3 níveis de atitudes (à luz da epístola de Thiago) em nossas vidas: inveja, rivalidade e ambições egoístas! Se ao sermos provado por Deus, nossa carne encontrar latência nesses pontos, caímos em tentação quando era para sermos aprovados por Deus!

 

No amor do Senhor,

 

Pastores Marco Aurelio e Polyana

 

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

  • Quem tenho escolhido como mentor da minha vida?

  • Tenho me movido por inveja, rivalidade e ambições egoístas?

  • O que eu farei com base em Tiago para ser aprovado nas provações?

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES