É TEMPO DE REFORMA! CUIDADO COM AS FLECHAS DO INIMIGO!

(2 Cr 35.18-24)

 

Deus nos chamou para sermos flechas polidas em Suas poderosas mãos e não para sermos flechados. Josias se tornou o rei jovem mais famoso de toda a história. Foi mais correto nos seus atos do que Davi. A Bíblia não relata sequer um caso de imoralidade ou malignidade na vida de Josias, mas relata na vida de Davi. Também não há um relato de batalha que tenha sido feito pelo seu próprio entendimento, até que decidiu entrar numa guerra e foi flechado.

O problema não é guerrear, mas entrar nas guerras erradas, ou seja, naquelas em que Deus não nos mandou entrar. Quando entramos no reduto do inimigo sem o consentimento de Deus, envolvemo-nos em armadilhas. O inimigo sempre tentará nos induzir a entrarmos em guerras que não são nossas. Por isso, devemos treinar a fé e vigiar o tempo todo, porque o diabo sempre está procurando uma chance para nos atingir e nos flechar.

Josias fez grandes reformas em Judá, inclusive religiosas. Restaurou as festas, entre elas a Páscoa, que a celebrou de tal forma que nenhum rei, antes ou depois dele, conseguiu superar. Mas, mesmo depois do templo restaurado e de ter sido tremendamente usado para as reformas necessárias em Judá, o inimigo atingiu Josias e o matou. Isso mostra que, mesmo reformados e como reformadores, podemos ser flechados e mortos, se não ouvirmos a voz de Deus para determinadas decisões.

Josias foi um rei que fez a reforma do templo como ninguém fez. Que celebrou uma Páscoa como ninguém. Que reformou o sacerdócio em Israel como ninguém reformou. Que fez coisas grandes que nem o seu pai, nem o seu avô, nem seu bisavô fizeram. Foi um rei reformador como nenhum outro, mas morreu flechado!

 

POR QUE JOSIAS MORREU?

Sem questionarmos a soberania e os propósitos de Deus, vemos que muitas vezes homens e mulheres de Deus, como consequência de suas próprias decisões, entram em situações muito difíceis, ficando, inclusive, expostos à morte, como aconteceu com o rei Josias. De olho no texto bíblico, vemos que o que aconteceu com ele pode acontecer com qualquer outro, inclusive com aqueles que são muito usados por Deus para grandes reformas. O texto bíblico mostra pelo menos 3 motivos pelos quais Josias entrou em situação de alto risco:

 

1. SUBESTIMAR A FORÇA DO INIMIGO E NÃO OUVIR A DEUS.

Neco disse para Josias que não era contra ele que Deus o havia enviado: "Não vou contra ti hoje, mas contra a casa que me faz guerra; (...) cuida de não te opores a Deus, que é comigo, para que Ele não te destrua" (2 Cr 35.21). Mas Josias não lhe deu ouvidos. Ele subestimou a voz do inimigo. Provavelmente estava ensoberbecido por desfrutar de tanto favor de Deus. A soberba fecha nossos ouvidos, principalmente para as questões espirituais. Josias não foi capaz de avaliar se o que o rei Neco disse estava ou não em linha com os propósitos de Deus. Há momentos em que Deus usará os inimigos como vara de correção e, nestes casos, jamais devemos nos posicionar contrários aos propósitos de Deus. Nessas horas o inimigo ficará mais forte do que nós!

Muitas pessoas, até bem intencionadas, acabam agindo como Josias agiu. Por causa dos seus históricos de vitórias, e até de alguma soberba, encaram o adversário sem avaliar a situação nem medir as forças dele. Há pelo menos três regras de ouro na questão da batalha espiritual que Josias negligenciou:  a) jamais subestime a força do inimigo!, b) as vitórias de ontem não garantem a vitória de hoje! e c) quanto mais vitórias, mais humildade, mais dependência de Deus!

 

2. ENVOLVER-SE EM GUERRA ALHEIA SEM CONSULTAR O SENHOR.

Josias não buscou a orientação de Deus para ir para aquela guerra. Está escrito no capítulo 35 e anteriores que todas as vezes que Josias pediu conselho, foi vitorioso. No dia em que se sentiu suficiente demais para entrar numa guerra sem consultar o Senhor, foi derrotado. Ninguém é vencedor, nas questões espirituais, porque vence qualquer guerra, mas porque vence as guerras certas.

Claro que somos guerreiros, mas guerreiros nas guerras do Senhor. Deus nos chamou para ouvir a Sua voz antes de qualquer investida nossa. Sob a comissão e a orientação dEle, podemos até tomar uma guerra de outra pessoa, desde que ela queira viver em santidade e sair do jugo do inimigo. Mas jamais devemos abrir a legalidade de tomar a causa de alguém que queira continuar debaixo do jugo do diabo ou que está debaixo da intervenção de Deus. Antes de entrar em guerras de outra pessoa procure ouvir a Deus pessoalmente e através de sua liderança (discipulador, pastores).

 

3. USAR UM DISFARCE.

Nossa principal garantia de vitória é agir dentro do propósito de Deus para nós. Josias foi chamado para ser prioritariamente um reformador e não guerreiro. Josias tinha o seu exército, seus generais e seus homens de guerra, mas ele decidiu entrar na guerra errada, disfarçou-se de guerreiro, enganou a todos e foi flechado mortalmente (2 Cr 35.22). O fato é: quanto mais disfarçado, mais fácil de ser flechado.

Esse é um tempo de reforma, tempo de grandes mudanças pessoais. É tempo de reformas no carater! Chega de disfarces! Esteja onde estiver, assuma sua identidade em Cristo e a sua fé nEle. Jamais se envergonhe do Evangelho de Jesus Cristo! Você é uma legalidade do Reino de Deus no planeta, então assuma sua postura profética e denuncie-se como tal. Assuma a sua identidade de filho do Deus Todo-Poderoso! Enfrente o inimigo com unção e a cara nova que Deus lhe deu. Se você é um filho de Deus, então não vá para o mundo disfarçado de mundano, nem para a Igreja disfarçado de crente.

Josias foi flechado porque quis ser o que não foi chamado para ser. A nossa unção nos ajusta no propósito de Deus e é a nossa garantia de êxito quando estamos no lugar certo fazendo a coisa certa. Quando saímos do propósito, saímos da unção, ficamos vulneráveis e facilmente seremos flechados. Muitos são flechados porque querem ser o que não são, e isto por causa da cobiça, de uma identidade confusa ou pelo medo de serem o que deveriam ser.

Assuma sua identidade, sua unção e o seu chamado. Decida ser sempre encontrado dentro do propósito de Deus a seu respeito. Lembre-se que a unção de Deus na nossa vida faz pelo menos três coisas: a) nos ajusta no funcionamento do Corpo, b) dá sentido ao nosso propósito e c) é o escudo que nos livra das flechas inimigas.

Embora todos sejamos chamados pelo Senhor para ganharmos vidas, discipulá-las e termos células, é claro que há objetivos diferentes para cada um de nós no serviço dentro do Corpo. Evangelizar é dever de todos, mas, na hora de servir, os chamados são diversos: batalha espiritual, cura interior, restauração familiar, dança, música, administração, ministério quíntuplo e assim por diante. Deus lhe firmará no carater, numa identidade sadia e você não andará com disfarces. Ajuste-se ao propósito e o escudo do Senhor estará em você e o inimigo não vai flechá-lo. Você o vencerá na autoridade do nome do Senhor Jesus Cristo.

 

No amor do Senhor da reforma.

 

                                               Aps Aurelio Jesus Santos e Susana M. B. Santos.

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

1- Você entende que em tempos de reforma, principalmente no aspecto pessoal e familiar, o inimigo se levanta e é necessário travarmos guerra contra ele?

2- Dos três aspectos negativos encontrados em Josias, que o expuseram às flechas do inimigo, em quais deles você tem se encontrado?

3- O que você efetivamente fará, a partir de agora, quanto a não se tornar alvo facil para as flechas do inimigo?

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES