19/10/2014
 
ONDE ESTÁ O TEU TESOURO?
(Mateus 6.19-21)

 

 

           

Tesouro é, via de regra, algo de valor, que assume um grande significado para alguém. Algo que se guarda com zelo, para que não seja destruido e nem se perca ou seja roubado.

 

Na antiguidade, os tesouros eram guardados escondidos, enterrados em lugares especiais, lugares secretos que só os respectivos donos do tesouro conheciam. Quando deles o dono precisava, então os desenterrava, isto é: cavava novamente o lugar onde os escondera e de lá os retirava.

 

Porém, como o níveis de proteção e segurança eram pequenos, havia uma preocupação constante do dono do tesouro escondido com os ladrões. Por estar enterrado, o tesouro também estava exposto aos fatores naturais de desgaste (frio, calor, umidade etc) e aos ataques de animais destruidores (traça, cupim etc), o que certamente também causava preocupação ao seu dono. Enfim, ter um tesouro na terra era algo que trazia preocupação e grandes riscos, inclusive de perdê-lo. O coração de quem tinha um tesouro nessas condições vivia em constante aflição e pesar.

 

Jesus então nos diz, no texto, que essa prática comum não deveria fazer parte da vida daqueles que andavam com Ele, daqueles que deveriam ter como prioridade o Reino do céu. O Mestre afirma que os nossos tesouros devem ser aqueles que podem ser ajuntados no céu e não sobre a terra, onde estão em constante ameaça de destruição ou roubo.

 

TESOUROS NA TERRA OU NO CÉU?

Jesus diz que o problema não está em ajuntar coisas de valor (tesouros), mas em ajuntá-los na terra e não no céu. O tesouro não tem necessariamente um valor intrínseco absoluto, pois pode até nem ter valor específico algum, a não ser para quem o tem. Assim, algo que não tem valor algum para o mundo inteiro, pode ser um verdadeiro tesouro para alguém.

 

Jesus não Se preocupou em avaliar se o tesouro tinha ou não valor em si, mas para a forma como as pessoas se relacionam com seus tesouros. Ter algo de valor e dar valor a algo é uma coisa, mas fazer deste algo um tesouro em nossa vida é outra bem diferente.

 

Quando é que algo passa a ter um valor tão significativo ao ponto de se tornar um tesouro para alguém? Quando esse algo atrai o coração dessa pessoa. Sempre que algo prende o coração de alguém, isto se torna um tesouro para ela. Jesus disse que onde estiver o nosso tesouro, aí estará também o nosso coração.

 

Nosso coração está onde enterramos nossos tesouros, onde escondemos aquilo que para nós tornou-se extremamente importante. Dependendo de quem somos ou como estamos, vamos valorizar coisas da terra ou do céu e o nosso coração então poderá voltar-se para a terra ou para o céu. O que eu escondo na terra é da terra, mas o que eu escondo no céu é do céu. Não se pode “enterrar” no céu o que pertence à terra, como também não se pode “enterrar” na terra aquilo que pertence ao céu.

 

Jesus nos diz que o meu tesouro atrai o meu coração; se ele for tesouro terreno, atrairá o meu coração para as coisas terrenas, mundanas, mas se ele for celestial, atrairá meu coração para as coisas do céu! Onde estiver o meu tesouro, aí estará o meu coração. Se alguém valoriza (entesoura) coisas mundanas, carnais e malignas, nelas estará o seu coração. Por outro lado, se a pessoa valoriza (entesoura) as coisas espirituais, na direção delas também o seu coração se encaminhará.

 

O QUE É TESOURO PARA VOCÊ?

O que efetivamente é tido e valorizado por você ao ponto de se tornar um tesouro? O que está atraindo e aprisionando o seu coração? A resposta a tais perguntas revelará que tipo de coração é o seu. Muitas coisas, nobres ou não, podem assumir papel de tesouros em nossas vidas, ligando nossos corações à nobreza ou não.

 

Entesourar coisas no céu foi a instrução de Jesus. Por quê? Porque as coisas que cabem no céu, que são espirituais, são aquelas que levam o nosso coração para mais próximo do Senhor. Os valores ensinados por Jesus (como amor, longanimidade, misericórdia, perdão etc) são tesouros dignos de atrair nosso coração. O que Jesus quer é que nosso coração esteja ocupado com as coisas do Reino de Deus, que efetivamente nos abençoam e não geram angústias em nossas vidas.

 

Mas, infelizmente, há os que entesouram aquilo que não cabe no céu, como as coisas carnais, mundanas e malignas. São os que valorizam e se ligam às coisas materiais (como dinheiro, bens, riquezas) e aos sentimentos negativos como ódio, amargura, ressentimentos, rancor, inveja etc, levando seus corações a se contaminarem com tais coisas.

 

OS TESOUROS E O CORAÇÃO.

Vemos no texto que Jesus está tão preocupado com os tesouros em si, quanto está preocupado com nossos corações. Quem não se preocupa com o que valoriza e entesoura, acaba expondo o seu coração ao risco da dor, da aflição, do peso etc, vivendo uma vida aquém daquilo que poderia viver. Há muito sofrimento por causa daquilo que se entesoura.

 

Fica a pergunta: o que está atraindo ou ocupando o seu coração e exercendo controle sobre sua vida? Que tipo de valores (sentimentos, emoções etc) estão ocupando o seu coração?

 

Quem guarda tesouros no céu não se preocupa com traças ou ferrugem, porque lá não há corrupção, nem as coisas de lá se corrompem. Também um coração ocupado com as coisas do céu está imune e protegido contra os ataques do ladrão (Satanás), porque ele não conseguirá entrar lá para roubar, uma vez que lá não há espaço para ele saquear. Por outro lado, quem não entesoura no céu está com o coração no foco do diabo, que sempre é atraído pelas coisas carnais e mundanas.

 

Por isso, uma pessoa assim, que entesoura ódio, amargura, rancor, inveja, ressentimentos, rebelião, rejeição, feridas emocionais, justiça própria, riquezas, bens materiais, dinheiro, ministério etc, além de se afastar das coisas do céu, passa a ficar próxima do ladrão, que certamente afligirá seu coração, levando-a, inclusive, a proteger cada vez mais seus “tesouros”.

 

Seus valores e princípios determinam o seu critério de avaliação e o que tem ou não valor para você. Aquilo que você entesoura atrai e compromete o seu coração!

 

No amor do Senhor da Colheita Ampliada.

 

Aps Aurelio Jesus Santos e Susana M. B. Santos.

 

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

  • O que tem afligido o seu coração? É algum tesouro?

  • Quais tesouros você escondeu e que sabe que deles deve se livrar/

  • Quais valores do Reino de Deus precisam se tornar tesouros em sua vida?

  • O que você efetivamente fará, a partir de agora, quanto a viver em paz e sem aflições na alma?

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES