RELIGIOSIDADE: SEMENTE DE DESONRA QUE ROUBA A FIDELIDADE E COMPROMETE A COLHEITA!

Mateus 25.14-30

 

                2014 é o Ano da Colheita Ampliada pelo Princípio da Honra. Entramos num ano singular da nossa história, porque os que honram serão demasiadamente ampliados em suas conquistas. Aleluia! Caminharemos pelo ensino de rotas seguras, para que nós e nossa casa entremos nas colheitas ampliadas em todos os níveis.

                Pelo princípio da honra, veremos sonhos ressuscitados, pródigos voltando, territórios restaurados e discípulos restituídos. Quem decidir se mover por honra, pela honra semeada prosperará! Nesse Sermão Profético, iniciado em Mateus 23, dentre os muitos ensinos de Jesus, encontramos na Parábola dos Talentos um grande ensino sobre a semeadura da honra.

 

ALIANÇA É O FUNDAMENTO. A HONRA DA FIDELIDADE É O RESPALDO!

                Tudo acontece como resultado da nossa relação com Deus. Temos aprendido que a nossa relação com o Senhor se dá por meio de alianças e que sem fidelidade nenhuma aliança prospera e nem tampouco nos faz prosperar. Nesse Ano da Colheita Ampliada, mais do que nunca, se faz necessário uma vida de fidelidade ao Senhor e às alianças celebradas em Seu nome. Precisamos, em tudo, ser achados fiéis. Fidelidade a Deus e às alianças é uma semente de honra plantada que gera prosperidade.

                Muitas consequências desagradáveis têm ocorrido na vida de muitos discípulos, por causa da infidelidade em suas vidas. Semeiam a semente da desonra, sendo infiéis às alianças com o Senhor, a família, a igreja, os líderes, os liderados etc, e depois não entendem o porquê de tanta esterilidade em suas vidas. Uma das sementes mais importantes que precisamos semear é a da fidelidade, pois o Senhor quer nos abençoar com grandes colheitas, inclusive de almas, levando muitos perdidos e desviados aos Seus pés, e se não formos fiéis, não entraremos nestes níveis de conquista.

                Deus não estabelecerá infiéis, porque estes, ao exercerem sua autoridade, produzirão os frutos da infidelidade. Quem é infiel vai gerar conforme a sua genética de infidelidade, isto é: gerará frutos infiéis. Deus quer nos encontrar fiéis, para levantar uma geração de fiéis, uma geração de tementes ao Senhor, uma geração de transformadores de históricos. Você, discípulo da Manancial, faz parte desse grande projeto de Deus: levantar na Terra um exército de autênticos fiéis, que pela semeadura da fidelidade honrarão a Deus e ampliarão a sua colheita. Aleluia!

 

A RELIGIOSIDADE ROUBA A FIDELIDADE E COMPROMETE A COLHEITA.

                A religiosidade é uma semente de desonra a Deus. Ela é maligna, rouba a fidelidade do discípulo e compromete a sua colheita. O espírito de religiosidade arranca qualquer um da posição de fidelidade, porque lhe amortece a fé, o ataca com os argumentos e posturas de falso temor a Deus. Ele impede que a pessoa dê os passos de fé necessários para que a vontade de Deus se estabeleça tanto nela como através dela.

                Dentre as muitas maneiras de produzir infidelidade, e por conseguinte colheita mirrada, o espírito de religiosidade opera através de pelo menos três áreas: legalismo, medo e insubmissão e desobediência.

 

1- LEGALISMO:

                “Senhor, sabendo que és homem severo, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste” (v. 24). Típico do servo que conhece parte do perfil do seu senhor e usa isto para assumir uma posição de falsa piedade, com a intenção de impressioná-lo.

                O legalismo é mais ou menos assim: seria uma visão parcial e distorcida de Deus, revelando um Deus de leis e punições, jamais um Deus de graça e misericórdia. Através do legalismo, o espírito de religiosidade promove na vida do crente um temor de Deus que é falso, pois não o leva a fazer a vontade do Senhor, mas exclusivamente a sua.

                O legalismo impede a pessoa de desfrutar do amor, da graça, da misericórdia e das promessas de Deus, tão importantes para prosperarmos na caminhada espiritual. Por isso, o legalismo, além de corromper o relacionamento com Deus, alcança também os relacionamentos interpessoais, levando a quebras de alianças (com familiares, irmãos, líderes, liderados) e impedindo a pessoa de prosperar em muitas áreas.

 

2- MEDO:

                “Receoso, escondi na terra o teu talento. Aqui tens o que é teu” (v.25). O medo é uma constante na vida do infiel e do infrutífero, simplesmente porque o medo consegue paralisar a nossa fé. O medo é um dos mais fortes anticoncepcionais espirituais! Quando ele entra em ação, a fidelidade e a frutificação saem!

                Muitos se relacionam com Deus pelo medo e não porque foram abraçados pelo Seu amor. E por causa desse medo de Deus e de Seus juízos, ficam paralisados, travados na caminhada espiritual, olhando exclusivamente para as suas limitações e para um deus vingativo e rancoroso, que o espírito de religiosidade formatou em suas mentes.

                Por causa disso não rompem, não são libertos, não são curados. Em função do medo, não confessam pecados e nem se abrem diante do Senhor e de seus líderes, para mostrarem as suas debilidades e receberem a libertação e a cura que tanto necessitam. Ficam paralisados na colheita porque têm medo de confiar na graça, nas promessas e na misericórdia do Senhor. Vivem com uma aparência falsa de espiritualidade, acomodados, com a alma cheia de dor, mágoas, críticas e argumentos.

 

3- INSUBMISSÃO E DESOBEDIÊNCIA:

                “Respondeu-lhe, porém, o senhor: Servo mau e negligente, sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei? Cumpria, portanto, que entregasses o meu dinheiro aos banqueiros, e eu, ao voltar, receberia com juros o que é meu” (v 26-27).

                O legalismo e o medo abriram portas para que os argumentos entrassem na alma daquele homem, o que o impediu de fazer o que lhe era devido. Sempre que o espírito de religiosidade consegue injetar argumentos na alma de alguém, o caminho para a insubmissão e a desobediência está aberto e a consequência é infidelidade e esterilidade.

                Como vemos no texto, a obediência e a submissão à vontade do Pai são atos de fidelidade que honram ao Senhor e produzem, na vida do discípulo, frutos que o respaldam e estabelecem na presença do Senhor. Todo insubmisso e desobediente tem argumentos em sua alma, não vive em aliança, é infiel e, por isso, é infrutífero ou tem colheita mirrada.

                Deus está nos chamando a uma postura de fidelidade. Ele quer nos abençoar com uma colheita abundante e sobrenatural. Muitos colherão nesse ano o que não colheram em muitos anos de vida espiritual.

                Os discípulos de honra voltarão a sonhar os sonhos de Deus e entrarão num mover de colheita tremendo. As madres espirituais serão abertas e todo decreto de esterilidade, infidelidade, desobediência, insubmissão, legalismo e medo, que entraram na vida de muitos, cairão por terra, em nome de Jesus Cristo de Nazaré. Aleluia!

                Portanto, renuncie agora a todo governo de religiosidade, arrependa-se diante do Pai, receba o Seu perdão e levante-se para conquistas inimagináveis, para a glória do Senhor! Firme-se nas alianças e mantenha-se fiel ao Senhor, ao cônjuge, aos filhos e pais, aos líderes e liderados e à Igreja, porque Deus honrará você tremendamente. Creia que Deus se haverá contigo e lhe acrescentará uma colheita abundante jamais imaginada por você.

 

                               No amor do Senhor da Colheita Ampliada.

 

                                               Aps Aurelio Jesus Santos e Susana M. B. Santos.

 

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

  1. Você é crente fiel ou religioso?

  2. O que você fará, a partir de agora, de acordo com a pastoral, para renunciar à religiosidade e honrar a Deus com a semeadura da fidelidade para colher com abundância?

 

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES