18/10/2015

 

 

RESTAURANDO A UNÇÃO SACERDOTAL NO ALTAR LEGÍTIMO
PARA DESATAR A COLHEITA FIEL
(Salmo 133)

 

 

Neste texto observamos o olhar de Davi em direção ao altar restaurado. Tão logo sua visão se aproxima da revelação, sua vida é revestida do orvalho do Hermom. Foi quando se deixando perceber que o orvalho anuncia a ceifa nos campos, um tempo de bênçãos e colheita está se aproximando.

 

Podemos reiterar três aspectos importantes desta visão, que jamais poderão faltar no altar legítimo: A unção, o sacerdócio e o lugar.

 

1. O Óleo precioso: fala da unção

No altar legítimo existe uma única unção. A unção é incontaminada, pois sua fonte é única e vem do Senhor. E um dos seus benefícios importantes é quebrar o jugo sobre a vida do povo (Is 10:27).

Precisamos reconhecer a unção que tira o peso de nossos ombros e o jugo do nosso pescoço, e nos desata em direção à colheita fiel.

 

2. A identidade de Arão: fala de sacerdócio

Entre a unção e o altar há o sacerdócio (Êx 28:41-43), que cumpre um propósito, ou seja, identifica o oficio sacerdotal. A estola de Arão servia para que o povo identificasse que o Senhor, pela Sua unção, havia separado um serviço a partir do altar.

 

Em Levítico vemos algumas ministrações de sacrifício que o sacerdote provia no altar (Lv 3 a 7):

  • Ministrar pelos pecados por ignorância;

  • Ministrar pelos pecados ocultos;

  • Ministrar pelos pecados de sacrilégio;

  • Ministrar pelos pecados voluntários;

 

3. Os montes de Sião: fala do Lugar

“Ali, ordena o Senhor a sua bênção...” (vs3).  Existe o “Ali”, o lugar específico de Deus para nossa bênção. O Senhor sempre prepara seu altar no lugar onde a unção fluirá través do sacerdócio estabelecido.

 

Muitos têm perdido a revelação que a Casa do Senhor é um dos lugares específico para a manifestação do poder de Deus, perdeu-se reverência, zelo e o temor. Jesus destruir o templo para restaurar de forma legítima a Casa do Senhor. O novo sentido do templo não provém do projeto que Deus deu a Salomão, agora todo lugar Santo deverá ter o sentido da Cruz. O lugar que Deus me levou a congregar é o “Ali” para minha restauração. “Ali” em meio à congregação esta a unção e o sacerdócio que desata minha vida aos pés da Cruz.

 

Como dito em 1 Pedro somos reino e sacerdócio, portanto legítimos para a restauração do altar, na visão plena de uma unção que nos cobre e nos capacita para as reformas transformadoras em nossa vidas.

 

A história de Ana (1 Samuel 1) nos dá a experiência para esta revelação e transformação de vida com base na ação completa da unção, sacerdócio e o lugar.

 

Ana sofria, vivia desgostosa e desanimada, a ponto que não comia; não só ela era infeliz, mas fazia com que seu marido Elcana também se tornava infeliz. Muitas vezes não é o lugar que nos torna infelizes, mas sim a nossa infelicidade que torna o lugar em que vivemos em tristeza.

 

Ana buscou a Casa do Senhor, para fazer sua petição, para ser arrancada da esterilidade, e ser devolvida a sua porção de alegria.

 

O sacerdote Eli se equivocou em seu julgamento sobre o caráter de Ana, fez assim quando lhe acusou de ter bebido vinho. Porém o sacerdote identificou corretamente que havia uma embriaguez! Digo isto, pela resposta de Ana: “Sou uma mulher atribulada de espírito;...”;  as tribulações na alma nos deixa semelhantes aos embriagados, ficamos sem direção, tomamos caminhos errados, falamos o que não queremos e então fazemos o que não queríamos.

 

Ana ainda colocou: “Não tenha, pois, a tua serva por filha de Belial...” Belial tem por significância o que é indigno, ou ilegítimo.

 

O que nos torna legítimos para o altar é o Sangue do Cordeiro, pela via da Cruz que nos dá a identidade de Filhos de Deus. E por fim, Ana declara que tem falado pelo excesso de ansiedade e aflição.

 

Muitos estão enchendo os céus de suas cabeças com falas provenientes da ansiedade e aflição e tomando decisões precipitadas, o que demonstra não estar convicto que Deus é Fiel em suas promessas.

 

Mas algo importante aconteceu. Ana estava no lugar certo, fez sua confissão para alguém certo, e sendo assim, o Senhor desatou a unção que despedaçou seu jugo.

 

Creio que Deus vai desatar a nossa madre! Vai tornar nossa vida e territórios fecundos! É tempo de virada! É tempo do nascimento profético!

 

De Ana nasceu uma voz profética de Deus para Israel, para a congregação e para a vida de Ana. Samuel seria o profeta que devolveria a Israel a voz de autoridade e governo.

 

Tenho certeza que Deus te colocou no lugar certo e te separou um sacerdócio ungido e deixou preparado uma unção para ministrar sua vida no altar.

 

O reconhecimento pleno do altar, na visão do sacerdócio e da unção divina nos leva às confissões na CRUZ, QUE NOS LEVARÃO PARA OS TEMPOS MAIS FRUTÍFEROS DA NOSSA HISTÓRIA!

 

Nosso Senhor Jesus tornou a Cruz seu altar de sacrifício por onde ministrou a salvação; O Sumo Sacerdote, o Filho Deus, disse: “O Espirito do Senhor esta sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vistas aos cegos, para por em liberdade os oprimidos e apregoar o ano aceitável do Senhor” (Lc 4:18)

 

No amor do Senhor,

 

Prs. Henrique e Leila

 

 

PERGUNTAS PARA REFLEXÃO:

  • Você acha que pode ter errado no lugar onde o Senhor determina a sua benção?

  • Você tem confessado nos lugares e lideres legítimos para sua vida?

  • O que você efetivamente fará, para ter uma vida desatada em direção a sua benção e colheita fiel?

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES