15/06/2014
 
JERICÓ – CONQUISTA ESTRATÉGICA PARA AMPLIAR MINHA COLHEITA!
(Josué 6.1-5)

 

 

           

Esse é o Ano em que o Senhor ampliará a nossa conquista, mas é preciso não nos distrairmos no caminho. Há guerras tanto externas como internas, que precisam ser travadas corretamente, para que possamos entrar nesses dias proféticos de colheita ampliada.

 

Nenhuma batalha deve ser menosprezada, mas entendo que vencer as batalhas externas é menos dificil que vercer as batalhas internas. Porque quem não consegue vencer as guerras internas, as batalhas interiores, não consegue liberdade para romper nas batalhas exteriores, porque nossas derrotas interiores nos inviabilizam como conquistadores e administradores da conquista de muitos territórios, como casamento, família, células, ministério, finanças etc.

 

Temos sido ministrados em muitas áreas, tais como: fé, fidelidade, integridade, linguagem, onde, cremos, já temos obtido vitórias. Mas hoje o Senhor nos levará a uma das conquistas mais significativas para nossas vidas. Como Josué, vamos conquistar Jericó. Jericó era uma cidade estratégica naquela época e conquistá-la tinha importância relevante para os projetos de Deus para aquele povo.

 

POR QUE FOI IMPORTANTE CONQUISTAR JERICÓ?

Na rota estabelecida por Deus para a posse de Canaã, Jericó seria a primeira cidade a ser conquistada depois que o povo de Deus, já sob o comando de Josué, uma figura do conquistador da promessa e da herança, cruzou o rio Jordão e passou por Gilgal. Estava localizada numa depressão geográfica a 240m abaixo do nivel do mar, a 11 km para o norte do mar Morto.

 

Produzia bálsamo, mel, cedro, rosas e outros produtos aromáticos. Em grego, Jericó significa “lugar de fragrância”, “lugar de cheiro”. Mas espiritualmente seu significado é fortaleza, lugar de esconderijo. Era uma cidade de grandes fortalezas e muros muito altos, que escondiam tudo o que estava em seu interior. Tinha uma característica interessante: quando o medo e a insegurança chegavam e seus moradores se sentiam ameaçados, eles se recolhiam dentro de seus muros, fechando-se. Conquistar e destruir aquela cidade era estratégico para o povo de Deus prosseguir na conquista de Canaã por pelo menos cinco razões:

 

a- PORQUE NADA DO QUE HAVIA NELA AGRADAVA A DEUS.

No hebraico, Jericó significa “casa da lua”, ou seja: lugar da adoração à deusa lua. Ela, assim, representava a síntese da religião cananéia: idólatra, profana, iníqua, contrária à vontade de Deus. Tanto os seus habitantes como tudo o que estava dentro dela, além de não glorificarem a Deus, ainda poderiam contaminar e impedir que o povo de Deus progredisse na conquista da promessa. Por isso a ordem expressa de Deus para conquistar e destruir completamente aquela cidade, sem levar dela despojo algum.

 

b- PORQUE TUDO O QUE HAVIA NELA AGRADAVA AO HOMEM.

O Senhor sabia que o povo poderia se encantar com as muitas coisas “boas” que ela tinha. Seus produtos, seus aromas, sua fortaleza e sua segurança poderiam funcionar como impedimentos para a progressão da conquista, trazendo uma falsa impressão de vitória e sucesso, fazendo o povo dar-se por satisfeito com aquela conquista.

 

Como no grego Jericó significa “lugar de fragrância”, “lugar de cheiro”, Jericó poderia se tornar um lugar agradável e desejável ao povo de Deus, que se prenderia a ela e não prosseguiria no caminho da conquista. Essa é a base do humanismo: uma alma satisfeita e atendida com todas as “coisas boas” que deseja. Conquistá-la e destruí-la liberaria o povo de Deus da contaminação de Jericó, dos seus encantos e da segurança que ela trazia.

 

c- PORQUE NÃO SE PROSSEGUE NA CONQUISTA DEIXANDO FORTALEZAS IDÓLATRAS E HUMANISTAS ATIVAS NO TERRITÓRIO DA PROMESSA.

O Senhor queria que o povo soubesse que com os principados da idolatria, da feitiçaria e do humanismo ativos no território da promessa não se conseguiria prosperar na conquista. Seria uma ameaça constante de contaminação, encantamento e perversão para o povo, o que inviabilizaria todo o processo de conquista e consolidação da promessa.

 

d- PORQUE ERA UM TESTE DE APTIDÃO PARA CONQUISTAR.

Deus deu a ordem de destruir a cidade integralmente pelo fogo e pelo fio da espada, mas a estratégia de conquista seria sobrenatural: os muros de Jericó cairiam pelo poder de Deus, quando o povo gritasse. Com isto, o Senhor estava testando três quesitos importantes da vida de um conquistador: dependência, obediência e submissão a Deus. Sem essa primeira conquista o povo não progrediria no território da conquista. Eles precisariam destruir completamente a base da idolatria, da feitiçaria e do humanismo.

 

e- PORQUE O POVO PRECISAVA SABER QUE NADA É IMPOSSÍVEL PARA DEUS.

Aquela fortaleza toda, que passava a sensação de segurança e proteção, não seria impedimento para Deus e nem para o povo de Deus. Deus queria mostrar ao Seu povo que Ele era o Senhor e Deus dos exércitos e de toda a glória. O povo precisava saber que nenhuma ordem de Deus é impossivel para os que creem e andam em obediência ao Senhor. Por isso a maneira tão inusitada e improvavel de derrubar seus muros e fortalezas e conquistá-la.

 

POR QUE É IMPORTANTE CONQUISTARMOS “JERICÓ”?

A questão hoje não é geográfica, mas espiritual. Jericó é para nós uma figura da nossa alma. Assim como Jericó que se fechou por causa dos filhos de Israel, nossa alma se fecha por causa da nossa nova identidade. Sempre que nos levantamos como filhos de Deus e nos movemos em direção às conquistas, nossa alma se fecha, porque se sente ameaçada. Se não for conquistada pelos métodos do Senhor, a nossa alma sempre se oporá a toda conquista na terra da promessa. As muralhas e fortalezas da nossa alma precisam ser derrubadas; os inimigos escondidos atrás das muralhas precisam ser identificados e derrotados, em nome de Jesus, e todo o lixo encontrado nela precisa ser consumido pelo fogo, de forma sobrenatural.

 

O Senhor nos tem como vencedores e quer ampliar nossas conquistas na terra da promessa, mas, em primeiro lugar, precisamos conquistar nossa alma para Jesus e demolir tudo o que há nela que nos impede de prosseguirmos. O seu rei, o EGO, precisa ser derrotado. Seus valentes também: o ódio, a amargura, o ressentimento, a rebeldia, a insubmissão, a ira, os complexos, a rejeição, pensamentos iníquos e todos os outros. Não importa onde estejam escondidos os valentes da nossa alma (na mente, nas emoções ou na vontade), nosso papel como conquistadores do Senhor é desalojá-los e vencê-los, em nome de Jesus.

 

Lembre-se: somente quando “Jericó” cai aos pés do Senhor e todo o seu reinado é destruído, é que estamos totalmente livres para avançar e conquistar a nossa herança no Senhor. Nossa alma cheia de fortalezas e resistências tem sido impedimento para muitas das nossas conquistas pessoais, familiares, celulares, financeiras etc.

 

Deixe o Espírito Santo sondar sua alma e desalojar o ego com todos os seus valentes. Não tenha medo. Confesse ao Senhor cada uma das fortalezas e valentes da sua alma. Rejeite o governo deles sobre sua vida. Arrependa-se diante do Senhor por ter vivido tanto tempo sob o governo deles.

 

Peça perdão ao Senhor e perdoe a todos os que colaboraram para que tais valentes se formassem em você. Perdoe seus pais, irmãos, líderes, autoridades etc. Saia do território e da regência da alma. Dê hoje o seu grito de vitória sobre as fortalezas de sua alma e entre em níveis mais altos de conquista.

 

No amor do Senhor da Colheita Ampliada.

 

Aps Aurelio Jesus Santos e Susana M. B. Santos.

 

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

  • Você tem tido mais vitórias ou derrotas no campo pessoal, conjugal, familiar, ministerial e financeiro?

  • Dentre as 5 razões expostas na pastoral para que a sua “Jericó” seja conquistada, em quais delas você precisa crescer?

  • O que você fará, a partir de agora, quanto a conquistar a sua “Jericó” para prosseguir e prosperar nas conquistas de suas promessas?

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES