14/09/2014
 
RESTAURANDO O TABERNÁCULO DA ADORAÇÃO PARA DECLARAR A BONDADE DO ETERNO E ATRAIR A SUA GLÓRIA!
(2 Crônicas 5.11-14)

 

 

           

Para nos tornarmos conquistadores e desfrutarmos das promessas que o Eterno nos faz em Amós 9.11-15, é necessário que sejamos seus adoradores. Mas o que é ser um adorador? Como nos tornamos adoradores do Eterno? Buscando estas respostas, o Senhor nos levou a outros dois textos das Escrituras.

 

Em Amós 9.11 o Senhor diz que Ele levantará o Tabernáculo caído de Davi, reparará suas brechas e reedificará suas ruínas. Esse tabernáculo é um pouco diferente do tabernáculo que Deus ministrou a Moisés. Por isso, antes de falar sobre o tabernáculo de Davi é preciso voltar um pouco mais no tempo, para quando o Eterno instruiu Moisés a respeito do primeiro tabernáculo.

 

Em Êxodos 25 o Senhor chama Moisés à Sua presença e, por muitos dias eles permaneceram no monte do Senhor. Nesse período o Eterno apresenta a Moisés um projeto de uma edificação muito especial, um Tabernáculo. Deus passa a mostrar e a ditar para Moisés cada detalhe do projeto, dos pregos e estacas até aos tecidos e tinturas. O Eterno deu especial atenção aos detalhes, tudo era muito importante, pois esse local seria o ponto de convergência entre a humanidade e Deus, a comunhão seria novamente restaurada.

 

Deus sintetizou o projeto em três partes: Santo dos Santos, Santo Lugar e Pátio. Para cada um desses locais o Eterno deu especial importância. Vamos caminhar um pouco por esses lugares, pois eles nos mostrarão o caminho da adoração.

 

O Tabernáculo de Davi vai além do projeto, pois marca o nascimento de um novo estilo de vida em Israel: A adoração contínua e perpétua ao Eterno. Em II Crônicas 5 é apresentada a conclusão do tabernáculo de Davi pelo rei Salomão. Davi entesourou bens em abundância para edificar uma casa para o Eterno, porém Deus não permitiu que Davi fizesse tal obra, pois era homem de guerra. Apenas o filho de Davi poderia edificar uma casa para Deus.

 

Salomão, filho de Davi, reinou após seu pai. Salomão quer dizer Paz (Shalom). O reinado de Salomão pode ser descrito como o reinado de shalom, ou da paz. Apenas quando o Reino da Paz se instala é que se inicia e se conclui a edificação da Casa de Deus. Mas que casa é essa?

 

I Pe 2.5 diz que nós somos edificados casa espiritual com a finalidade de oferecermos sacrifícios santos e agradáveis ao Eterno, ou seja, NÓS SOMOS A CASA DE DEUS AQUI NA TERRA! Nós somos o lugar da Adoração!

 

Quando Jesus (a Porta) abriu o caminho do Reino de Deus em nossas vidas, Ele nos fez sua habitação e Se fez nossa habitação, abrindo o caminho para a nossa edificação como Casa de Deus e nos transformando de: quem éramos sem Cristo para o que devemos ser em Cristo.

 

Em Cristo nós somos Casa de Deus aqui na Terra! Porém ser casa de Deus é uma coisa e ser habitação de Deus é outra totalmente diferente. Nossa habitação é o local onde residimos, onde temos endereço. A intenção de Deus ao edificar uma casa para si é para fazer nela sua morada.

 

Quando olhamos para o texto de II Crônicas vemos que algumas coisas precisaram acontecer para que a Glória de Deus se manifestasse em Sua Casa. Quando houve acorde entre os instrumentos musicais e os cantores no tocante ao reconhecimento e proclamação da grandeza de Deus, houve o manifestar da Glória de Deus.

 

Nossas obras mostram a expressão de nossas almas. Tudo o que fazemos tem a assinatura de nossa alma. O artesão expressa sua alma por meio da execução de sua arte. No texto de II Crônicas o tocar dos instrumentos musicais e o entoar dos cantores representam a expressão da alma desses levitas. Apenas nosso espírito possui capacidade de interagir com Deus. Apenas nosso espírito tem capacidade de reconhecer a bondade e a misericórdia de Deus em nossas vidas.

 

Segundo o texto de Crônicas, quando houve o alinhamento entre o Espírito, a Alma e o Corpo dos adoradores é que a Glória de Deus encheu a casa.  Se nosso espírito está debaixo do Espírito de Deus, nosso mover atrairá a Glória de Deus em nossas vidas. Porém, é necessário que façamos uma pergunta para nós mesmos: Se somos casa de Deus, por que a Glória do Eterno não se manifesta sempre em nossas vidas?

 

Porque assim como a Casa de Deus está dividida em Santo dos Santos, Santo Lugar e Pátio, nós, que somos casa de Deus, somos divididos em espírito, alma e corpo. Ou seja, o nosso espírito está para o Santo dos Santos, assim como nossa alma está para o Santo lugar e nosso corpo para o Pátio.

 

No passado, quando a Glória de Deus se movia, o tabernáculo e todo o povo deveria seguir a nuvem do Senhor. Por isso, o tabernáculo era desmontado (de fora para dentro), mobilizado e remontado (de dentro para fora).

 

Cabe aqui um alerta para nós: sempre que Deus quer mover em nossas vidas, sempre que Ele quer nos mostrar a Sua Glória, Ele necessita que nós permitamos que Ele nos desconstrua de fora para dentro e nos reconstrua de dentro para fora.

 

Muitas vezes nossa carne nos impede de sermos alguém perante o Senhor, outras vezes nossa alma é o limite, ou nosso espírito pode estar morto, não conseguindo ouvir a voz de Deus. Porém quando a Voz do Senhor nos chama, somos alcançados por Seu Reino e tudo o que estava quebrado em nós começa a ser restaurado. Em nosso espírito o Senhor planta a semente da Casa Espiritual que Ele espera que sejamos.

 

Dentro do Santo dos Santos existe a Arca do Testemunho com as tabuas da Lei, o Maná e a Vara de Arão. Ou seja, quando Deus te Chama para Seu Reino, Ele já preparou sua identidade: Ele te vê alguém segundo o seu coração (tábuas da Lei), alguém provido por Ele de modo sobrenatural (maná), alguém com a autoridade restaurada (vara de Arão).

 

Deus começou a te remontar de dentro para fora. O espírito foi recriado (Santo dos Santos), mas a alma e o corpo precisam ser ajustados. É necessário que alinhemos nossa alma à vontade do Espírito Santo. Para isso precisamos entender o que existe no Santo Lugar: Uma mesa com pães especiais, um candelabro especial e um altar de incenso. Entre o Santo Lugar e o Santo dos Santos existe um véu.

 

A transformação de nossa alma começa quando passamos a nos alimentar do Pão Vivo (a Palavra de Deus), mas não basta apenas comer da Palavra, é necessário que a mesma seja iluminada pelo Espírito do Senhor, pois só assim nossas orações terão efeito, o véu que nos separa da intimidade com Deus será removido e passaremos a conhecê-lO.

 

Nosso problema é que preferimos o conhecimento humano à revelação da vontade de Deus para nossas vidas. Nos contentamos com a luz do saber! Temos nossa vontade sujeita ao consenso do coletivo e não à vontade de Deus.

 

É a Luz do Senhor que, lançada sobre a Sua Palavra nos sustenta e nos dá acesso ao coração do Pai. Não por força, nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor!

 

Quando nossa alma se alinha à vontade de Deus, nossas ações são santificadas pois são fruto de um coração que está alinhado ao coração de Deus.

 

Hoje Deus nos convida a restaurar seu tabernáculo em nós (desmontar e remontar nossa estrutura do jeito dEle) para que, como verdadeiros adoradores, alinhando espírito, alma e corpo como moradia dO Eterno, atraiamos Sua Glória ao declarar:

 

O SENHOR É BOM E A SUA MISERICÓRDIA DURA PARA SEMPRE!

 

No Amor do Senhor das nossas vidas.

 

Prs. Marco Aurelio R. Santos e Polyana M. B. Santos

 

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

  • Você tem sido tabernáculo vivo do Eterno?

  • Suas ações na terra têm atraído a glória de Deus?

  • O que você vai fazer a partir de hoje para permitir a construção do tabernáculo de Deus na sua vida?

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES