13/09/2015

 

 

DEIXAR O CAMINHO DE LÓ PARA RETOMAR A ROTA DA BÊNÇÃO DE DEUS!
(Gênesis 13.1-13)

 

 

Nossas decisões podem levar-nos para a bênção ou a maldição. Uma escolha errada e, sem perceber, estamos no local que Deus não planejou para nós. Isso aconteceu com Ló. Diz o texto que tanto ele como seu tio Abrão prosperavam, enquanto peregrinavam em direção à terra prometida por Deus a Abrão. Deus não falou diretamente com Ló, Deus falou com Abrão; quem tinha a promessa era Abrão, mas, por andar sob a direção de quem tinha a direção de Deus, Ló também prosperava.

           

Infelizmente, os pastores de ambos não souberam administrar o crescimento que Deus lhes dava e experimentaram crises por causa da prosperidade, da abundância das bênçãos. É triste, mas isso é o que ainda se vê na vida de muitos cristãos, famílias, ministérios e igrejas. Na medida em que prosperam pelas mãos de Deus, aumentam os conflitos relacionais, mentoriados pela inveja, competição, poder etc.

           

Às vezes, como no caso em questão, o crescimento, seja ele grande ou pequeno, pode gerar algum tipo de crise. Entretanto, crise não quer dizer necessariamente que deve haver contenda ou competição. Ao contrário, pode ser um tempo precioso para os ajustes necessários no nosso carater e para ampliarmos o nosso crescimento.

           

O fato é que crises exigem decisões e decisões denunciam uma de duas coisas: nossa maturidade, fé e espiritualidade ou nossa imaturidade, incredulidade e carnalidade. Diante da crise, Abrão tomou a decisão certa e, apoiando-se na sua fé no Deus que não pode mentir, chama Ló e entrega-lhe o direito de escolha. O imediatismo de Ló mostrou seu perfil carnal na hora da decisão; ele não se preocupou em abrir mão de suas conquistas para continuar na rota estabelecida por Deus para seu tio. Por que ele não transferiu a escolha/decisão para Abrão? Pessoas assim têm dificuldade de renunciar as benesses humanas para obter conquistas divinas.

 

NOSSA ESCOLHA DENUNCIA QUEM NÓS SOMOS!

A hora da escolha é o momento crucial em que vamos revelar quem realmente nós somos! Diz a Bíblia que Ló “levantou os olhos e viu”. Entendo que Ló viu mais do que uma linda paisagem. Não foi um simples olhar. Sua alma viu além do que os seus olhos puderam captar. Ao olhar para a campina à sua frente, Ló viu mais do que a beleza das coisas materiais, ele viu uma grande oportunidade humana para prosperar!

           

Ao levantar seus olhos, Ló levantou também sua razão, suas emoções, sua vontade. O que levou Ló tomar tal decisão? A sua alma dissociada dos propósitos de Deus. Certamente sua decisão foi baseada na ganância, avareza, insensibilidade, justiça própria, egoísmo, oportunismo, enfim, através dos seus conceitos humanos, carnais e mundanos. Ló desconsiderou os planos de Deus e decidiu ir para o local que agradou à sua carne (mente, vontade e emoções) e, sem perceber, instalou-se numa zona de perigo, fronteira ao pecado, próximo à Sodoma e Gomorra (cidades condenadas por Deus pelos seus muitos pecados - Gn 13.13; 19.12-13,27-29).

           

No momento da crise, Ló decidiu não mais continuar caminhando com Abrão, decidiu não mais andar debaixo da visão de Deus. Ló teve uma visão, mas não foi de Deus, foi carnal, segundo os seus interesses particulares. Ele também tomou uma decisão, mas foi baseada na sua alma e não nos projetos e propósitos de Deus. Ló, é um tipo de crente carnal, que andava na visão espiritual de Deus para Abrão, até que, na hora da crise, decide conforme seus valores humanos e sua visão carnal.

           

Como qualquer um que vive na fronteira do pecado, não foi difícil continuar “crescendo, prosperando”, até que sua carnalidade o fez entrar na terra do pecado. Aí está um ponto importante. Não creio que Ló planejasse viver na zona do pecado (Sodoma), mas sua visão imediatista, carnal (movida pelos sentimentos), não o deixou ver onde ele estava nem as consequências disso.

 

RESULTADO DO CAMINHO DE LÓ:

As consequências de se andar no caminho de Ló estão ligadas ao fato de que tal caminho não é o caminho escolhido por Deus para os Seus filhos e filhas. Creio que, como muitos, Ló achou que Deus o estava abençoando e aprovando suas ações e decisões, porque estava prosperando materialmente. Puro engano! Quem disse que amealhar bens e enriquecer é garantia de que Deus está abençoando e aprovando nossas decisões? O que Ló não sabia era que decidindo pela carne, ele também estava decidindo sair da visão de Deus para sua vida e sua família, que é muito maior do que o enriquecimento. Quem anda no caminho do Senhor sempre prospera e até pode enriquecer, mas nem todo que prospera e enriquece está no caminho do Senhor.

           

Ló agiu buscando agradar a si mesmo, às suas concupiscências, e ao final, amargou a PERDA e a MALDIÇÃO. Primeiro, no dia do juízo de Deus sobre Sodoma e Gomorra, Ló perdeu os bens materiais e a esposa, que vira uma estátua de sal durante a fuga dele com sua família do fogo destruidor. Segundo, já a salvo do fogo de Deus e sem a sua mulher, suas duas filhas planejam dar-lhe descendência e decidem conceber filhos do próprio pai; assim, por meio das filhas, Ló planta a maldição, tornando-se o pai de Moabe e de Ben-Ami, que por sua vez são os pais dos moabitas e dos amonitas respectivamente (Gn 19.30-38). Quando pais decidem viver no e com o pecado, geralmente a perda e a maldição visitam suas vidas e suas casas.

           

Não aja como Ló. Pare agora mesmo e reflita sobre seus caminhos e escolhas. Algumas decisões erradas podem produzir gerações malditas. Como está seu coração? Em quais rotas você está caminhando?

           

Esvazie-se de si mesmo, abrindo mão da sua razão, da sua lógica, dos seus sentimentos, da sua vontade, e busque a vontade de Deus para você e sua família, segundo a Bíblia Sagrada. Arrependa-se das escolhas erradas e assuma a direção de Deus para você e os seus. Quem sabe não é hora de sair de “Sodoma”, abrindo mão da rebelião, do ódio, da amargura, do ressentimento, da inveja, da vingança e assumir o caminho divino do amor, do perdão, da paz, da comunhão, da obediência e da submissão. Não importa quais ou quantas decisões erradas você tomou até aqui. Agora é a hora de mudar! Decida-se!

 

No amor do Senhor do altar e da promessa.

 

Aps Aurelio Jesus Santos e Susana M. B. Santos.

 

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

  • Seus caminhos em direção às conquistas está mais para o de Ló ou de Abrão?

  • O que lhe teria empurrado para caminho semelhante ao de Ló?

  • O que você efetivamente fará, a partir de agora, quanto a retomar o caminho da bênção divina em lugar do caminho da conquista humana?

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES