PENTECOSTES (SHAVUOT)

(Atos 2.1-13)

 

No dia 12 de junho desse Ano da Reforma (2016), celebramos Pentecostes. Pentecostes é uma das sete festas anuais de Israel. São chamadas de "as festas fixas do Senhor" ou "as festas de Jeová" (Levíticos 23.2). Essas festas eram decretos específicos de Deus para o Seu povo e não podiam ser negligenciadas. Não eram encontros acidentais dos israelitas, mas eram solenidades santas (Sofonias 3.18), que tinham lugar determinado (Salmos 74.8) e um tempo marcado (Êxodo 34.18). Significavam que Deus estava marcando encontros inegociáveis com o Seu povo!

            Pentecostes ou Festa das Semanas ou da Sega (Êx. 23.16) durava um dia e, para os cristãos, representa a descida do Espírito Santo e a formação da Igreja. É uma festa única que aconteceu há mais de dois mil anos e não tem repetição. Hoje nós celebramos aquele Pentecostes do cenáculo em Jerusalém.

É errado dizer, como muitos dizem, que esperamos um novo Pentecostes. Ele já aconteceu! O Espírito já desceu permanentemente sobre a Igreja e a Igreja já foi inaugurada. Não haverá um novo Pentecostes, mas um contínuo enchimento de cada crente com o Espírito Santo. Estamos todos, a Igreja de Jesus toda, debaixo do derramar do Espírito Santo. Pentecostes é um selo do início do ministério do Espírito Santo, do outro Consolador prometido por Jesus. (João 14.16-17).

 

PENTECOSTES E AS FESTAS DO SENHOR

 

As Festas do Senhor são memoriais para o Seu povo; algumas já ocorreram, outras ainda ocorrerão. Elas são uma espécie de recurso pedagógico de Deus para que o Seu povo compreenda os Seus propósitos e jamais se esqueça deles. Como são memoriais, celebrá-las, portanto, além de ensinar as gerações e manter vivo na lembrança os desígnios de Deus, é um ato de reconhecimento e gratidão a Deus pelo que Ele já realizou e uma maneira de nutrir a expectativa da realização do que ainda não ocorreu.

A primeira festa estabelecida por Jeová foi a Páscoa (durava um dia e tipificava a morte de Cristo - a redenção), no dia 14 do primeiro mês hebreu (mês de Nisan). A segunda, começando no dia 15 de Nisan, foi a dos Pães Asmos (pães sem fermento, durava uma semana e tipificava a vida cristã ou a vida perfeita de Cristo).  A terceira foi a das Primícias (durava um dia - o dia imediato ao sábado - 16 de Nisan, e tipificava a ressurreição de Cristo). A quarta festa do Senhor, a da Sega ou das Semanas ou do Pentecostes (que quer dizer quinquagésimo dia), celebrava-se sete semanas depois das Primícias, no primeiro dia depois da sétima semana (no quinquagésimo dia).

Essas quatro primeiras já tiveram seu cumprimento e podem ser aplicadas à Igreja. As outras três restantes ainda não se cumpriram e referem-se à nação de Israel: das Trombetas (o arrependimento de Israel, dia 01 de Tishri - o mês sétimo), do Dia da Expiação (a restauração de Israel, dia 10 de Tishri) e dos Tabernáculos (a reintegração de Israel, dia 15 de Tishri).

 

ASPECTOS RELEVANTES DA FESTA DE PENTECOSTES:

 

1- É uma festa da unidade (Atos 2.1).

Estavam todos reunidos em oração. Em obediência ao comando do Senhor, foram para Jerusalém e, ali, aguardaram o revestimento de poder prometido por Jesus. Aquela igreja nascente foi estabelecida pela obediência ao Senhor, unidade e comunhão significativas.

 

2- É uma festa do povo, de toda a Igreja (Atos 2.5).

Ali não havia acepção de pessoas. Não era uma festa das “elites sacerdotais”. O Espírito e a Igreja são para todos os que crerem.

 

3. É uma festa de perplexidades, de maravilhas (Atos 2.6).

Há manifestação do poder de Deus, primeiro dentro da Igreja e, depois, fora dela. É o Espírito Santo operando na vida dos fiéis, libertando-os do medo e da timidez, revestindo-os de poder, autoridade e intrepidez para pregar o Evangelho. É o selo da capacitação divina para cumprir o “IDE” de Jesus.

Por certo os discípulos de Jesus estavam acuados e, talvez, com sentimento de perda ou abandono por não estarem mais com a presença física de Jesus. Então, conforme a promessa do Senhor, o Espírito Santo desce sobre aqueles homens e mulheres, enchendo-os de poder e autoridade. Os sinais da presença do Espírito na Igreja a fazem ser vista pelos de fora, para a glória do Senhor.

É pela ação do Espírito Santo na vida dos fiéis que fica notório que Deus está operando num determinado lugar. A partir daquele momento, aqueles discípulos nunca mais foram os mesmos, pois tornaram-se agentes da manifestação do poder de Deus e da transformação da vida de muita gente.

 

4. É uma festa de colheita de almas (Atos 2.41).

Pentecostes marcou o “nascimento” da Igreja e da Sua missão de pregar o Evangelho da salvação em Cristo. Naquele dia memoravel, após a pregação de Pedro, quase 3.000 pessoas foram alcançadas pela graça salvadora. Pentecostes fala de colheita de almas, fala da expansão do Reino de Deus. Assim deve a Igreja cumprir a sua missão: debaixo do poder sobrenatural do Espírito Santo de Deus, alcançar os perdidos para Jesus.

Aproveite essa comemoração de Pentecostes para refletir a respeito de sua postura em relação ao Senhor e à Sua Igreja. É tempo de unidade, de reintegração, do sobrenatural de Deus, de perdão, de misericórdia. É tempo de encher-se do Espírito Santo, libertar-se do medo, timidez, comodismo e vergonha e cumprir o “ide” de Jesus. É tempo de abraçar os que estão dentro e buscar os que estão do lado de fora. É tempo de ser a Igreja do Senhor, que abre os braços para incluir a tantos quantos o Senhor alcançar. Ore e chore pelos que se desviaram; não esmoreça, porque Jesus não desistiu deles!

 

No amor do Senhor da reforma.

 

                       Aps Aurelio Jesus Santos e Susana M. B. Santos

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

1- Dos quatro aspectos relevantes de Pentecostes, listados na pastoral, em quais deles você precisa crescer?

2- O que efetivamente você fará, a partir de agora, quanto a viver a plenitude de uma vida cheia do poder de Deus e que cumpre a missão de alcançar os perdidos?

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES