AMPLIANDO A COLHEITA, HONRANDO A DEUS COM A ADORAÇÃO!

(Jo 4.23-24)

 

Todos nós queremos ampliar nossas colheitas, buscamos alcançar resultados expressivos. Isto é legítimo e, certamente, estando nos projetos de Deus, Ele mesmo Se empenha em nos abençoar nesse aspecto. Porém, como sempre temos dito, nosso Deus é um Deus de princípios; logo, tudo o que Ele faz obrigatoriamente está atrelado ao cumprimento dos Seus princípios. Na rota dos princípios somos autorizados a reivindicar nossos direitos junto ao Eterno, pois sabemos que Ele recompensa aos que se movem por princípios.

O Reino de Deus é muito mais do que um código de regras: é um Reino de princípios eternos. Não há como termos êxito na caminhada espiritual com Deus se não O honrarmos, obedecendo aos Seus princípios. A Palavra de Deus está repleta de exemplos de servas e servos de Deus que foram abundantemente ampliados em suas conquistas porque se moveram sob os princípios de Deus.

 

ADORAÇÃO É UM RITUAL DE HONRA AO ETERNO. 

 

A Palavra diz que Deus procura os verdadeiros adoradores, aqueles que O adoram em espírito e em verdade. Por esta definição, vemos que é possível existir os falsos adoradores, os que buscam adorá-lO na carne e longe da Verdade.

Adoração é um ato de fé, embalado pelo temor e tremor do Senhor. É buscar ser mais do que servo, filho ou discípulo; é buscar se achar no âmago de Deus; é um retorno à origem, ao começo de tudo, à Fonte inesgotável; é um desligar-se de si e de tudo, para ligar-se ao Princípio e ao Fim.

Adoração é a entrega total de si mesmo, um derramar-se integralmente na presença do Eterno, numa atitude de reconhecimento do amor, da santidade e da soberania de Deus. E o Senhor nos diz que não há como fazer isto se não for pelo Espírito e na Verdade! Adoração é uma ação espiritual, portanto, movida pelo Espírito Santo e baseada na Verdade, em que o adorador deposita honra aos pés do Senhor. Adorar é um ritual de honra ao Eterno! É conduzida pelo próprio Espírito Santo, não é carnal, não tem formatos humanos. Na carne ninguém adora; é preciso mortificar a carne para se entrar em adoração. Não há adoração sem sacrifício pessoal, sem renúncia! É por isso que adoração está vinculada a holocausto, sacrifício, morte; portanto, desvinculada de carnalidade e mundanismo.

Adoração é mais do que cantar, tocar, dançar, pregar, é morrer diante de Deus. Adorar é esvaziar-se de si mesmo e mergulhar na essência do Deus Eterno e Perfeito. Adorar é romper com os limites e as limitações da nossa humanidade e tocar no sobrenatural de Deus. Ela não depende de nossas habilidades, nem dos nossos sentidos e, menos ainda, da nossa mente, emoções e vontade.

 

ADORAÇÃO É UMA SEMENTE DE HONRA PLANTADA!

De Deus não se zomba; o que o homem plantar é o que ele colherá (Gl 6.7). Esse princípio vale para toda e qualquer semeadura, inclusive para as sementes de honra ou desonra. Ao adorarmos a Deus, estamos semeando honra no solo mais fértil de todo o universo, que é o próprio Senhor. Logo, a adoração ao Eterno é uma semeadura que é respondida com o favor e reconhecimento do Rei dos reis, ou seja, com perfeição e abundância.

Pela sua essência, sacrifício, a adoração coloca o adorador diante dos dois limiares fundamentais do Rei dos reis: o Seu trono e a Sua mesa. Do trono saem os decretos reais de justiça nos justificando e da mesa sai a provisão rica e ampliada do Rei nos suprindo milagrosamente. Por isso dizemos que na adoração, as nossas causas são julgadas e as nossas necessidades são fartamente supridas!

 

O QUE NOS IMPEDE DE HONRARMOS A DEUS COM A ADORAÇÃO?

 

a) O PECADO: Pecado é uma das maiores desonras a Deus. Ele torna-se uma barreira entre nós e o Senhor. Desde o princípio ele nos retira da presença de Deus. Desde o paraiso, o pecado tem impedido o homem de permanecer na presença de Deus. Por causa do seu pecado, Adão sentiu vergonha do Senhor e não compareceu na presença de Deus para a sua consolidação diária. Com pecado, ninguém adora a Deus e, portanto, O desonra!

 

b) O MUNDO: O mundo, ou este século, tem seu próprio sistema de coisas, um governo centrado no homem e nas suas capacidades e preferências, manifestando o humanismo. As ciências, filosofias etc formatam pensamentos, geram paradigmas e estabelecem códigos de conduta que rivalizam e se opõem aos princípios eternos do Reino de Deus. Envolvido no e pelo mundo, o homem dificilmente poderá honrar a Deus, pautando suas ações pelo Espírito e pela Verdade.

No mundo tudo é relativo, inclusive a verdade e a mentira, a honra e a desonra. Regido por expressões do tipo “não é bem assim” e “não tem nada a ver”, muitos mundanizam a adoração, tornando-a uma expressão humana destituída de santidade, temor e tremor. O mundo relativiza a essência da adoração e corrompe o perfil do verdadeiro adorador.

 

c) O DIABO: Desde o princípio que ele tenta roubar para si a adoração que é devida a Deus. Desde a sua queda, o diabo procura corromper o homem para afastá-lo da presença do Criador, tentando-o para mudar o foco e o propósito da adoração. Satanás sabe o que é adoração e como se deve adorar, por isso é exímio na arte de desviar o homem da verdadeira adoração.

Muitos têm sucumbido às tentações do diabo e edificado altares particulares de adoração, entronizando o ego, a vaidade, o dinheiro etc. Na intenção de se derramarem na presença de Deus, mentoriados pelo maligno, se curvam em adoração diante do diabo. O espírito da religiosidade é um dos mais atuantes na falsa adoração, porque associado à carnalidade de muitos, dá um verdadeiro “show” nos palcos da religião.

 

d) A CARNE: De tudo, o que mais nos impede de honrarmos a Deus com a adoração é a nossa própria carnalidade, a nossa humanidade não resolvida na cruz! Ela é a base de operações de todos os três impedimentos anteriores. A carne tem o poder de corromper e profanar a adoração.

Ela pode tocar na alma dos homens, porém jamais penetrar no Santo dos santos e alcançar o coração de Deus. Muitos “adoram” na alma, regidos por ela e tocando nas emoções e sentimentos dos outros. Geram lágrimas humanas, mas não provocam sorrisos no Pai! Movem pessoas, mas não movem os limiares do céu!

Adoração não depende de nossos dons e talentos, mas da revelação de que é preciso uma entrega total ao Eterno. Porque muitos não compreendem isto, acham que para adorar bastam as habilidades pessoais. Não se faz curso para formação de adorador! Fé e santidade gestam adoradores, porque estes são os quesitos para alguém entrar no Santo dos santos, o lugar da verdadeira adoração!

 

No amor do Senhor da adoração e da colheita ampliada!

 

Aps Aurelio Jesus Santos e Susana M. B. Santos.

 

ERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

Você tem consciência de que a adoração é uma semente de honra ao Senhor?

Você se considera ou não um verdadeiro adorador(a)?

De acordo com a pastoral, o que impede você de se tornar verdadeiro adorador(a)?

O que você efetivamente fará, a partir de agora, para semear a honra da adoração ao Senhor?

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES