AMPLIANDO A COLHEITA, HONRANDO A DEUS COM UM DISCURSO SADIO!

(2 Sm 23.1-5) (Pv 18.21)

 

                Nesse Ano da Colheita Ampliada pelo Princípio da Honra, muitos de nós precisaremos aprender a conquistar primeiro internamente, para depois conquistar externamente. O fato é que toda conquista exterior começa com uma conquista interior. E uma das principais conquistas internas que precisamos ter é a de um discurso que honre ao Senhor, isto é: uma linguagem sadia. Muitos querem fazer grandes conquistas no campo familiar, celular, profissional, financeiro etc, mas se esquecem de investir num discurso sadio. Querem os territórios, e até se empenham com estratégias e metas para conseguí-los, mas acabam liberando nos céus sobre as suas cabeças as palavras de maldição, os decretos de derrota e fracasso, não alcançando assim o que se propõem a conquistar.

 

CADA CONQUISTA COMEÇA COM A PUBLICAÇÃO DE UM DECRETO!

                Infelizmente, há muitos que ainda não entenderam que o que queremos conquistar no plano físico precisa, primeiro, ser decretado no plano espiritual. Deus já liberou Seus decretos de vitória em nossa direção. Então, quando fazemos nossos decretos aqui na Terra, baseados nos decretos de Deus, estamos devolvendo ao Pai a Sua Palavra e Ele nos diz que a sua Palavra não voltará para ele vazia, mas fará o que Lhe apraz e prosperará naquilo para que a designou (Is 55.10).

                O que Deus está nos dizendo é que Ele já nos deu a vitória no casamento, família, células, ministério, finanças etc, mas que ela só começa a ser uma realidade no plano físico quando publicamos os decretos de vitória sobre tais áreas. Por isso, ninguém será vitorioso em áreas nas quais se vê um derrotado, mesmo que os decretos de Deus sejam de vitória!

                Decretos são ordens ou comandos dados por autoridades com a finalidade de ajustar o que precisa ser ajustado. Assim, um decreto publicado tem a finalidade de trazer ajustes e mudanças, para melhorar ou piorar. Não se deveria liberar um decreto a não ser que fosse necessário pois, uma vez publicado, ele se tornará uma ordem, um comando para que a mudança seja alcançada.

                Não espere sua família melhorar para dizer que ela é uma bênção de Deus na face da Terra. Não espere suas finanças melhorarem para dizer que você é próspero. Não espere as coisas melhorarem à sua volta para profetizar o êxito. Não espere melhorar para decretar – decrete para melhorar! Um decreto pode mudar sua vida, seu contexto, sua história.

                Crie o hábito sadio de decretar sempre a vitória em territórios de aparente ou iminente derrota. Só as autoridades publicam decretos e você é uma autoridade espiritual que exerce influência em muitos níveis, por isso faça os decretos certos e você ficará surpreso com as mudanças e vitórias.

 

DECISÕES PRECEDEM DECRETOS!

                Todo decreto publicado é o resultado de uma decisão tomada! É o Senhor quem nos dá a bênção, a vitória, o êxito e a conquista, mas a decisão de sermos abençoados, vitoriosos, bem sucedidos e conquistadores é exclusivamente nossa! Deus já decidiu nos abençoar e decretou a nossa vitória, mas a decisão de sermos abençoados e vitoriosos é nossa. Deus quer fazer de você uma bênção, mas ser uma bênção é decisão sua! O Senhor quer fazer de você um grande conquistador de almas para o Deu Reino, mas ser tal pessoa depende só de você.

                No momento em que você decide ser um projeto de Deus na Terra, e não o seu projeto pessoal, você começará a liberar decretos segundo o propósito de Deus e as coisas começarão a mudar para melhor! Você precisa tomar uma decisão a partir de hoje: ser tudo aquilo que deus disse que você é; ter tudo aquilo que deus disse que você tem; poder tudo aquilo que Deus disse que você pode! Decida ser um êxito nas mãos de Deus nessa geração! Nunca tome uma decisão de vitória com base nas circunstâncias adversas à sua volta.

 

NOSSAS DECISÕES REFLETEM O TIPO DE MENTALIDADE QUE TEMOS!

                Nossa mentalidade depende dos nossos paradigmas. Paradigma é um modelo, um padrão; é o conjunto de crenças, valores e conceitos, muitas vezes inconscientes, que norteiam as atitudes e comportamentos de um indivíduo ou grupo social. Como estão na mente do homem, os paradigmas determinam a sua mentalidade e influem nas suas decisões quanto ao estilo de vida, relacionamentos etc.

                Se espiritualmente falando, um decreto pode ser publicado com ou sem palavras, por meio das nossas atitudes e comportamentos, podemos dizer que a nossa linguagem ou decretos dependem dos paradigmas que estão dentro de cada um de nós – dependem da nossa mentalidade. Se o que está em nós são paradigmas que glorificam o Pai, atraem a Sua glória e nos colocam no caminho da santificação, podemos dizer que temos a mentalidade do Reino e, em geral, tomaremos decisões segundo o coração do Pai e decretaremos os projetos de Deus na face da Terra, inclusive a nosso respeito. Se o discípulo tem a mente de vencedor, tomará as decisões certas, publicará a vitória e a vitória o perseguirá; se tiver a mente de perdedor e derrotado, tomará decisões erradas, publicará a derrota e a derrota e o fracasso o perseguirão.

                Precisamos nos transformar, renovando a nossa mente, mudando os nossos paradigmas, isto é: nossos conceitos, crenças e valores quanto ao Senhor, Seu Reino, Seus propósitos e Seus filhos. Dentre os valores e conceitos do Reino de Deus, um dos mais significativos é o conceito de que somos espirituais e nosso discurso não deve ser baseado em decisões carnais, isto é, na alma. Um discípulo assim é firme, fiel, comprometido e busca viver conforme os valores e princípios do Reino e não segundo suas emoções e sentimentos. Emoções e sentimentos podem nos levar a tomar decisões e decretos, inclusive bons, mas não necessariamente certos.

                Uma decisão sábia, que nos leva a liberar decretos de vitória, precisa estar baseada nos princípios eternos de Deus e jamais nas nossas emoções e sentimentos. Isto é ter a mentalidade do Reino! Emoções e sentimentos estão na alma, isto é, na carne e o Senhor nos diz em Rm 8.6 que “o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz”.

                Muitos têm decretado morte nos céus sobre suas cabeças, através de um discurso cheio de impossibilidades, porque tomaram decisões carnais. Muitas vezes precisaremos sustentar nossos decretos ou profecias por algum tempo, com um discurso sadio, até que se cumpram; se não tivermos a mente renovada em Cristo, desistiremos, mudaremos o discurso e não alcançaremos a vitória.

 

TER UM DISCURSO SADIO É SER BOCA DE DEUS NA TERRA!

                Ter uma linguagem sadia é decretar a vida no território da morte, a vitória no território da derrota. Ter linguagem sadia é decretar para a sua alma que você pode, quando ela diz que você não pode, que você é, quando ela diz que você não é, que você tem, quando ela diz que você não tem.

                O discípulo da vitória e da conquista é aquele que não esmorece no seu discurso profético. É o que fala segundo os princípios eternos de Deus. É o que se recusa a liberar no mundo espiritual as impressões erradas que estão na sua alma, pelo contrário, em cima de cada impossibilidade ou situação adversa coloca sempre uma palavra de vitória e de conquista.

                Ter uma linguagem sadia é ter uma palavra de edificação que vai abençoar seus líderes e liderados, impulsionando-os a prosseguir e romper nos caminhos da conquista e da vitória. Ter uma linguagem sadia é estar sempre se motivando para perseverar nos propósitos de Deus e continuar sendo uma bênção, apesar das circunstâncias.

                Hoje o Senhor está nos convocando para santificarmos nossa linguagem, para apurarmos nosso discurso e sermos profetas da bênção e da vitória, ampliando a colheita absurdamente, inclusive no campo pessoal. Não importa o quanto de morte você já semeou até agora, arrependa-se, quebre as legalidades que o diabo conseguiu nessas áreas e profetize a vitória e a bênção de uma colheita ampliada. Decida honrar a Deus, sendo profeta da bênção nessa geração.

 

                No amor do Senhor da Colheita Ampliada.

 

                                                               Aps Aurelio Jesus Santos e Susana M. B. Santos.

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

  1. Você tem tido mais vitórias ou derrotas no campo pessoal, familiar, celular e financeiro?

  2. Você se considera um profeta da bênção ou da maldição? Explique.

  3. O que você precisará fazer para ter a mente do discípulo vitorioso e conquistador, sendo capaz de liberar um discurso sadio debaixo dos céus da sua história e território?

 

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES