ANA: UM EXEMPLO A SER SEGUIDO EM TEMPOS DE REFORMA!

(1 Sm 1.1-18)

 

Com o nascimento de Samuel podemos dizer que não nasceu só um grande profeta de Deus, mas com ele nasceu uma geração profética que, pelas suas características, continua influenciando a vida de muitos servos e servas de Deus. Samuel foi o resultado de um grande milagre: o profeta nasceu para selar o fim de um ciclo de esterilidade na vida de sua mãe. Há na Bíblia muitos servos e servas cujas vidas são exemplos e desafios de fé para todos nós. Em Ana, a mãe de Samuel, por suas experiências, vemos características especiais, que não cabem só às mães, mas a todos os cristãos em geral. São virtudes básicas para quem quer inaugurar um tempo profético na sua vida e história, debaixo de uma unção capaz de gerar vitórias e desatar conquistas segundo o coração de Deus. Poderíamos dizer que Ana foi um exemplo a ser seguido.

                Ana era a esposa estéril de Elcana. Ela não tinha filhos e, por isso, vivia em oração aos pés do Senhor. Um dia, em grande aflição de alma, orou de forma especial ao Senhor pedindo-Lhe um filho varão. Nessa oração, fez um pacto com Deus em que determinou que esse filho seria nazireu, dedicado a Ele todos os dias de sua vida.

                O Senhor então usa o sacerdote Eli para liberar a palavra profética do milagre, que quebrou o ciclo da esterilidade e inaugurou o tempo profético da conquista e da vitória. O Senhor fez a Sua parte e concedeu-lhe Samuel. Samuel era mais do que o filho de Ana, era mais do que mais um profeta: ele era o milagre, o selo da intervenção sobrenatural de Deus não só na vida de Ana, mas na sua casa, na nação de Israel e em nossas vidas.

Como Igreja do Senhor, que crê em palavras e ações proféticas, que crê que o tempo dos sinais, prodígios e maravilhas de Deus não passou, que crê que os ciclos de esterilidade e derrota podem (e vão!) ser quebrados e substituídos pelos ciclos da conquista e da vitória, quando olhamos para esse episódio maravilhoso, percebemos, na vida daquela mulher, pelo menos três características ou qualidades que precisamos ter para que o tempo profético e os frutos da profecia se cumpram em nossas vidas.

Vemos que na verdade o que Ana precisava não era de um filho, porque isto Elcana, o seu marido, poderia lhe dar. O que efetivamente ela precisava era de um milagre no seu corpo, algo que a permitisse engravidar do seu esposo. O milagre não era propriamente o filho, mas a fertilidade. O seu problema era a esterilidade, logo, para conceber do seu esposo, ela precisava de uma cura. O seu desejo era ter um filho, mas a sua necessidade era tornar-se fértil. Samuel foi a consequência natural do milagre que Deus realizou na vida dela. Samuel foi o selo do milagre de Ana.

 

TRÊS PRÁTICAS IMPORTANTES DE ANA NA ROTA DO MILAGRE.

 

Observando o comportamento de Ana, descrito nas Escrituras, podemos aprender pelo menos três coisas importantes no tocante a caminhar na rota dos milagres de Deus:

 

1. NUNCA DEIXAR DE ORAR (1.10-11):

É incrível que, mesmo triste e abatida, Ana não se afastava da presença do Senhor. Ela levava aos ouvidos do Senhor suas necessidades em oração. Precisamos aprender a gemer longamente diante de Deus, para que Ele nos conceda a benção que buscamos, sem nos preocuparmos com o que estão pensando de nós (1.12-14). No seu propósito de ir ao Senhor em oração pela concepção do seu filho, ela não se preocupou em ser considerada extravagante e orava com o coração. Isso pode confundir os homens, mas com certeza abre as janelas dos céus.

É necessário desenvolvermos essa prática em casa, nas células e onde for necessário. É com espírito de oração, intercessão e súplicas, que as bênçãos espirituais são concebidas e os céus proféticos são abertos. Como homens e mulheres de Deus, só conquistaremos no sobrenatural de Deus, inclusive almas para Jesus, quando pedirmos ao Pai com intensidade.

 

2. NUNCA NEGOCIAR A SUA FIDELIDADE (1.25-28):

Ela não deixou de adorar a Deus porque ainda não havia recebido a sua benção; pelo contrário, mesmo sendo escarnecida e afigida por Penina, pelo fato de ser esteril, Ana permaneceu fiel ao Senhor e perseverou na adoração. Fez voto ao Senhor de que devolveria a Ele seu filho, caso o concebesse. Deus a abençoou e ela concebeu Samuel.

No tempo devido, Ana foi ao templo com seu marido para apresentar Samuel ao Senhor. Para muitos, isso bastaria. Mas a fidelidade de Ana exigia mais, exigia que ela cumprisse o voto que fizera. Para exercitar tal fidelidade foi necessário a autonegação: a benção que ela tanto queria, que tanto pediu ao Senhor, deveria ser entregue, devolvida ao Senhor, para cumprimento do seu voto. Ana não fez pacto com o Senhor só para receber a benção. Recebeu o filho nos braços e o colocou nos braços do Senhor.

É preciso consciência de que não somos donos de coisa alguma; tudo vem do Senhor e aos Seus pés deve ser depositado. Nossas vitórias, independente de quais sejam, devem ser colocadas aos pés do Senhor. É assim que se transita em tempos proféticos, onde o sobrenatural de Deus flui soberanamente. Os milagres e vitórias recebidas, e até os “nossos filhos” carnais e espirituais, na verdade não são nossos e devem ser colocados aos pés do Senhor. A expressão da nossa fidelidade a Deus é um selo profético da nossa aliança com Ele e sempre requererá algum nivel de autonegação, de renúncia, de desprendimento.

 

3. NUNCA DEIXAR DE AGRADECER (2.1-2):

Gratidão é uma palavra-chave na rota do milagre. Ana não vivia somente pedindo ao Senhor; ela orava também agradecida a Ele, em louvor e adoração. Com ela, precisamos aprender que ainda que o nosso milagre não tenha chegado, nosso coração deve permanecer plenamente grato a Deus. Num mundo onde o mais comum é a murmuração, precisamos aprender a orar com gratidão ao Senhor. Há muitos cristãos ingratos, se relacionando com Deus enquanto são atendidos e O avaliando pelo que ainda não receberam dEle. Um espírito agradecido prepara o solo para o Senhor multiplicar as bênçãos (2.20-21).

Intercessores proféticos geram gerações proféticas e desatam tempos proféticos. Muitos continuam em territórios de esterilidade, em vários níveis, por causa da ausência desses aspectos encontrados em Ana. É preciso mudanças radicais no aspecto pessoal, para que o tempo das maravilhas de Deus se cumpram em nossas vidas. Tome posição profética agora mesmo e decida permanecer na oração fervorosa pelas suas causas, expresse sua fidelidade a Deus em todos os níveis e em quaisquer circunstâncias. Sempre, coloque diante de Deus um coração agradecido a Ele pelo que Ele é, e não somente por causa das bênçãos recebidas.

 

No amor do Senhor da reforma.

 

                                               Aps Aurelio Jesus Santos e Susana M. B. Santos.

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

1- Olhando para Ana, você se identifica com ela em relação às suas necessidades? Explique.

2- Você tem convicção de que há promessas de Deus que ainda não se cumpriram em sua vida? Cite pelo menos uma.

3- Por que ainda não se cumpriram?

4- Das três características mencionadas na pastoral, em qual(ais) delas você precisa crescer e o que efetivamente fará para tal?

 

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES