08/03/2015

 

RESTAURANDO OS BENEFÍCIOS DA ALIANÇA
PARA VIVERMOS A VIDA ABUNDANTE EM CRISTO
(João 10.10)

 

 

Jesus Cristo se fez pecador por nós, assumiu a nossa identidade de pecadores e, na cruz do Calvário, pagou o preço requerido por Deus para a nossa remissão. Como sacrifício agradavel a Deus, Cristo derramou o Seu sangue em nosso favor, selando, assim, a Nova Aliança, a aliança de salvação e vida eterna. Estabeleceu a derradeira aliança entre Deus e os homens, onde todo aquele que crê em Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador tem seus pecados perdoados e a vida eterna.

 

Assim, pelos méritos de Jesus, através da Nova Aliança no seu sangue, o pecador arrependido e que O recebe como Senhor e Salvador é justificado, santificado, redimido e regenerado. Na cruz o Senhor realizou uma obra perfeita, suficiente e irretocável que nos reposiciona em Deus e nos introduz em dimensões espirituais e benefícios inimagináveis. Por isso o Senhor nos diz: “Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância”. Abundância (do grego perissos) significa o que excede algum número ou medida ou posição ou necessidade, fala do que está sobre e acima, o que é mais do que é necessário, que excede abundantemente, algo a mais, muito mais que tudo, superior, extraordinário, excelente, incomum, que tem preeminência, superioridade, vantagem, fala do que é mais eminente, mais extraordinário, mais excelente.

 

Nesse contexto, vemos que a maioria de nós, os crentes em Cristo, os que nascemos de novo, não estamos desfrutando da plenitude dessa vida abundante que o Pai nos vínculos da Aliança no sangue de Cristo. Pelo contrário, muitos, infelizmente, estão vivendo abaixo do limiar da normalidade, isto é, pior do que os que não têm Cristo como seu Senhor e Salvador. A referida vida em abundância não é resultado de esforço humano, mas obra exclusiva de Cristo por nós e está contida nos benefícios da nossa Aliança com Ele. Se há algo que facilita a ação do diabo no mundo é a ignorância do homem a respeito da obra que Jesus realizou em seu favor!

 

Ele simplesmente nos dá a vida abundante, que não quer dizer vida de vaidades, caprichos, ostentação ou riqueza, mas uma vida espiritualmente próspera. Vida abundante em Cristo é uma vida próspera nEle, isto é, uma vida em que vivemos os termos e benefícios da Aliança, espiritualmente ajustados aos propósitos divinos, sadios na alma e com as necessidades supridas pela Graça de Deus. A obra da salvação em Cristo foi suficiente para nos arrancar da morte eterna, da miséria espiritual, emocional e material e nos introduzir na vida eterna, na plenitude espiritual de uma nova vida em Cristo, com todos os benefícios da vida de Cristo e da Sua obra redentora.

 

BENEFÍCIOS DA ALIANÇA QUE DENUNCIAM A VIDA ABUNDANTE EM CRISTO.

São vários os benefícios advindos do sacrifício de Jesus e do Seu sangue derramado na cruz do Calvário, mas pelo menos três deles podem ser listados e fazem toda a diferença na vida de quem os compreende. Eles, de alguma forma, sinalizam que vivemos uma vida em linha com a abundância proferida por Cristo.

 

1- PECADOS PERDOADOS – SEM CULPA, SEM ACUSAÇÃO!

A raiz do perdão está na cruz. Nenhuma outra religião oferece o perdão. Só Jesus Cristo oferece perdão de pecados. Foi justamente o pecado que afastou o homem de Deus, o que lhe trouxe a morte eterna. Por causa do pecado, o homem é considerado culpado diante de Deus e está condenado à morte eterna, que significa viver eternamente separado de Deus, que é a verdadeira Fonte de Vida.

 

Deus é Justo Juiz e só o cumprimento da sentença pode satisfazê-lo, mas também é Pai amoroso e criou o homem para ter comunhão com Ele. Ao mesmo tempo em que tem que sentenciar o homem à morte, como Perfeito Juiz, Deus quer, como Pai bondoso, o homem vivo para ter comunhão com Ele. Só Deus mesmo para resolver esse aparente dilema! Aleluia! Enviou Jesus, como “homem nascido de mulher” que, mesmo sem ter pecado, identificou-Se conosco para tomar o nosso lugar na condenação e, como o Cordeiro de Deus, morreu em nosso lugar, pagando o preço da nossa culpa, o que nos justifica diante de Deus, porque a Sua justiça foi cumprida.

 

Lá na cruz, o sangue remidor de Jesus foi derramado em favor do que nEle crê. Fora da cruz Deus não pode nos perdoar, pois é lá que está a provisão para o pecador, isto é, o cumprimento da justiça divina, que diz que o salário ou recompensa do pecado é a morte (Rm 6.23). Arrependidos aos pés da cruz, Deus não mais nos vê com o nosso pecado, Ele vê o sacrifício de Jesus, o sangue derramado que nos torna justos diante dEle e reconciliados com Ele. Na cruz de Cristo cumpriu-se a justiça divina. Assim, todo aquele que está em Cristo e tem uma vida de arrependimento, com seus pecados confessados e perdoados, está coberto pelo Seu sangue e justificado diante de Deus, e é vitorioso contra Satanás, o Acusador, porque retirou a base espiritual para a acusação do diabo.

 

2- NOVA IDENTIDADE – NOVO NASCIMENTO, NOVO CARATER!

Muitos de nós vivemos uma vida de derrota, porque ainda nos vemos derrotados, vencidos, feridos, sem esperança. São resquícios da velha natureza, da velha identidade. Mas não precisamos mais ser assim! Em Cristo recebemos uma nova identidade! Somos nova geração, gerados em Cristo para novidade de vida.

 

Em Lc 9.23-24 lemos que quem não rejeita sua carnalidade nem toma a sua cruz não consegue andar nos passos de Jesus, porque quem realmente quer uma vida nova e verdadeira necessita abrir mão da vida velha. A palavra vida, além de existência, também traz a conotação de identidade. Jesus está dizendo que a cruz é lugar de morrer para renascer. Morrer para a velha natureza ou identidade de pecador e renascer para a nova natureza ou identidade de remido, justo, santo, filho de Deus. Por causa da Aliança com Deus em Cristo, somos gerados Nele novas criaturas. Morremos para a identidade de perdedores e fracassados, para renascermos vencedores e conquistadores em Cristo. Precisamos assumir nossa nova identidade em Cristo para conquistarmos as novidades de Deus na vida pessoal, familiar, ministerial, profissional, financeira, celular etc.

 

Dá para imaginar: trocar o pior de nós pelo melhor de Deus?! Na cruz o pecador pode realizar a troca mais significativa da sua vida: a morte pela vida, a condenação pela justificação, o caráter pecaminoso pelo divino. Só passando pela experiência da cruz, com Cristo, o discípulo de Jesus trocará o caráter de perdedor pelo de vencedor. Sempre que o Senhor quer nos transformar em alguma área, ele nos aponta o caminho da cruz, onde somos desafiados a sepultar aquilo que, existindo em nós, nos tira das novidades de Deus em Cristo.

 

O fato é que em Cristo já possuimos o caráter novo, porém, se as velhas e indesejáveis características não forem mortas e mortificadas, jamais conseguiremos manifestar a nossa nova identidade. É por isso que o caráter de um cristão vitorioso e conquistador não surgirá por acaso. Ele será forjado pelo Senhor na vida de quem decide trilhar o caminho da cruz, isto é: a morte da velha natureza em Cristo, que é a renúncia que precede a vida e a conquista.

 

3- LIBERTAÇÃO E CURA!

A Palavra nos diz que, por causa da obra de Cristo na Cruz do Calvário, nós recebemos também a libertação e a cura, tanto para nossos corpos como para nossa alma. Em Lc 4.18-20 lemos que Ele veio nos trazer libertação e em Is 53. 4-5 lemos que Ele veio levar nossas enfermidades e dores e nos trazer cura. Ele não veio para simplesmente nos dar uma vida abundante para ser vivida no céu, mas para vivê-la desde aqui e agora. Sua obra não se realizará só no futuro, no provir, mas aqui e agora! A obra da cruz é para agora! A salvação em Cristo não é algo reservado para o futuro, mas é uma realidade no presente!

 

Por causa do sacrifício de Cristo na cruz do Calvário, se estivermos em aliança com Ele, podemos esperar pela libertação e pela cura, porque o pecado, que é o principal mecanismo promotor da degeneração humana (doenças, enfermidades, escravidão, acusação, sujeição ao diabo, maldições e morte), foi vencido, juntamente com o seu maior beneficiário, que é o diabo. Precisamos tomar posse do fato de que na cruz de Cristo a maldição advinda do pecado foi cancelada e, por isso, podemos esperar pela nossa libertação e pela nossa cura! O fato é que, em Cristo, todo argumento para que as cadeias da maldição e das doenças e enfermidades prosperem foi quebrado. Jesus veio para nos dar vida em abundância porque levou cativo o cativeiro produzido pelo pecado, venceu a morte e o diabo.

 

É evidente que nesse quesito, vida abundante, não podemos anular a soberania e o governo de Deus, nem as consequências das semeaduras que fazemos e, muito menos, a responsabilidade e a decisão das pessoas. Nosso Deus é um Deus de milagres e de realização dos impossíveis para os homens, mas JAMAIS quebrará Seus princípios eternos para satisfazer nossas vontades. A vontade de Deus permanece soberana e Sua mente e Seus caminhos sempre serão muito mais altos do que os nossos. A Ele a glória, o louvor e a honra eternamente!

 

No amor do Senhor do Altar.

 

Aps Aurelio Jesus Santos e Susana M. B. Santos.

 

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

  • Na pastoral propusemos uma definição para vida abundante. Leia e reflita sobre ela.

  • Você realmente crê que Jesus veio para nos dar vida em abundância? Você a tem?

  • Dos benefícios citados na pastoral, em quais deles você precisa ser ampliado?

  • O que você efetivamente fará, a partir de agora, quanto a desfrutar da vida abundante que o Senhor veio para lhe dar?

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES