06/09/2015

 

 

A FÉ INCOMUM QUE SURPREENDEU O SENHOR E ATRAIU O SEU MILAGRE!
(Mateus 8.5-13)

 

 

Creio que aquele centurião não imaginava o que Deus estava lhe reservando naquele dia. Também imagino que os discípulos de Jesus não esperavam ouvir dos lábios do Mestre o que eles ouviram com relação à fé daquele militar romano. Em nenhuma outra passagem bíblica lemos sobre como o Senhor Jesus ficou surpreso com o tipo de fé daquele homem.

               

Há momentos em nossas vidas que só por um milagre alcançaremos a vitória e há outros em que somos levantados para intercedermos por pessoas necessitadas do sobrenatural de Deus. Aquele centurião estava nesse segundo caso. A sua compaixão fez com que ele se preocupasse com a vida do seu servo, mas foi a sua fé incomum que o transformou num intercessor extraordinário diante do Senhor Jesus. Por isso, ele experimentou o sobrenatural de Deus e passou para a história bíblica como alguém que tinha uma fé incomum, a fé que nem em Israel o Senhor Jesus encontrou.

               

Esse é o padrão dos santos, esperado pelo Senhor. Infelizmente, porém, não é assim que acontece com a maioria de nós. Em muitos casos não se recebe o esperado, nem se vê a manifestação do poder e da glória de Deus, apesar de oramos segundo a Sua vontade, expressa na Sua Palavra ou revelada pelo Seu Espírito. É claro que o Senhor não mudou. Então, o que estaria faltando para que a glória de Deus se manifestasse nesses casos?

               

Aquele centurião, através de suas palavras e atitudes, demonstrou o tipo de fé que toca no sobrenatural de Deus, atrai o milagre e manifesta a glória do Senhor. Ele era um homem convicto. Vejamos algumas convicções dessa fé que moveu com Jesus e arrancou elogios de Seus lábios.

 

QUATRO CONVICÇÕES GERADAS PELA FÉ INCOMUM QUE ATRAI MILAGRES E SURPREENDE O SENHOR:

Desde o primeiro momento em que o centurião se encontrou com o Senhor e clamou pela cura de seu servo, ele manifestou, pelo seu diálogo com o Mestre, a sua e o seu entendimento a respeito da pessoa, da autoridade e do ministério de Jesus. Essa fé incomum é a que nos posiciona corretamente no Reino do espiritual, arranca todos os argumentos contrários da nossa mente e muda o nosso discurso a respeito da Verdade, abrindo-nos para o campo do “é possivel de Deus”. E foi exatamente isso o que impressionou Jesus quanto à sua fé e não o fato de simplesmente ter feito um pedido de cura ao Senhor. As convicções expressas pelas palavras daquele homem denunciaram o tipo de fé que ele possuia! Vejamos algumas convicções resultantes dessa fé:

 

a)  CONVICÇÃO DA SOBERANIA, DO SENHORIO E DA AUTORIDADE DE JESUS!

Ao chamá-lO de Senhor e reconhecer que não era digno de receber Jesus em sua casa, o centurião declarou sua pequenez e indignidade de pecador, diante da soberania e da autoridade incontestáveis de Jesus. O primeiro passo para se tocar no sobrenatural de Deus é crer no senhorio, na soberania e na autoridade de Jesus Cristo.

 

Para aquele centurião não havia qualquer sombra de dúvida quanto a soberania e autoridade do Senhor. Só começamos a nos ajustar na revelação do Reino de Deus a partir da convicção inegociável de que Jesus Cristo é o Senhor, o Soberano Rei que tem toda autoridade no céu e na Terra! Hoje, por graça do Pai, cada crente em Jesus, por causa da Sua obra na cruz, também está revestido dessa autoridade tremenda e, em nome de Jesus, pode vê-la fluindo para tornar o Seu nome conhecido e manifestar a glória de Deus na Terra.

 

b) CONVICÇÃO DE QUE A PALAVRA DE JESUS É PODER DE DEUS LIBERADO!

Ao dizer que Jesus poderia Se fazer representar pela Sua palavra, o centurião estava dizendo que a Palavra de Jesus tem o poder de Jesus; ele estava convicto de que aquilo que Jesus fazia, a Sua Palavra também faria! Aleluia!

               

Ele cria que a Palavra de Jesus veiculava o poder de Jesus; onde a Palavra de Jesus chegasse, ali teria chegado o próprio Senhor da Palavra. Ele estava confessando que Jesus tinha tanto poder e autoridade, que mesmo distante fisicamente do seu criado, pela liberação de uma palavra de ordem, o milagre aconteceria. Em Lc 4.36 lemos: “Que palavra é esta, pois, com autoridade e poder, ordena aos espíritos imundos, e eles saem?”

 

c) CONVICÇÃO DE QUE A PALAVRA DE JESUS NÃO PODE SER RESISTIDA!

Ele se denunciou como uma autoridade que estava debaixo de autoridade e, como tal, era prontamente obedecido em suas ordens e também devia obediência aos seus superiores. Deixou claro, baseado na hierarquia militar, que cria numa hierarquia no plano espiritual.

               

Ao mostrar que conhecia o princípio de autoridade e aplicá-lo à pessoa de Jesus, dizendo que bastaria um comando de Jesus para que a cura do seu servo acontecesse, ele mostrou que cria firmemente que tanto Jesus como a Sua Palavra não poderiam ser negligenciados nem resistidos por quem quer que fosse, inclusive as doenças e enfermidades. Eis um tremendo princípio de fé para o milagre: a Palavra de Jesus é poderosa e irresistível!

 

d) CONVICÇÃO DE QUE A PALAVRA DE JESUS PRODUZ O QUE ELA QUER DIZER!

Ele reconheceu que a matriz ou substância do milagre estava na própria Palavra do milagre. Ele disse que cria que se Jesus mandasse a enfermidade sair, simplesmente ela sairia e seu criado seria curado. Ele demonstrou a Jesus que não tinha dúvida alguma em relação aos Seus comandos. Ora, se Jesus era a autoridade, se Sua Palavra veiculava o Seu poder e se Ela não poderia ser resistida ou negligenciada, ele tinha como certo que se Jesus enviasse uma ordem, seja ela qual fosse, o que Ele ordenou haveria de acontecer, exatamente como ordenou!

               

Essa é, provavelmente, a fé como de uma criança, que simplesmente acredita que o que foi dito ou prometido irá acontecer, incondicionalmente. Aleluia! É muito contraditório afirmar que cremos em Jesus, na Sua Palavra e nas Suas promessas e não crermos e esperarmos que tudo o que Ele disse e prometeu irá se cumprir exatamente como disse e prometeu. Afinal, Ele e a Sua Palavra são um.

               

Precisamos nos arrepender da nossa incredulidade. Muitas vezes fomos atingidos em cheio pela Palavra de vitória do Senhor e, por causa da nossa mentalidade e das circunstâncias adversas à nossa volta, abortamos todo o processo do sobrenatural de Deus em nossas vidas e perdemos o nosso milagre. Foi uma postura de incrédulo. Sabemos o que o Senhor pensa e quer para nós, nossa família, ministério, finanças etc, oramos e até suplicamos, mas não sustentamos a confissão da fé que Jesus achou naquele gentio, centurião romano. Quebrante-se diante da soberania do Senhor, arrependa-se e confesse a sua incredulidade, tome posse do perdão de Deus e levante-se para um novo tempo onde o sobrenatural de Deus irá alcançar você. Firme-se na Palavra do seu milagre, em nome de Jesus.

 

No amor do Senhor do altar e da Palavra poderosa.

 

Aps Aurelio Jesus Santos e Susana M. B. Santos.

 

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

  • Você se vê como alguém que bem poderia substituir aquele centurião na relato bíblico? Explique.

  • Sua fé em Cristo poderia ser comparada com aquela que Jesus encontrou naquele centurião?

  • O que está faltando em sua vida para que sua fé atraia a glória de Deus, como no texto da pastoral? O que você fará a respeito?

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES