03/05/2015

 

HÁ LIVRAMENTO PARA OS SANTOS DO SENHOR!
(Atos 12.1-11)

 

 

Estamos vivendo dias de grande operação do Senhor na Igreja e através dela, tal como no tempo da Igreja Primitiva, a Igreja do livro dos Atos dos Apóstolos. Em meio ao grande mover de Deus, surge também uma operação contrária mentoriada pelo inimigo das nossas almas. Os irmãos do primeiro século da era cristã passaram por isso também.

 

No texto lemos que Herodes já havia matado Tiago, irmão de João, e agora mantinha Pedro preso, com a intenção de matá-lo também. Naquele momento, como nos dias de hoje, aos olhos de muitos, parecia que as coisas haviam chegado ao fim da linha, que o tempo de Pedro havia acabado! Infelizmente, muitos sustentaram esse pensamento, entraram em desistência e o inimigo obteve a vitória.

 

Como hoje, é possível que muitos estivessem questionando o Senhor, a respeito do provável trágico fim do grande homem de Deus. Afinal, como tais coisas poderiam acontecer ao grande Pedro? Teria o adversário mais poder sobre a vida de Pedro do que o Senhor? Teria o inimigo mais poder para destruir a vida de Pedro do que o poder do Senhor de livrá-lo? Por que, afinal, o Senhor permitiu que Pedro passasse por tais experiências? Quem teria a última palavra sobre a vida de Pedro: Herodes ou o Senhor?

 

Com certeza muitas perguntas como essas povoaram as mentes e os céus daquele lugar. Em muitos corações havia um sentimento de perda, frustração e fracasso. Enquanto os inimigos do Senhor e do Evangelho regozijavam, celebrando as aparentes derrota de Pedro e fragilidade do Evangelho, no coração de muitos amigos e irmãos, provavelmente, havia um sentimento de perda, frustração e fracasso com o iminente desfecho. A situação era crítica, mas o texto diz que a Igreja se colocou em oração e vigílias a favor da causa de Pedro e os céus se moveram favoravelmente.

 

O fato é que aquela experiência dolorosa de Pedro tem-se repetido na vida de muitos homens e mulheres de Deus ao longo do tempo. Muitos cristãos sinceros estão em “prisões” e “cadeias” dos mais variados tipos, isto é, passando por situações extremamente críticas, deixando, numa leitura humana e superficial, a impressão de que se chegou ao fim da linha. Parece que o inimigo venceu; não há mais retorno ou possibilidade de solução. Nesses momentos a pessoa olha para dentro de si mesmo e não vê pecado não confessado, nem qualquer outro tipo de situação que possa dar ao inimigo algum direito legal, mas, ainda assim, parece não ser possível reverter a situação. Na ótica de muitos, parece que as orações perderam o poder de atrair a glória e a resposta de Deus.

 

No entanto, o Deus da provisão e da Aliança não está alheio à causa dos Seus filhos. Mesmo no centro de uma grande crise, os santos de Deus podem ter a certeza de pelo menos duas coisas: a) o fiel nunca está sozinho – o Senhor está presente, inclusive nas crises, e b) os planos de Deus acerca dos Seus ungidos são infalíveis e maiores que os planos do inimigo. Aleluia!

 

TRÊS VERDADES ACERCA DOS UNGIDOS DE DEUS QUE VOCÊ PRECISA SABER:

Uma é a realidade à nossa volta e outra, às vezes muito diferente, é a verdade de Deus a nosso respeito. Saber das realidades é importante para os santos de Deus se posicionarem, mas conhecer e viver as verdades de Deus a seu respeito é fundamental e fará toda a diferença na caminhada do cristão. Muitos, por não se atentarem para algumas realidades espirituais, acabam potencializando ou subestimando as situações ao seu redor, tomando posições erradas no tempo das crises. Como santos de Deus, precisamos compreender pelo menos três verdades fundamentais que podem fazer toda a diferença na nossa caminhada:

 

1- OS UNGIDOS DE DEUS TAMBÉM PASSAM POR CRISES.

O fato é que nem sempre estamos livres das arapucas de Satanás. Muitos estão frustrados com Deus, com o Evangelho, com a Igreja e consigo próprios porque estão passando por momentos de crises, de adversidades. Acham que, como cristãos, jamais deveriam ter dificuldades, que a caminhada da fé é um caminho sem obstáculos. Puro engano. A fé nos dá vitórias, mas não nos isenta das batalhas! Jesus foi claro ao nos afirmar que nesse mundo nós teríamos aflições, mas deveríamos ter bom ânimo, uma vez que Ele venceu o mundo (Jo 16.33).

 

Realmente o Senhor permite que passemos por certas experiências com vistas ao nosso amadurecimento espiritual. Muitas vezes, mesmo não estando em pecado, são determinadas experiências que nos levam a conhecer certos aspectos de Deus que não conhecíamos. Certamente Pedro precisava passar por tal experiência, uma vez que, ao se ver livre, confessou: “agora, sei, verdadeiramente, que o Senhor enviou o seu anjo e me livrou da mão de Herodes e de toda a expectativa do povo judaico” (At 12.11).

 

Como ungidos de Deus, precisamos entender que passar por um tempo de crise não quer dizer que somos fracassados ou derrotados e, muito menos, que o inimigo conseguiu vitória sobre nós. A última palavra nunca é a dos nossos inimigos, mas a do Deus verdadeiro, que nunca perdeu uma batalha. Se você está passando por tempos de provações e afrontas do inimigo, não se desespere nem dê ouvidos às suas ameaças - nosso Deus é quem tem a última palavra a seu respeito e, com certeza, sempre é uma palavra de vitória. Aleluia!

 

2- OS UNGIDOS DE DEUS PODEM ENCONTRAR DESCANSO, MESMO NAS CRISES!

A Palavra diz que Pedro dormia enquanto o inimigo tramava a sua morte! Enquanto Herodes fazia os preparativos para a morte de Pedro, ele dormia tranquilamente na cadeia entre os seus opressores. O Senhor quer que você saiba que mesmo em cadeias ou no meio dos opressores, você tem o direito inquestionável de desfrutar da paz que excede a todo entendimento, a paz que só o Senhor Jesus pode nos dar (Jo 14.27). Por fé, viva a revelação de que você está guardado em Cristo e que nada ou ninguém pode tirar a paz de Cristo do seu coração, exceto você mesmo.

 

Toda crise se complica quando não mantemos a paz nos nossos corações. Muitos não conseguem experimentar os livramentos de Deus porque não guardam a paz em seus corações. Ficam tão ansiosos e ocupados em buscar suas soluções, que não conseguem ouvir as palavras de libertação, nem ver os anjos de Deus em operação a seu favor!

 

Nunca se esqueça que uma das armas mais terríveis do inimigo é nos tirar a paz; ele usa as crises para nos roubar a paz através da ansiedade, medo, insegurança e incredulidade, levando-nos a buscar as soluções em muitas direções, menos no Senhor da paz. Descansar, na crise, não é assumir uma atitude passiva, indolente ou inconsequente, mas uma atitude espiritualmente correta de segurança, de confiança por estar nas mãos do Deus do impossível e não nas mãos do adversário. Descansar, aqui, é uma atitude de fé – fé  baseada na fidelidade daquEle que é o Todo-Poderoso!

 

3- NO MEIO DA CRISE, O LIVRAMENTO SOBRENATURAL VEM!

Deus não desampara os Seus ungidos! O Senhor sempre traz o livramento necessário para socorrer os seus santos, independentemente do tamanho da crise. A última palavra sempre será dEle. Aleluia!

 

As adversidades só determinarão que chegou o fim para um ungido de Deus, se o fim for a melhor opção de Deus para aquele ungido. Nunca os planos do diabo serão melhores ou mais poderosos que os planos de Deus para os seus santos! Não há cadeias, nem inimigos que consigam prender e anular aquele que está em linha com Deus.

 

Não olhe para as cadeias e circunstâncias – o Senhor sabe onde você está e tem anjos às Suas ordens quanto à sua causa. Creia que no momento certo os anjos de Deus chegarão com o livramento, pois eles nunca erram um endereço! Você não está esquecido e nem suas causas estão encobertas diante de Deus. O livramento virá! Aleluia!

 

Creia que nem as cadeias, nem os inimigos têm mais poder sobre sua vida do que o Senhor da sua vida. Mantenha-se santo ao Senhor, descanse no Seu cuidado e na Sua graça; não olhe para os inimigos nem para as circunstâncias – olhe para o caráter de Deus e para as Suas promessas. Grande e poderoso é o Senhor! O livramento virá! Os anjos de Deus virão e tirarão você de forma sobrenatural da crise, em nome de Jesus!

 

No amor do Senhor do Altar.

 

Aps Aurelio Jesus Santos e susana M. B. Santos.

 

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR:

  • Você está passando por alguma crise? Qual?

  • Como você se encontra no meio da crise?

  • Das três verdades afirmadas na pastoral, em qual delas você precisa se firmar?

  • Ore, com sua célula, durante essa semana, para que o sobrenatural de Deus alcance cada um dos que estão passando por crises.

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES