02/08/2015

 

 

JESUS CRISTO – A RESPOSTA DE DEUS PARA O CAOS TRAZIDO PELO PECADO!
(Mateus 16.13-19)

 

 

Nesse Ano da Restauração do Altar, o Senhor quer restaurar a nossa compreensão a respeito dos fundamentos da Sua Igreja, para poder devolvê-la ao exercício da Sua autoridade no planeta. A Igreja de Jesus, de alguma forma, deixou de exercer a Sua autoridade e esvaziou-se do poder de Deus em muitas esferas de ação e, por isto, muitos estão vivendo aquém dos propósitos de Deus para suas vidas e territórios.

 

O fato é que ao fragilizar a sua autoridade em algumas áreas, a Igreja provocou um vácuo de poder e governo nessas mesmas áreas, oportunizando o estabelecimento de poderes ilegítimos, que foram “sugados” pelos vácuos que surgiram. Tem sido assim desde o paraíso, quando o homem, ao pecar, afastou-se de Deus e perdeu a autoridade e o poder para governar, oportunizando Satanás para tornar-se o príncipe deste mundo. Ao longo da História da humanidade as coisas se repetem: poderes oportunistas se estabelecem sempre que os poderes legítimos se omitem, se enfraquecem ou se extinguem.

 

- A consequência imediata disso é um governo ilegítimo, porém legal! Deus quer nos devolver, como Igreja de Jesus, ao lugar certo, para nos estabelecer legitimamente com poder e autoridade na Terra!

 

GOVERNAR O PARAÍSO – PROJETO DE DEUS PARA O HOMEM!

O projeto original de Deus era que andando na Sua presença (submisso e obediente), o homem estaria estabelecido, com poder divino, como uma autoridade e governo de Deus para administrar o Reino dos céus na Terra, representado pelo paraíso do Éden. Deus revestiu o homem de autoridade para governar e dar destinos no paraíso, enquanto ele ficasse submisso à Sua autoridade e obediente às Suas ordens, acatando-as incondicionalmente. Resumindo, enquanto o homem se submetesse e obedecesse a Deus, permaneceria como uma autoridade instituída por Deus e seria o Seu representante legal, com poder, para governar o paraíso ou Reino dos céus na Terra!

 

Deus formou o homem e soprou-lhe Sua vida pelas suas narinas, fazendo o homem à Sua imagem e semelhança, para ser cabeça e não cauda no planeta. No contexto da imagem e semelhança divina está a capacidade dada por Deus ao homem de pensar, escolher e decidir, tendo a liberdade de arbitrar o que deve ou não fazer. Essa faculdade do livre arbítrio é um predicado de Deus concedido ao homem. No entanto, para respaldar a autoridade e o poder concedido ao homem, Deus estabeleceu limites para o homem tomar suas decisões, colocando-o abaixo do limiar de Deus. O limite estabelecido por Deus para o homem serviu para que o homem usasse a sua liberdade de pensar, escolher e decidir para fazer a vontade de Deus e não a humana. A mente de Adão deveria ficar sujeita à mente de Deus, colocando a vontade humana submissa aos desígnios perfeitos de Deus. Adão só prosperaria no Paraíso submetendo-se aos limites definidos por Deus.

 

O fato é que sem limites, qualquer autoridade corre o risco de se corromper e perverter o poder, seja em que instância ou esfera for. O limite estabelecido por Deus para respaldar a autoridade do homem e a sua permanência no paraíso, estava no fato de que ele não poderia comer do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, sob pena de ter sua comunhão com Deus rompida, ser expulso do paraíso e morrer (Gn 2.17). O limite estabelecido por Deus é uma forma de proteção e garantia de segurança, porque dentro dos limites estabelecidos por Deus a pessoa está segura e permanece no propósito divino. Os limites divinos são fundamentais para o nosso crescimento!

 

Infelizmente, um dia, o homem pecou contra o Senhor, desobedecendo-O, porque decidiu comer do fruto da árvore proibida. Com isso ele saiu do projeto original de Deus e, tendo saído da presença de Deus, perdeu a vida eterna, o Paraíso e a autoridade e o poder para representar Deus na Terra. O pecado colocou o homem contra a autoridade de Deus, que o estabeleceu, e o submeteu à autoridade daquele que o induziu a pecar – Satanás.

 

Assim, o homem, que deveria ser o governante no Paraíso (Reino dos céus na Terra), ao ceder à tentação, desobedeceu a Deus, pecou e tornou-se submisso a Satanás, entregando-lhe, não só o cetro de autoridade recebido de Deus, mas sujeitando-lhe todo o potencial que Deus colocou dentro dele quando o fez à Sua imagem e semelhança. O pecado contra Deus inviabilizou o homem como representante de Deus e governante na Terra e viabilizou o estabelecimento de Satanás como o “príncipe desse mundo” (Jo 15.30; 16.11).

 

JESUS CRISTO – A RESPOSTA DE DEUS PARA O CAOS TRAZIDO PELO PECADO!

Por meio de Adão, perdemos a vida eterna, o Reino dos céus e a autoridade e o poder divinos. Mas há duas coisas importantes em Deus: a) Ele nunca desiste e b) Ele nunca teve um plano B para a Sua história com o homem. Por isso, providenciou em Jesus Cristo um retorno ao projeto original: ter o homem na sua presença, devolver-lhe a vida eterna e restabelecê-lo com o poder de governar, como uma autoridade de Deus na Terra.

 

Assim como por intermédio de Adão o Paraíso (ou o Reino dos céus) foi fechado ao homem, por intermédio de Cristo o Reino de Deus foi aberto aos homens pela fé. Por causa da desobediência de Adão perdemos a vida eterna, a autoridade, o poder e o governo, mas, por causa da obediência de Cristo, fomos restituídos por Deus com a vida eterna, a autoridade, o poder, o governo. Aleluia! Em Cristo fomos restabelecidos como embaixadores do Reino de Deus na Terra, como vencedores sobre o pecado, a morte, a carne, o mundo e Satanás e suas hostes! Agora não mais como homens vivendo dentro do Paraíso, mas como homens que vivemos com o Paraíso dentro de nós, com o Reino de Deus dentro de nós (Lc 17.20-21).

 

Em Cristo, Deus retoma o projeto original em relação a nós e ao Seu Reino na Terra. Em Cristo somos restituídos de tudo o que foi perdido por causa de Adão! Tudo o que foi prometido por Deus a Adão e foi perdido por causa do pecado, continua valendo para nós e é uma realidade em Cristo, pela obediência e fé. O que pela desobediência Adão perdeu e nos tirou, pela obediência Cristo conquistou e nos restituiu.

 

Adão não precisou trabalhar para ser estabelecido no paraíso, simplesmente Deus o estabeleceu sobre tudo o que já estava feito, exigindo dele a obediência. O plano original de Deus era estabelecer o homem com poder e autoridade sobre tudo o que Ele criou, de forma que o Reino dos céus fosse uma realidade na Terra! A única exigência para que Adão e a sua descendência permanecessem no projeto original era obedecer a Deus, isto é: não pecar!

 

Estando em Cristo, também nós não precisamos nos preocupar em fazer algo para adquirir o poder e a autoridade do Reino de Deus. Simplesmente, estando debaixo do governo de Cristo, automaticamente estaremos investidos do poder e da autoridade do Seu Reino, para exerce-los na Terra! Mas a única exigência continua: obediência e submissão ao Senhor! Não é Satanás quem nos afasta de Deus, nem nos faz perder autoridade e poder para governar, mas o pecado praticado não arrependido nem confessado. Com a Sua vitória, que foi estendida a nós, Cristo já nos garantiu vitória contra o pecado, a morte, a carne, o mundo e Satanás. Aleluia! Também em Cristo já recebemos o poder e a autoridade, para exercer governo sobre todo mecanismo promotor do caos, sendo, como cristãos, espiritualmente responsáveis pela promoção da paz e da harmonia onde estivermos! Não é o caso de buscarmos poder e autoridade como se não os tivéssemos, mas de exercitá-los, de funcionar neles, porque eles são inerentes à obra que Cristo realizou por nós! Poder e autoridade espirituais fazem parte do legado de Cristo para nós! Numa expressão grosseira, elas fazem parte do “pacote” da salvação em Cristo. Quem é salvo por Cristo é herdeiro de tudo isso e deve disso se apropriar por fé, em nome de Jesus Cristo!

 

A IGREJA DE JESUS TEM O PODER E A AUTORIDADE DO REINO RESTITUÍDOS!

Muitos cristãos não sabem, ou se esquecem, que a Igreja tem o seu poder e autoridade restituídos por Deus em Cristo, para cumprir o ministério de Jesus na Terra. Ao aceitarmos Cristo como Senhor e Salvador de nossas vidas, nascemos de novo para uma nova história, agora como filhos e filhas de Deus. Em Cristo, entramos num tempo novo para retomarmos um projeto antigo! Tudo aquilo que perdemos por causa do primeiro Adão, foi-nos restituído por causa do Segundo Adão (Jesus Cristo). Aleluia! Em Cristo fomos restaurados espiritualmente e restituídos ao propósito original de Deus. Creia que mesmo em tempos de crise, permanecemos como filhos e filhas do Deus Altíssimo! Aleluia!

 

Porque muitos desconhecem essa nossa nova posição e nossos direitos em Cristo, não desfrutam de tudo o que nos é devido por sermos cristãos. Acabam supervalorizando o poder do inimigo e suas artimanhas, ao mesmo tempo em que relativizam as circunstâncias adversas que surgem, tomando-as como simples fatalidades ou coincidências a serem suportadas pacientemente. Por isso nada fazem ou buscam para mudar de posição nem para mudar o contexto. Simplesmente não exercitam o poder e a autoridade que têm em Cristo Jesus, por não acreditarem plenamente nos efeitos da obra redentora de Cristo em nosso favor. Se esquecem que o diabo pode muito, mas não pode tudo e que se algo ele pode é porque o homem lhe deu este direito, a partir do pecado, desde o Jardim do Éden. Precisamos entender que Satanás não terá poder algum no planeta, que não seja oriundo da perda de autoridade do homem, por causa do pecado. Somos o Corpo de Cristo na Terra e, como seguidores do Senhor, pesa sobre nós a responsabilidade de darmos continuação ao Seu ministério de libertar, curar e proclamar o Seu Evangelho da salvação (Lc 4.18-19).

 

Com base em Mt 16. 13-19, vemos que quem tem a revelação de que Jesus é o Cristo, o Filho do Deus vivo, é a Igreja de Jesus que, porque retomou a comunhão com Deus, tem, automaticamente, dEle, a investidura de autoridade e poder para prevalecer sobre as portas do inferno, para usar as chaves do Reino dos céus na Terra e para ligar e desligar na Terra tudo o que terá sido ligado e desligado no céu. Aleluia! Receber de Jesus as chaves do Reino dos céus e o direito de ligar e de desligar na Terra o que será ligado e desligado no céu, é receber autoridade e poder para exercer governo, influência e definir destinos. Significa que a Igreja (eu e você) recebeu dEle poder e autoridade para liberar ou não acessos e determinar o que vai prevalecer ou não. Em Cristo fomos devolvidos ao propósito original de Deus e restituídos com poder e autoridade, para vivermos o Reino de Deus aqui e agora, desfrutando de tudo o que este Reino poderoso oferece aos seus embaixadores.

 

A Igreja de Jesus precisa assumir a sua identidade e chamado e tomar a posição espiritualmente correta em relação a tudo o que saiu do prumo de Deus na Terra. Ter a revelação de Jesus como o Cristo é a convicção de que na obra da cruz, o nosso Senhor tomou o nosso lugar na condenação e, como o Sacrifício Perfeito, nos justificou, santificou, redimiu e regenerou de forma poderosa, devolvendo-nos ao propósito original de Deus e à autoridade e ao poder que foram entregues ao diabo por causa do pecado. Não se acomode mais diante do caos, seja em que área for: levante-se e tome a posição que lhe é exigida como nascido de novo, com a autoridade e o poder que lhe foi entregue por Cristo, exerça o governo e dê destinos novos para sua vida, casamento, família, células, ministério e tudo o mais que estiver debaixo da sua influência, em nome de Jesus!

 

No amor do Senhor do altar.

 

Aps Aurelio Jesus Santos e Susana M. B. Santos

 

 

PERGUNTAS PARA A REFLEXÃO CELULAR

  • Você está enfrentando algum tipo de caos em sua vida? Em qual área?

  • Você crê, como Pedro, que Jesus é “o Cristo, o Filho do Deus vivo”?

  • O que está faltando a você para que o poder e a autoridade, próprios da Igreja de Jesus, sejam exercidos em sua vida e contexto?

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES