2017 - FAMÍLIA, PLANO DIVINO PARA REFORMAR AS GEOGRAFIAS

 

“E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra.” (Gênesis 12:3)

 

Não se começa um ano novo com atitudes velhas. O ano é igual para todos, mas nossas atitudes fazem a diferença. Vamos ser diferentes em casa e seremos notáveis nas outras geografias. Nada é mais sagrado do que a família. A família foi chamada para trazer a presença de Deus para a Terra. O lugar mais solene do Planeta é a nossa casa.

A família é um território sagrado, no qual podemos ver que Deus Se revela aos Seus filhos e Seus filhos se revelam a Deus. Há uma cumplicidade divina quando família e Criador interagem, porque além da presença do Senhor trazer paz, os milagres são consolidados. Uma família que possui a consciência do papel profético familiar terá sempre a liberação do sobrenatural de Deus no seu território.

Quando o decreto vem: “Em ti serão benditas todas as famílias da terra”, estamos falando do poder sobrenatural de uma promessa. A palavra é Baruch – abençoado, liberto, curado. Baruch é uma palavra completa, um plano divino para estabelecer o novo. O mesmo que começar, ou recriar, refazer, trazer a novidade.

Precisamos alinhar nosso pensamento com o plano divino, se quisermos ter êxito no nosso caminho familiar. Temos visto muitas famílias destroçadas, que precisam de auxílio, de um socorro imediato. Mas, existem outras apáticas, que acham que não precisam de ajuda, e cada dia estão mais complicadas nas suas jornadas de insucesso. O mais estarrecedor são famílias adoecidas, que colocam um rótulo de famílias saudáveis e estão plenamente confusas no plano principal.

Deus mentiu quando disse que todas as famílias seriam abençoadas? Não! Deus se equivocou quando disse que sua família seria abençoada? Não! O que há de errado, então? Vamos lá! Muita coisa se inseriu na cultura familiar e, claro, corrompeu o plano original. Às vezes, estamos na Igreja para cumprirmos uma agenda e não um propósito. Por isso, durante a semana, o testemunho familiar fica comprometido. Não fazemos o básico e nos desalinhamos com a promessa.

 

O que precisamos?

1. Voltar a crer

“Contudo se alguém não cuida dos seus, especialmente dos de sua própria família, este tem negado a fé e se tornou pior que um incrédulo” (I Tm 5:8)

A exortação divina é de que muitos perderam a fé e ficaram piores que os incrédulos. Essa exortação é uma convocação ao retorno à fé no Reino e ao retorno à família. A família precisa aquietar o coração. “Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus” (Salmos 46:10). Em outras palavras: “Até quando vocês vão coxear entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, servi-o” (I Reis 18:21). Essa inquietação no coração do povo pode levar uma geração a falência de fé; raízes de iniquidade podem se instalar no coração; incredulidade nascer como ribeiro de águas rotas e a insensatez tomar conta da mente da família.

Existem famílias que não vivem mais um plano para se estabelecer propósitos; vivem como estranhos. Em 2017, vamos voltar a crer na promessa: “Sou abençoado! Minha família é abençoada”. Sua família foi gerada para esse propósito, então volte a crer na promessa: “Em ti serão abençoadas todas as famílias da terra”.

 

2. Voltar a viver o propósito central          

Filhos voltem! Este tem sido o grito dos céus: Voltem! Não são aqueles que estão longe, são os que congregam, mas estão com atitudes de ímpios. Voltar ao propósito é responsabilizar a fé e a chamada nEle. “Pois dele, por ele e para ele são todas as coisas” (Romanos 11:36).

Você pode ter todos os planos e projetos para sua vida, mas o propósito central do Senhor trará a promessa que você e sua casa esperam. O caminho de Deus é o perfeito, o propósito do Eterno é fiel, para sua casa viver a plenitude jamais sonhada. “O caminho é perfeito; a palavra do Senhor é poder. Ele é arma e escudo para todos os que nele confiam” (Salmos 18:30).

A promessa é de que os filhos voltarão ao seu termo. Deixe-me dizer algo: Precisamos amadurecer, pois muitos, no Ano da Família, voltarão para suas geografias, do lugar de onde não deveriam ter saído. Lucas 15:19 se cumprirá, é a rota do gastador (o pródigo). E nós, como pais espirituais e irmãos mais velhos, precisamos nos preparar para o retorno de filhos legítimos. No Ano da Família veremos milagres do Reino sendo instalados na nossa casa. “Há esperança para o teu futuro, diz o Senhor, porque teus filhos voltarão para os seus territórios” (Jeremias 31:17 ARA). O propósito central do Senhor não será anulado porque alguns descreram da promessa. Deus continua sendo Deus e o Seu foco é a família.

 

3. Voltar ao princípio original

Família abençoada! Minha casa é abençoada! Meu casamento é abençoado! Meus filhos são abençoados! Minha descendência é abençoada! Este ano em Jerusalém, Deus deu um GRITO: “Famílias, voltem para Meus princípios!” Os céus estão inquietos com a degradação familiar, são tantas culturas paralelas que a família corrompeu os princípios e há uma emergência divina em consertar isso.

“Minha Casa será chamada Casa de Oração para todos os povos da Terra” (Mateus 21:13). Por que Jesus comparou o Templo de Salomão com uma CASA? Porque somos uma família! É um lugar que se tem ordem familiar. Uma Igreja, Templo, não tem sentido se não tiver a família como propósito central. Para isso, a doutrina de Jesus precisa ser instalada.

O princípio foi quebrado. Precisamos voltar para restaurar nossa casa, trabalho, células, gerações de 12, macrocélulas, redes. Precisamos ter carater de família. Caso contrário o princípio do Eterno não se consolida. “Somos uma família de muitos filhos na semelhança de Cristo Jesus”. Fazer dos ambientes em que vivemos uma família é um grande milagre.

Não é fácil conviver em família, mas é o princípio que gera prosperidade. Não podemos fazer o que queremos ou pensamos, uma família saudável se move por princípios verdadeiros, que quando são quebrados, surgem as brechas, o adversário ganha vantagem e a maldição se instala.

Precisamos corrigir nossos hábitos e culturas pagãs que nós mesmos inserimos na nossa casa. Se eu fizesse uma pergunta básica: Quantos querem ver suas casas prosperando? Todos vão responder: EU! Bem, precisamos tirar os baalins, os ídolos, os argumentos, as maldições, como Josué fez: “Decidam hoje a quem vocês querem servir, quanto a mim já está decidido: Eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (Josué 24:15). Ninguém viverá plenamente a bênção com argumentos mundanos inseridos no carater e nos relacionamentos.

Ser abençoado, ser completo (Baruch). Esse é o decreto para todos: “Em ti serão abençoadas todas as famílias da terra.”. Minha família é abençoada! Qual o milagre que sua família precisa para viver essa plenitude da promessa? O que você colocaria hoje diante de Deus para que esse milagre se manifestasse?

Bem, decisões no presente definem futuro. Precisamos aprender a decidir em Deus e mantermos firmes a decisão ainda que o processo seja doloroso. “Retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu” (Hebreus 10:23).

Família, plano divino para reformar as geografias, esse é o nosso tema em 2017. Vamos nos apossar do nosso direito. Você é uma família abençoada! O ano não será diferente. Você será diferente, e, com certeza, tudo a sua volta ganhará mais vida. Todos querem um ano diferente, mas ficam mantendo as mesmas atitudes. Mudança de atitude gera novidades na nossa geografia.

Baruch – ser abençoado completamente, essa é a promessa. Viveremos 365 dias debaixo de bênção que jamais sonhamos. Você crê?! Você recebe?! Então, você terá um novo ano, um ano feliz. Seja abençoado! Sua família vai viver a bênção completa!

Feliz 2017!

 

(Adaptado de Renê Terra Nova)

 

 

DESTAQUE DA PASTORAL:

Muita coisa se inseriu na cultura familiar e, claro, corrompeu o plano original.

Todos os direitos reservados a Igreja Missionária Manancial

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • MANANCIAL
  • MANANCIAL

Desenvolvido por PLENA PRODUÇÕES